terça-feira, 6 de agosto de 2013

Cidade vive festa da padroeira dos marítimos

 
Foi aberta oficialmente ontem, 5,a tradicional festa de Nossa Senhora dos Navegantes, padroeira dos marítimos. Destaque no calendário sociorreligioso do município e da região, os festejos vão até o dia 15 deste mês.

“Com a Mãe dos Navegantes, Lançamos as Redes da Fé” é o tema geral da festa este ano.

O ponto alto desse primeiro dia de programação, foi a acolhida dos devotos no Cais Tertuliano Fernandes, vindos da cidade de Grossos com a imagem da santa, e missa da abertura da festa na igreja matriz, presidida pelo padre José Venturelli.

Em seguida, houve a procissão saindo da igreja matriz para a Igreja dos Navegantes, com a multidão percorrendo as principais ruas do perímetro urbano.

Na a Igreja dos Navegantes houve cerimônia de hasteamento de bandeiras, oficializando a abertura dos festejos da padroeira dos marítimos, com a presença da prefeita Luana Bruno (PMDB), vereadores, entre outras autoridades municipais. A comunidade católica compareceu em grande número.

A partir desta terça-feira, 6, até o dia 14, véspera da festa de Nossa Senhora dos Navegantes, haverá celebração de missa às 6h e novena às 19h, na Igreja dos Navegantes.

*Voz de Areia Branca.

Feira do Livro de Mossoró acontece esta semana


Começa nesta quarta-feira, dia 7, a 9ª Feira do Livro de Mossoró. O evento acontece no período de 7 a 11 de agosto, e traz muitas novidades para os participantes.

O West Shopping é o local que vai reunir os convidados, stands, instituições parceiras e mobilizar toda a programação.

Para à noite de abertura, o escritor Pedro Bandeira vai falar sobre a Importância da Leitura para o Público infantojuvenil e as suas Obras Literárias.

O escritor e crítico literário José Castello participa no sábado, 10 , e aborda a obra de Vinícius de Moraes, juntamente com o professor Aluísio Barros.

Para encerrar o evento, na noite do domingo, 11 , o poeta Lirinha vai declamar e contar muitas histórias.

A música e a literatura estão mescladas nesse ano comemorativo do centenário de Vinícius de Moraes, mas várias outras temáticas estarão presentes na feira. Mídias sociais e poesia, a história do forró, os quadrinhos e o aprendizado em sala de aula, o legado de Paulo Freire e vários outros assuntos serão debatidos durante  os cinco dias de programação.

O cordel também será um grande destaque esse ano, pois pela primeira vez os cordelistas do estado estarão reunidos com artistas de vários outros estados do nordeste e do norte, promovendo um grande encontro cultural.

A  Feira do Livro de Mossoró tem o patrocínio da Cosern e Governo do Estado, através da Lei Câmara Cascudo, e apoio do Sebrae, Fundação José Augusto, Prefeitura de Mossoró, West Shopping e Hotel Villa Oeste.
 
*JBelmont.

Motorista de ônibus será indiciado por homicídio doloso

O inquérito do acidente que envolveu um trem e um ônibus na manhã do dia 10 de julho, na avenida Bernardo Vieira, foi concluído nesta segunda-feira (5). O delegado responsável pelo caso, Sérgio Leocádio, informou que pedirá indiciado do motorista do ônibus da linha 10/29 da empresa Reunidas, Erivan Gomes Aureliano por homicídio doloso - quando há intenção de matar.

No depoimento, o motorista contou que estava escutando música em caixas de som no momento da colisão. Fato que foi corroborado em depoimentos de testemunhas que estavam dentro do veículo. O barulho teria, supostamente, atrapalhado e impedido que o condutor ouvisse o apito do trem.

O indiciamento no inquérito registrou que pelo motorista não ter observado as normas de segurança, estar ouvindo música e conversando com passageiros, responderá por negligência. Após a colisão e o tombamento do ônibus, o adolescente Francisco Davi de Almeida Teixeira, de 15 anos, morreu no local e os outros passageiros ficaram feridos.

Os maquinistas

Já os maquinistas do trem, Nilson de Jesus e Josadac Bernardino de Oliveira, foram indiciados por omissão de socorro. No dia do acidente, a assessoria de imprensa da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que é procedimento padrão que os trens, sempre que puderem, prossigam com o percurso, mesmo após acidente. A medida seria uma forma de preservar o maquinista de possíveis tentativas de linchamento por parte da população. O procedimento foi confirmado em depoimento pelos maquinistas. Segundo o delegado, esta não prestação de socorro foi um agravante para o indiciamento.

O inquérito concluiu ainda que a responsabilidade da sinalização do local do acidente e as medidas preventivas na passagem de nível são da Prefeitura Municipal do Natal e da CBTU. Dessa maneira, ambas responderão civilmente e as vítimas poderão recorrer particulamente à Justiça. As assessorias de imprensa da Prefeitura de Natal e da CBTU informaram que os órgãos ainda não foram notificados e que a partir de amanhã poderão se pronunciar oficialmente sobre a decisão.

*TN

Quadrilha presa no RN queria matar delegada, promotor e policial federal

Suposto grupo de extermínio foi preso nesta terça na operação Hecatombe. Bando ainda tentou resgatar chefe na maior penitenciária do estado.

Uma delegada de Polícia Civil, um promotor de Justiça e um agente da Polícia Federal estariam marcados para serem mortos pelo suposto grupo de extermínio preso na manhã desta terça-feira (6) no Rio Grande do Norte. A informação foi confirmada pelo delegado Alexandre Ramagem, da Divisão de Direitos Humanos da Polícia Federal. O grupo, segundo a Polícia Federal, é apontado como sendo responsável por pelo menos 22 homicídios com características de execução no estado. A operação foi denominada Hecatombe - em referência ao sacrifício coletivo de muitas vítimas.

PMs do RN são presos suspeitos de participação em crimes de homicídio

Ainda segundo a Polícia Federal, o grupo cobrava entre R$ 500 e R$ 50 mil para executar as vítimas, o que configura que a quadrilha também atuava com pistolagem. "Mas houve um caso em que uma morte se deu por um motivo mais que banal. Um dos presos executou uma pessoa apenas para 'estrear' uma pistola que havia comprado", disse o Ramagem.

O grupo, ainda segundo a PF, também teria planejado resgatar o soldado Wendell Fagner Cortez, apontado como um dos chefes do grupo, que está preso no quartel do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), que fica na zona Norte de Natal. Procurada pelo G1, a advogada Kátia Nunes, responsável pela defesa do policial, informou que ainda irá se informar sobre as suspeitas envolvendo seu cliente.

Delegado federal Alexandre Ramagem explica operação Hecatombe, realizada no RN (Foto: Igor Jácome/G1)


Delegado federal Alexandre Ramagem fala sobre

Operação Hecatombe (Foto: Igor Jácome/G1)

Dos 21 mandados de prisão expedidos pela justiça, 17 foram cumpridos. Quatro pessoas, sendo dois policiais, são consideradas foragidas. Entre os presos há sete PMs. Segundo o delegado federal, os suspeitos presos por força de mandado temporário também são suspeitos de outros crimes. "É um grupo de alta periculosidade. Eles chegaram a produzir coletes e distintivos da Polícia Federal. Se passaram por policiais civis para executar vítimas", revelou.

O grupo tinha geralmente três chefes. "Isso mudava. Alguns chegaram a sair por desavença", comentou. Eles escolhiam quem seria o executor, ou quem levantaria informações sobre a vítima, entre outras coisas", disse. Entre as vítimas também havia policiais militares. As investigações ainda apontaram que o grupo também assassinava pessoas por motivos como desavença e disputa por tráfico de drogas. "Demonstravam total desapego à vida. Começaram por motivos financeiros, mas o caminho levou à banalização da vida", comentou o delegado.

As investigações teriam começado há cerca de um ano, através de uma solicitação do Centro de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança e Defesa Social. "A gente sabe que esse tipo de crime está se tornando muito comum no nosso estado e queremos combater para dar tranquilidade e segurança à população", apontou o secretário Aldair da Rocha. O Ministério Público do Estado também contribuiu com as investigações.

A operação abrange os municipios de São Gonçalo do Amarante, Parnamirim e Cerro Corá. Ao todo, participaram da ação 215 policiais federais, sendo que 30 deles são do Comando de Operações Táticas Especializado em Operações de Alto Risco, de Brasília.

*Fonte: JBelmont.