quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

FÃS SE DESPEDEM DE WANDO EM VELÓRIO EM BH


A família solicitou ao cemitério que o funeral fosse restrito a amigos e parentes, mas a administração informou que não havia como impedir a entrada de fãs.
Entre os cerca de 20 admiradores que se reuniam no início do velório, por volta das 17h30, estava a funcionária pública aposentada Ângela Mesquita, que levava uma calcinha em homenagem ao cantor romântico, que morreu em decorrência de complicações cardíacas.
Ela disse ainda guardar em casa uma peça que conseguiu recolher em show do cantor na capital mineira em 1998. "É uma calcinha branca que guardo até hoje, perfumada. Ele jogou e deu aquele alvoroço. Eu consegui pegar," disse. "Hoje eu trouxe esta bem pequena, rosa, em homenagem a ele," completou, mostrando a peça íntima.
A dona de casa Maria das Dores, 38 anos, estava com duas sobrinhas, de 13 e 14 anos, para a despedida ao cantor. "Não vai haver outro cantando com o charme dele. Ninguém consegue imitá-lo. O Wando vai deixar muitas saudades", disse.
O produtor musical Carlos Alberto de Deus disse ter contratado o cantor para um de seus últimos shows, há dois meses, em evento privado em Contagem (região metropolitana de Belo Horizonte).
"O show foi maravilhoso. O Wando sempre foi uma pessoa ótima, calma, tranquila, falava baixinho. Nos últimos dois meses notei que ele estava cansado, mas ele disse que estava com os exames em dia", afirmou o produtor.
O enterro do corpo de Wando está previsto para 11h desta quinta-feira (9).


Velório do cantor Wando começou às 17h20 desta quarta-feira (8), no cemitério Bosque da Esperança, no bairro Jaqueline, em Belo Horizonte. Ao contrário do que estava previsto, a família liberou a entrada dos fãs.

Insegurança nas igrejas, delegacia sem algemas e telefones


Preso no chão da Delegacia de Candelária - Foto: Fernando Maia

Atualização: assessor de imprensa da Polícia Civil, Gustavo Mariano diz que o preso deitou no chão sob o efeito do crack. Como é delegacia de plantão, não há celas. E que os números fixos 3232 6305/6306 estão funcionando, e também o celular8135-6432.
A ação pela violência não respeita mais nem os momentos de fé cristã.
Depois do assassinato de um morador de rua após ser esfaqueado dentro da Igreja de Candelária, mais um registo de insegurança: nas primeiras horas desta quarta-feira (8), bandidos levaram suas investidas para a concorrida Missa da Cura, em Capim Macio.
O alvo foram os carros dos fiés estacionados.
No Twitter, Fernando Maia informa que foi um dos ‘sorteados’. Arrombaram o seu carro e levaram objetos que estavam dentro, como notebook.
Na delegacia para prestar queixa, a situação que o deixou ainda mais indignado: – “Delegacia de Plantão em Candelária, preso algemado no chão da sala” (que ele registrou em foto – acima).
Mais: – “Policial relata que estão sem Internet, sem linha de telefone, e, pasmem, faltam até algemas para se trabalhar”.
E o coro avança: S.O.S. RN
Mais notícias no Twitter da Abelhinha/TN

CASA PARA VENDER EM APODI-RN



 
O professor GILSON LEITE, resolve vender sua BIG HOUSE (casa grande), localizada próximo ao hospital, na Rua Sebastião Pinto nº 65 em Apodi-RN. 

A casa atende ao estilo arquitetônico americano dispondo de uma área total de 440m2, sendo 223m² de área construída. Com 03 quartos, sendo duas suítes, duas salas, uma cozinha ampla com área de serviço, 04 banheiros, área de lazer com churrasqueira, jardim, alpendre e um hall na garagem com espaço para 02 veículos. Rede elétrica trifásica e rede hidráulica com material de 1ª qualidade – Tigre e Pial Plus. Possui um poço artesiano com água doce. Telhado sobre laje. Escritura pública em cartório sem nenhum ônus à União.


Telefone para contato: 84 9157 0459. Preço a tratar com visitas sem compromisso.

TRAJETÓRIA DO CANTOR WANDO



Wanderley Alves dos Reis nasceu em 2 de outubro de 1945, em Cajuri, em Minas Gerais. O apelido Wando foi dado ao cantor por sua avó, quando ainda era criança. Em Juiz de Fora, formou-se em violão erudito e começou a trabalhar como músico aos 20 anos de idade. Em 1973, gravou seu primeiro álbum, "Glória a Deus no céu, e samba da terra".
Conhecido por ganhar calcinhas das fãs, Wando lançou, no total, 28 álbuns ao longo da carreira e consagrou-se como um dos principais representantes do gênero brega-romântico. Seu grande hit é a canção Fogo e Paixão, do disco "O Mundo Romântico de Wando", de 1988. O trabalho mais recente foi lançado em 2005, "Wando - Romântico brasileiro, sem-vergonha". 

"Não são só os pobres as vítimas da violência"


O professor apodiense Edmilson Lopes Júnior, 50 anos, leciona e é doutor em Sociologia no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele tem pesquisas feitas na área da criminalidade e disse que o assalto a uma padaria em Petrópolis, no meio da semana passada, é muito significativo, "porque se estava numa área da cidade que pretensamente seria mais protegida, e de alguma forma são os setores de classe média e alta da cidade, como ocorre na periferia e as pessoas morrem o tempo todo e isso não repercute". Lopes disse que "não estava afirmando que não foi grave, foi de brutalidade enorme e sem tamanho o que ocorreu", mas o que expressa e provoca mais medo "é a sensação de vulnerabilidade para quem se achava imune à violência".
Essa escalada da criminalidade muda o comportamento das pessoas?
Com certeza, as pessoas percebem, principalmente as pessoas de classe média, que o mundo que elas construíram a partir de uma saída privada para a segurança, como a construção de cercas elétricas e guaritas privadas, não as tornam imunes à violência aqui, assaltos recentes como o da padaria em Petrópolis aponta a vulnerabilidade a que todos nós estamos expostos e a necessidade de que a cidadania encare a questão da segurança como uma responsabilidade de todos. Não são só os mais pobres que são vítima da violência e da criminalidade, mas também, com menos frequência, as classes média e alta da sociedade. Também muda o comportamento dos delinquentes e da população, se tem duas coisas, as pessoas gastam com segurança, é um dado cruel no Brasil, a segurança pública não é um direito da cidadania, é algo que você tem de comprar, quem não pode pagar caro fica à mercê. 
Mas qual a raiz dessa escalada da violência?
Seria tentador e talvez mais convincente apontar uma causa determinante e focar exclusivamente nela. Entretanto, a resposta é um pouco mais complicada, eu diria que a sensação de insegurança e de aumento da violência é resultado de um conjunto de fatores. De um lado eu acho que há a percepção da população de medo e disseminação desse medo mesmo e tem algumas referências concretas: a violência contra a propriedade e à pessoa é um dado. Nos últimos 30 anos por exemplo, tivemos uma evolução muito grande no número de homicídios no Brasil, principalmente nos anos 90. A partir de 2005 a gente começou a diminuir os índices de homicídio em algumas regiões do país e em outras começamos a aumentar, que é o caso do Nordeste. Em São Paulo estamos próximos do que é recomendado pela ONU como o índice aceitável que é 10 para cada 100 mil. Em Alagoas são 120 homicídios para cada 100 mil, na Bahia 57 para 100 mil. Se pegar faixas distintas da população isso aumenta, de 15 a 25 anos, em todas as capitais dobra, como é o caso de Natal. Por outro lado, temos os chamados "buracos negros", a ineficiência estrutural da segurança pública em lidar com isso, porque a sensação de segurança tem relação com um conjunto de situações que nem sempre o aparelho de segurança tem capacidade de aprender, como por exemplo os roubos que não são registrados e pequenos delitos que as autoridades não captam mas o cidadão percebe.
Como o poder público pode atuar para reduzir os índices de criminalidade nas grandes cidades?
Na verdade não se trata de inventar a roda, existem propostas como o Pronasci do governo federal, que identificam áreas prioritárias de interesse social, áreas que tem mais riscos de violência contra a propriedade e contra a pessoa. Tem duas saídas, uma é a privada, a pessoa morar em condomínio fechado, se armar, mas numa hora sai de casa e vai ser assaltado. É possível enfrentar essa situação, é possível diminuir o número de homicídios, existem experiências que mostram que é possível. Algumas coisas são importantes - Lei Seca na periferia, por exemplo. Identificar áreas de intervenção social e a Policia tem esses dados, identificar os chamados "pontos quentes" da violência, até as ruas onde ocorrem os assassinatos, cometidos por pessoas que se conhecem, brigas em bares, essas coisas, esse tipo de violência é muito fácil de ser combatida, é mais policiamento ostensivo e emprego de estratégia de organização da distribuição da Policia. Em segundo lugar, programas e projetos de incorporação de jovens, tem-se uma parcela significativa da juventude que o único espaço que tem de lazer é ir para o canto da rua beber e escutar som alto, incomodar os vizinhos. Então, tem de se construir alternativas disso.
Óbvio que isso não é de curto prazo, é de médio prazo. Agora, nós temos de enfrentar uma coisa que é concreta, porque temos uma situação de impunidade elevada, que aumenta e cria condições para que o crime se reproduza, porque o delinquente não é um sujeito que está num mundo à parte, ele faz cálculo como eu e você, sabe que uma atitude implica em risco, quanto menor a punição de uma sociedade para o crime, menos o risco da atitude do delinquente.
As questões sociais, culturais, educacionais também têm implicações no aumento da criminalidade?
Isso implica. Mas tem coisas, porque a sociedade brasileira fala tanto nisso, é preciso superar esse discurso comum. O Estado do Brasil que tem o menor índice de violência é o Piauí, qual é o pais da América Latina que é o mais pobre? a Bolívia, os índices de violência são quase iguais aos da Suíça. Pobreza não explica violência, isso é "papo furado", a segunda coisa é o seguinte: impunidade, desigualdade extrema, isso sim, mas tem algumas coisas que são fundamentais, a polícia em todo mundo, a polícia ganha dinheiro do governo na hora em que mostra resultado, esclarecimento das situações e dos casos, no Brasil 15% ou 20% dos homicídios são esclarecidos, a gente tem de chamar uma força tarefa nacional pra vir aqui para lidar com isso.
Além do magistrado, o procurador-geral de Justiça, Manoel Onofre Neto, o juiz de Execuções Penais, Henrique Baltazar, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RN, José Maria Rodrigues Bezerra, o secretário estadual de Justiça e Cidadania, Fábio Hollanda, a procuradora Valdira Câmara e promotora de Nísia Floresta, Maria Zélia, se reuniram com o diretor de Alçacuz, o tenente-coronel Zacarias Mendonça. Ele relatou os problemas enfrentados diariamente na maior casa de custódia do Rio Grande do Norte e ouviu que dos representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário que era preciso agir para contornar a situação caótica do presídio. Segundo levantamento dos agentes penitenciários, Alcaçuz abriga hoje cerca de 850 homens.
O desembargador Cláudio Santos cobrou do Governo do Estado, representado pelo secretário Fábio Hollanda, mais responsabilidade com o sistema penitenciário e a imediata contratação de 57 agentes penitenciários que já fizeram o curso de formação. Para isto, o magistrado e o procurador-geral de Justiça, Manoel Onofre Neto, irão se reunir com a governadora Rosalba Ciarlini para informá-la da urgente necessidade da convocação destes profissionais. "Se continuar como está, chegará a um ponto no qual haverá uma carnificina ou mais fugas em massa. A população está atemorizada com o descalabro do sistema", destacou Cláudio Santos. 
O procurador-geral de Justiça, Manoel Onofre Neto, afirmou que a situação relatada pelo diretor da unidade prisional é mais preocupante do que se imaginava. "Existe uma dificuldade imensa no gerenciamento do custeio deste presídio. Há, ainda, uma fragilidade e vulnerabilidade no funcionamento", destacou Onofre Neto. Ele confirmou que um relatório será produzido pelo juiz corregedor de Alcaçuz para ser entregue à governadora Rosalba Ciarlini. Junto com o relatório, o procurador pretende encaminhar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), no qual recomendará a convocação imediata dos agentes penitenciários formados em curso. "Os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), não serão um impeditivo para que o Governo convoque os agentes", comentou o procurador.
Tanto Manoel Onofre Neto quanto Cláudio Santos cobraram investimentos e respostas emergenciais por parte do Governo. O procurador-geral de Justiça afirmou que o Ministério Público continuará contribuindo com ações pró-ativas relacionadas à melhoria do sistema penitenciário estadual e irá fiscalizar cada vez mais. O desembargador Cláudio Santos ressaltou que a sociedade potiguar pede mais segurança. "Nós não seguramos presos na base do discurso. Há um temor da população potiguar com a sucessão de assaltos que são veiculados diariamente", destacou o magistrado.

TN Online.

AOS 66 ANOS MORREU O CANTOR WANDO



Morreu hoje, às 8 horas, o cantor Wando, de 66 anos, que estava internado no Biocor Instituto, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais desde o dia 27. Segundo o hospital, ele sofreu uma parada cardíaca.

Wando vinha apresentando melhora em seu quadro de saúde e chegou a divulgar um bilhete, apresentado no Fantástico, da TV Globo, no último domingo, onde estava escrito "Eu estou na oficina de Deus arrumando a turbina. Me aguardem!".

Wando foi internado com dores no peito e quando se preparava para um cateterismo, o quadro se agravou, evoluindo para um enfarte, obrigando os médicos a submeterem o cantor a uma angioplastia de urgência para desobstruir as artérias do coração. Desde então, o cantor vinha sendo mantido sedado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), respirando com auxílio de aparelhos.












APODI FICA DENTRO DO PROGRAMA "RN MAIS JUSTO"


A Governadora do Rio Grande do Norte Rosalba Ciarlini e o Secretário de Estado do Trabalho e da Assistência Social (Sethas), Luiz Eduardo Carneiro, apresentaram na última quarta-feira (1) a Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome – MDS, Tereza Campello o “Programa RN Mais Justo”, versão dada no âmbito estadual ao plano Brasil sem Miséria. A cópia do programa foi entregue a ministra durante audiência realizada na sede do MDS, em Brasília (DF).


O Programa RN Mais Justo beneficiará 25 municípios do Alto e Médio Oeste Potiguar. Estes municípios que serão beneficiados foram definidos por critérios técnicos, para isso o governo cruzou indicadores sociais como taxa de analfabetismo, Índice de Desenvolvimento da Educação- IDEB, taxa de mortalidade infantil; analfabetismo; esgotamento sanitário; abastecimento d’água e percentual da população dos municípios em condições de extrema pobreza.

A iniciativa do programa prevê ações estratégicas de combate à extrema pobreza, como o acesso à água, esgotamento sanitário, plantio, habitação, energia elétrica, escola, saúde, cultura, esportes, terra, segurança alimentar, ocupação e renda, entre outras. Para desenvolver estas ações será utilizada praticamente toda a estrutura administrativa do Governo do Estado sob a coordenação da Sethas.

Os 25 municípios potiguares beneficiados inicialmente com o programa serão: Apodi, Baraúna, Campo Grande, Coronel João Pessoa, Caraúbas, Dr. Severiano, Encanto, Frutuoso Gomes, Luiz Gomes, João Dias, Marcelino Vieira, Martins, Olho D’água do Borges, Paraná, Patu, Portalegre, Rafael Fernandes, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, São Miguel, Serra do Mel, Taboleiro Grande, Umarizal, Upanema e Venha-Ver.

Fonte: Janduís Turismo.

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO