domingo, 9 de dezembro de 2012

Avião da Gol faz pouso de emergência no Aeroporto Internacional Augusto Severo

Uma aeronave da Gol Linhas Aéreas que saiu de Natal com destino ao Rio Janeiro, na madrugada deste domingo (9), precisou retornar ao aeroporto Internacional Augusto Severo porque apresentava problemas em um dos trens de pouso, segundo informações da Infraero. O voo 1703 já estava sobrevoando a cidade de Recife (PE) quando o comandante informou aos passageiros que seria necessário voltar ao Rio Grande do Norte, mas sem dizer o motivo.
Parte dos passageiros, segundo informações apuradas junto à Infraero, foi realocada em voos de outras companhias, e outros enviados para hotéis em Natal. O voo 1703 da Gol Linhas Aéreas voltou a decolar por volta de 2h da madrugada de hoje, mas não há confirmação se era a mesma aeronave.

A reportagem manteve contato com a assessoria de imprensa da Gol Linhas Aéreas, que enviou uma nota oficial da companhia, conforme segue:

"A GOL informa que a aeronave que operava o voo G3 1703 (Natal/Rio Grande do Norte - Rio de Janeiro), precisou retornar ao aeroporto de origem após decolagem para passar por manutenção corretiva no sistema hidráulico. O desembarque dos 133 clientes ocorreu normalmente e a aeronave irá passar por manutenção.

Para melhor atender os clientes, a GOL providenciou alimentação, acomodação de três clientes em congênere e a substituição do avião, que decolou do Aeroporto de Salvador com destino a Natal. Onze clientes optaram por efetuar a remarcação do voo.

O pouso no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão ocorreu normalmente, assim como o desembarque dos 119 clientes a bordo. A companhia lamenta o desconforto, mas reitera que ações como essa visam garantir a segurança operacional, item prioritário em sua gestão."

*Fonte: TN Online.

JOÃO ELIAS (PMDB) FAZ COMENTÁRIO NO APODI BAIXO DO PANO

Prezado amigo e Apodiense De Assis Oliveira,

Ao ler a matéria publicada em seu blog intitulada como: “PMDB X PMDB – Disputa pela presidência da sigla em Apodi”, fiquei meditando se as pessoas que estão verdadeiramente por trás dessa matéria mereceria algum tipo de resposta por parte de qualquer membro da atual executiva do PMDB, haja vista se tratar de figuras nocivas à reformulação pretendida pelo nosso partido.

Pois bem, aí me vieram várias análises acerca da aludida matéria, oportunidade em que pensei muito, devo manifestar-me ou manter-me inerte. De imediato comecei a conversar comigo mesmo: será que o silêncio é a melhor reposta, aí cheguei a conclusão que não! Porque quando fazemos uma pergunta, escrevemos ou chamamos por alguém, queremos certamente uma resposta, se possível rápida. Se isso não for possível, tudo bem, mas a resposta cedo ou tarde deve chegar. O silêncio dado como resposta, nos dá margem para muitas interpretações ou conclusões, e nem sempre somos suficientemente capazes para "imaginar" o que ele quer nos dizer.

Ademais, todo questionamento merece uma resposta, mesmo aquele considerado de POUCA IMPORTÂNCIA, pois pra quem o fez, a resposta certamente o será. As únicas respostas interessantes são aquelas que destroem as perguntas... e isso não se pode negar!!!

Na maioria das vezes o silêncio não é a melhor resposta, e sim, a pior resposta, pois tratar o semelhante com indiferença (ficar em silêncio) é muito pior que qualquer PALAVRA dita. Falar é uma escolha, não uma exigência. Você pode escolher o silêncio. Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados. ME ARREPENDO DE COISAS QUE DISSE, MAS JAMAIS DO MEU SILÊNCIO.

Portanto, ao decidir manifestar-me acerca da citada temática, na qualidade de membro da executiva do PMDB, legalmente constituída, fiz nos seguintes termos:

1) É inverídica a informação de que há disputa interna pela presidência do nosso PMDB e, se houvesse, seria uma demonstração clara e inequívoca da força desse partido perante a sociedade, eis que ninguém briga por partido sem expressão eleitoral;

2) As pessoa citadas na referida matéria (leia-se Pinheiro e Agostinho), são pessoas que no passado recente, principalmente o Sr. Agostinho Pinto, por não terem logrado êxitos em suas pretensões pessoais junto ao governo do PMDB, tentaram destruir e jogar a história do nosso partido na lata do lixo (a militância sabe muito bem disso);

3) Essas “grandes figuras” foram, também, em face de atos de fraquezas, taxadas pela nossa militância como a turma do “joga a toalha”, que imaginavam que a luta por um partido mais próximo das causas populares, das massas, do social, da volta ao debate ideológico, dos debates acalentadores das utopias, fosse praticamente impossível, uma vez que, utilizando-se de discurso fácil, criticavam o atual modelo de fazer política da chamada cúpula do PMDB municipal sem nada realizar para modificar o que defendiam ser equivocado;

4) As metas principais a serem atingidas pela atual militância são, dentre outras, reformular, reconstruir o partido, incentivando todos os partícipes desse processo, para dentro de uma participação qualificada, conquistarmos políticas públicas para nossa sociedade e nos prepararmos com nomes qualificados e eficientes para os embates políticos vindouros;

5) Modesta à parte, mas o atual diretório do partido é o mais pluralista da sua história, capaz de permitir que qualquer membro, de qual posição hierárquica do diretório, venha a público manifestar a sua opinião acerca de tema que relaciona a imagem do nosso partido, como ora o faço, sem que tenha que pedir autorização ao presidente do diretório para tal fim, eis que as suas atribuições partidárias são outras;

6) Em nome de todos os militantes, consigno, outrossim, que qualquer decisão a ser tomada pelo nosso partido, doravante, será a mais democrática possível, e será necessariamente compartilhada e exigirá a manifestação eloqüente da nossa maior liderança que é a Prefeita Goreti Pinto, em razão da sua biografia e luta que sempre teve em prol do nosso partido, bem como os nossos únicos dois vereadores Nilson Fernandes e Júnior Souza;

7) Por fim, o nosso partido sempre esteve e estará de portas abertas para receber qualquer cidadão ou cidadã dos mais variados segmentos de nossa cidade, contudo, este(a), por sua vez, deverá comparecer desprovido de qualquer sentimento de individualidade ou ambição por interesses pessoais que não se coadunam com os princípios éticos e morais da nossa agremiação partidária.


"A persistência é o caminho do êxito." (Charles Chaplin)
João Elias - 8 de dezembro de 2012.

MEC aponta UFRN como melhor universidade federal do Norte e Nordeste

*Do DN Online.
A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) se classificou como melhor universidade federal das regiões Norte e Nordeste do País no Índice Geral de Cursos (IGC), posto antes ocupado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A UFRN, que tinha se classificado em 3º lugar na avaliação anterior, conquista o 1º lugar com o conceito 3,66, equivalente à faixa 4 do Índice.
O IGC é indicador criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) do Ministério da Educação (MEC), que avalia anualmente o desempenho dos cursos de graduação e das pós-graduações das instituições de ensino superior do Brasil.
O IGC considera o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) e o Conceito Preliminar de Curso (CPC) para o cálculo do conceito final de cada instituição, que varia de 1 a 5. O índice é a média ponderada do conceito obtido por todos os cursos de graduação, mestrado e doutorado de cada instituição.
Neste ano, foram avaliados 30 cursos da UFRN no ENADE 2011, considerando que os cursos que possuem duas modalidades (licenciatura e bacharelado) são avaliados separadamente, contando como dois cursos. O Índice considera desde o desempenho dos estudantes até o corpo docente, proposta pedagógica, infraestrutura, entre outros.
Ao todo, 11 cursos obtiveram conceito máximo no Exame, sendo nove destes lotados no Campus Central e dois lotados no Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES), da cidade de Caicó. O resultado representa uma porcentagem de 40% (36,6%) do total avaliado.
Desde a criação do IGC, em 2007, a UFRN demonstra crescente aumento no cálculo do conceito final, tendo permanecido sempre na faixa 4 do Índice. Em 2007, o conceito contínuo da Universidade foi de 3,38, evoluindo para 3,66 em 2011. (A faixa 4 do IGC contempla as instituições avaliadas com conceitos entre 2,95 e 3,94).

Jovem é morto dentro de casa na cidade de Tibau

O crime aconteceu por volta de 20 horas e 30 minutos de sábado, 08 de Dezembro de 2012, na Rua 22 de Dezembro, no centro da cidade de Tibau.
Carlos Micael Barroso, 22 anos de idade, foi alvejado varias vezes e morreu no quarto da residencia, onde morava com a esposa e uma irmã.
Segundo informações da irmã, Micael era usuario de droga e tinha pego uma certa quantidade do entorpecente na cidade de Grossos, prometendo pagar hoje. A tarde dois individuos chegaram na sua residencia e ele disse que não estava com o dinheiro. Os individuos foram embora e no inicio da noite voltaram para executar a vitima.
A irmã de Micael disse que estava deitada na area da casa quando ouviu os disparos. Assustada, percebeu um dos individuos pular o muro e o outro saindo pelo portão da frente da residencia. Ela disse a policia que eram os dois que estiveram a tarde cobrando a divida do irmão.
No dia 24 de dezembro de 2011, o adolescente "Denis Paula de Oliveira", de apenas 16 anos, foi encontrado morto em um matagal em cima de um morro nas proximidades do Clube Álibe, em Tibau. O responsavel pelo crime foi outro adolescente, irmão de Micael, que se encontra detido.
Segundo informações, o pai de Micael e do adolescente acusado de matar "Denis", abandonou a casa e foi embora da cidade. A policia militar não sabe informar se existe relação entre a morte de Micael com a de Denis.
A policia militar de Tibau sob o comando do Ten J. Pereira, já tem o nome dos acusados e está está em diligencia tentando capturá-los.
Até as 23 horas o corpo do jovem permanecia no local, com a proteção da policia militar.
*Informações e imagens: O Câmera.
 

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO