domingo, 22 de setembro de 2013

SÉTIMA BALEIA É ENCONTRADA MORTA COM MARCAS DE MORDIDA DE TUBARÃO

Era aproximadamente 14h00 um sétimo animal foi localizado por banhistas e ambientalistas do Projeto Cetáceos da Costa Branca na praia de Upanema. A baleia foi avistada morta sendo levada pela maré para a areia da praia sem vida e com vários ferimentos.
De acordo com relatos do Doutor Flávio Lima, coordenador dos trabalhos de resgate e salvamento dos mamíferos, os ferimentos são característicos de mordidas de tubarão.
Os ambientalistas e voluntários removeram a baleia morta içados por uma corda com auxílio de um carro tracionado.
Informações e imagens: Voz de Areia Branca.
Foto: Carlos JúniorFoto: Carlos Júnior

Ossada do sanfoneiro desaparecido em João Dias foi localizada por um caçador

Uma ossada humana foi encontrada por um caçador por vola de 4 horas da manhã de domingo 22 de Setembro, na Serra do Peba, no sítio Alívio no município de Almino Afonso.

O fato foi comunicado ao comandante do pelotão de polícia e uma viatura de Rádio Patrulha foi para o local e acionou a família que reconheceu o que sobrou da roupa como sendo “Francisco Ivanildo Alves”, o sanfoneiro de 46 anos de idade, no município de João Dias há quase 3 meses.

Uma equipe da Unidade Regional do Instituto Técnico e Científico de Polícia, ITEP, removeu a ossada para ser examinada na sede do órgão.

*Informações Sgt Klevson/Cb Herculano/O Câmera.

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE AS BALEIAS ENCALHADAS NO LITORAL DE AREIA BRANCA


Cerca de 30 baleias da especie piloto foram vistas desorientadas por volta de 4 horas da manhã de domingo 22 de Setembro, na praia de Upanema, em Areia Branca. Pelo menos 18 encalharam e foram recolocadas no mar por populares com apoio de profissionais do Projeto Cetáceos da Costa Branca da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte e Petrobras e Policia Ambiental de Mossoró. Seis não resistiram e morreram.

Segundo informações, a presença dessa espécie na costa do Atlântico é um fenômeno raro e só existe um caso registrado no Rio Grande do Norte e cinco em todo Brasil. Os Estados que registraram a presença da espécie são: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia e São Paulo. Baleia Piloto é uma especie de golfinho chamado baleia por causa do tamanho e está ameaçado de extinção.

Duas Biólogas que participaram no resgate das baleias não souberam informar o que teria provocado o fenômeno. Amostras de tecidos e sangue foram colhidos e serão analisados em laboratório para tentar descobrir as eventuais causas das mortes dos mamíferos. 

De acordo com biólogos, a baleia piloto não é costeira. Esses animais chegam a medir até 8,5 metros de comprimento, de coloração negra, cabeça em forma de globo sem bico definido e dentes presentes.
Os animais foram recolhidos com auxilio de duas retro escavadeiras da Prefeitura Municipal de Areia Branca, levados para necrópsia e posteriormente serão enterrados. Os locais da necrópsia e enterro não foram revelados.

*Fonte: O Câmera.
*Imagens: Carlos Júnior.

DE CÉSAR SANTOS: CAMPUS DA UERN DE APODI ESTÁ CRIADO, MAS QUEM VAI PAGAR A CONTA?

Criado o campus de Apodi da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Por decisão do Conselho Universitário (CONSUNI), atendendo apelo – justo – dos estudantes apodienses e, sem intenção, oferecendo o discurso de ocasião de uma penca de políticos que “lutaram” em favor do benefício.

Ótimo, certo?

Nem tanto.

Da criação à implantação existe um enorme caminho a ser percorrido. Cheio de dificuldades, reconheça-se. Antes de comemorar a vitória, é recomendável observar a situação de forma real. Existem pontos delicados e desafiadores que precisam ser equacionados.

Primeiro, de onde virão os recursos para a construção do campus, hoje orçamento em R$ 20 milhões. Uma emenda ao Orçamento Geral da União (OGU), de autoria do deputado Fábio Faria (PSD), bancaria a obra. Mas, aproximando-se do final do exercício 2013, teria tempo para a União disponibilizar a verba?

Segundo, o Governo precisaria comprometer, pelo menos, R$ 5 milhões para cada curso criado.
Terceiro, seria necessária a cobertura orçamentária para sustentar os corpos docentes e técnicos, selecionados através de concurso público.

Esse conjunto de coisas e necessidades, reconhecidamente complexas, se soma ao momento de profunda crise que atravessa a instituição de ensino superior. Desde o processo de expansão da Uern, sem um projeto elaborado, com a implantação de unidades nas mais diversas regiões do Estado, que a universidade perdeu o seu rumo, principalmente de ordem administrativa/financeira.

As dificuldades são enormes e de conhecimento de todos, haja vista a exposição que a Uern foi submetida na recente disputa pela Reitoria.

Portanto, o campus de Apodi, criado agora, certamente levará tempo para a sua instalação e consolidação. Os que procuram se aproveitar da vitória do momento, como “pais” e “mães” da “criança”, devem ter o devido cuidado para a cobrança no futuro.

O campus da Uern de Apodi corre enorme risco de se transformar em produto de bodega, com o ditado popular: “Tem, mas tá faltando”.

Do Blog de César Santos.

DE JOTA PAIVA: REAGINDO PELA EDUCAÇÃO

Impressiona-me como as pessoas decidem agir por impulso. Dizem o que pensam ser correto e se baseiam em ouvir dizer. Agem pela própria natureza, mesmo que seja em desfavor de si. Por exemplo: qual a vantagem de ver um sujeito que vem de família simples, nascido na periferia ou nas pequenas comunidades rurais, sugerir o fechamento de unidades de uma universidade? Digo talvez que por ignorância ou pior, por arrogância baseada no desconhecimento.

Esse foi o cenário que tive de conviver nesta semana que passou. Inquieto como sou, não suporto ouvir alguém discursando contra aquilo que acredito e reajo de pronto. Dói em mim quando presencio uma injustiça ou uma incongruência. Tudo começou com a possibilidade de aprovação do Campus da UERN em Apodi – que acabou sendo aprovado. De repente, apareceram tantos contrários que me vi nas linhas inimigas.

É sabido por todos que a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte vive uma de suas piores crises financeiras. Não por falta de dinheiro, pois o Estado dispõe de recursos para pagar supersalários, construir estádio de futebol ou duplicar grandes avenidas turistas – obras também importantes, embora menos prioritárias, a meu ver, do que a universidade. Mas a UERN está em crise. Há anos falta estrutura básica no campus central, nos cinco campi avançados e, principalmente, nos 11 núcleos avançados.

Com a iminência da construção de mais um campus, instalou-se a polêmica. Atitude comum, a meu ver, afinal, a universidade é o campo da formação de opinião. Mas ao ver meus iguais reclamando da atitude e sugerindo o fechamento dos núcleos avançados, deu-me ânsia de vômito. Não estranhei o desprezo dos que sempre tiveram vida fácil, mas daqueles que, como eu, comeram, e talvez ainda comam, o pão que o diabo amassou. Ouvir de um sujeito, que só não se tornou excluído por um equívoco do destino, que o Campus ou um núcleo universitário dá prejuízo é tão grave quanto um inocente sendo condenado.

Fiquei sabendo ainda que, provavelmente, não haverá vestibular para os núcleos da UERN, o que significa uma limitação drástica da universidade no interior. Através de dados colhidos na Diretoria de Admissão e Registro Escolar (DARE), levantei que entre 2002 e 2013, passaram por estes núcleos 5.400 pessoas. Destas, uma parte segui outros caminhos, possivelmente dentro da própria universidade e 1.400 concluíram o terceiro grau. De Apodi sei de três que estão fazendo especialização, de uma que está no IFRN e outra que está no mestrado. Fiquei pensando, como seria a vida de toda essa gente sem os núcleos. Quanto isso não representa para o futuro do RN e do Brasil e fiquei imaginando se 1.400 pessoas formadas não valem mais do que um estádio de futebol.

Não importa de onde essas pessoas saíram ou para onde vão, mas, sem a educação que agora têm, tudo seria diferente. Ouvi alguém dizendo que o ensino que receberam não é de boa qualidade, mas quem me disse bebeu do mesmo ensino que eles e com a mesma estrutura. A educação é meio a meio: metade da universidade, metade do aluno. Cresce quem corre atrás, vence quem quer vencer, mas como cidadão deste Brasil de caboclos, de mãe preta e pai João, digo que é melhor aprender debaixo de uma árvore do que não aprender em lugar nenhum.

José de Paiva Rebouças
jottapaiva@gmail.com

1º FORRÓ DAS ANTIGAS NO SÍTIO ESTREITO EM APODI

SENHAS ANTECIPADAS NA LUTA FM, PIZZARIA E LANCHONETE O KANECÃO E COM ROGÉRIO NO SÍTIO ESTREITO !!!

TRINTA BALEIAS ENCALHARAM E CINCO MORRERAM NA PRAIA DE UPANEMA EM AREIA BRANCA-RN

Trinta mamíferos marinhos da espécie baleia-piloto (Globicephala macrorhynchus) encalharam na madrugada deste domingo (22), na praia de Upanema, litoral de Areia Branca-RN.
Os animais foram avistados por volta das 4h00 por um guarda noturno que realizava ronda naquela praia. Os técnicos do Projeto Cetáceos da Costa Branca foi acionado e prontamente iniciou as operações para salvamento os animais que encalharam em uma área que possui muitas pedras.
Utilizando uma embarcação de pequeno porte da Capitania dos Portos, técnicos do Cetáceos da Costa Branca ainda estão no mar tentando encaminhar vários animais para águas profundas. 25 foram devolvidos ao mar com vida. Outras 5 baleias morreram e estão na praia.
Depois do árduo trabalho de salvamento que contou com auxílio de voluntários, os veterinários do monitoramento ambiental, afirmaram que ainda é cedo estimar as eventuais causas do encalhe coletivo. Os animais mortos serão recolhidos para necrópsia no laboratório do projeto.
Em 2011 uma baleia da espécie jubarte encalhou na praia de Upanema e depois de um longo trabalho foi devolvida ao mar.
Informações e imagens: Voz de Areia Branca.

CARROS PIPA PARA 18 CIDADES DO RIO GRANDE DO NORTE

A primeira doação de caminhões-pipa do Governo Federal para o Rio Grande do Norte será realizada nesta segunda-feira (23). Na ação serão entregues 18 equipamentos a 18 municípios, em um investimento de R$ 4,5 milhões do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). As máquinas, da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), serão entregues em Natal, a partir das 9h.

Mais de 70 mil moradores da zona rural, dentre eles cerca de oito mil famílias de agricultores, serão beneficiados. Na avaliação do delegado federal do MDA no estado, Raimundo Costa, o ato reforça outras medidas do Governo Federal de convivência com o semiárido. “A nossa expectativa é que eles possam contribuir, somadas a outras ações que o Governo Federal tem desenvolvido no estado, com a perfuração de poços, barragens submersas, recuperação dos açudes e garantia do acesso à água nesses municípios”, destaca.

Ao todo, 149 municípios do Rio Grande do Norte serão contemplados com os caminhões-pipa, o que totaliza um investimento de R$ 35,3 milhões. “Em 80 municípios do Rio Grande do Norte choveu menos de 300 milímetros este ano e boa parte deles serão beneficiados com a distribuição de caminhões-pipa”, ressalta o delegado.

Os caminhões-pipas integram o conjunto de cinco equipamentos que o Governo Federal vai entregar para o Semiárido – retroescavadeira, motoniveladora, caminhão-caçamba, caminhão-pipa e pá carregadeira.
Equipamento

Localizado no oeste potiguar, o município de Janduís é um dos beneficiados nesta entrega. A prefeita Lígia de Souza Félix conta que esse é o terceiro equipamento doado pelo programa. “Nós já recebemos motoniveladora e retroescavadeira que estão sendo muito uteis para nós. As nossas estradas tiveram uma grande problemática no começo do ano e agora já estamos recuperando todas”, destaca.
A prefeita explica que o caminhão-pipa será utilizado especialmente nas escolas da zona rural. “Vamos colocá-los nas escolas porque não temos água encanada nem reservatório, então abasteceremos com o caminhão. Mas ele também vai passar por todas as residências da zona rural”, afirma.
Tanto o caminhão-pipa quanto o maquinário já doado para o município beneficiam diretamente 600 moradores da zona rural, que produzem desde milho e feijão a diversos tipos de frutas.
Serviço
Data: 23 de setembro (segunda-feira)
Horário: 9h
Local: Escola Dom Eugênio de Araújo Sales– Centro Administrativo
Governo decretou estado de emergência
O Governo decretou a situação de emergência, até março de 2014, em 150 municípios do RN afetados por estiagem prolongada. A seca vem provocando desde janeiro de 2012 a redução das reservas hídricas existentes no Rio Grande do Norte. Apenas 17 municípios ficaram de fora do decreto que estabelece o estado de emergência, publicado pelo Governo Estado no Diário Oficial na última quinta-feira, 19. 

Além da capital Natal, não entraram no decreto os municípios de Arês, Baía Formosa, Ceará-Mirim, Canguaretama, Extremoz, Goianinha, Maxaranguape, Macau, Nísia Floresta, Parnamirim, Rio do Fogo, São Gonçalo do Amarante, São José de Mipibu, Senador Georgino Avelino, Tibau do Sul e Vila Flor. Dos 150 municípios listados no decreto, 110 já recebem água através de operação do Exército Brasileiro e 28 restantes são abastecidos via carro-pipa a partir de contratação pelo Governo do Estado, que está suspensa. O novo decreto vai permitir ao Governo fazer a renovação dessa contratação.

O desabastecimento de água no Rio Grande do Norte tente a piorar até o final do ano. Pelo menos esta é a previsão da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), segundo os estudos das condições climáticas para os meses de setembro, outubro e novembro.

Até agora, a falta de chuvas e os baixos níveis nos reservatórios de água provocou colapsos no abastecimento de 11 cidades atendidas pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern). As cidades atingidas pelo colapso são: Jardim do Seridó, São Fernando, São José do Seridó, Carnaúba dos Dantas, Currais Novos, Equador, Ipueira, João Dias, Pau dos Ferros, Riacho de Santana e São Francisco do Oeste.

Fonte: TN.

05 Baleias encalharam e morreram na praia de Upanema em Areia Branca

Um chamado foi registrada na Central de Operações da Policia Militar de Mossoró, solicitando a presença do resgate da Policia Ambiental. Cerca de 30 Baleias estão circulando próximo ao Hotel na praia de Upanema em Areia Branca.

As 7 horas e 20 minutos recebemos uma mensagem, via Face, que existem 05 baleias encalhadas e já estão Mortas e as equipes já estariam trabalhando, tentando o resgate do animal "Mamífero".

A equipe do Câmera está se deslocando para o local e a qualquer momento teremos mais informações...

Morre ex-músico da banda Circuito Musical e Mimosos, em Caicó-RN

Os Caicoenses foram pegos de surpresa com uma notícia desagradável no início da noite desse sábado.
Corre nas redes sociais a confirmação da morte do baixista Dedé Pessoa, que além da sua história musical com a banda Circuito Musical, enaltecia o estilo "pagode" com a banda "Os Mimosos".

Há meses o música enfrentava uma complicação clínica em face de um CA, fato esse que o deixou praticamente incomunicável nos últimos dias.

Amigos do músico lamentam sua ida precocemente, inclusive o cantor "Naldinho", que fazia dupla à frente dos Mimosos com Dedé, será acompanhado por uma psicóloga para receber a notícia, tendo em vista o vínculo fraterno entre os dois, e Naldinho sempre dizia que não sabia como enfrentar novos dias sem a presença do seu querido amigo.

Lamentável... realmente uma grande perda para a música Caicoense! Que sua ida seja só de corpo, pois sua história e suas atitudes o manterão vivo! Vá, amigo, mas lembre-se que àqueles que conviveram contigo nunca o esquecerão, porque sabem das suas qualidades!!! 

Comentário de um amigo do músico: "Difícil aceitar, mas tudo na vida tem sentido, nosso amigo foi um discípulo na Música, meu maestro na tribo Nativa, um verdadeiro guerreiro incansável nesta luta, que Deus possa guia-lo numa trajetória de sucessos, suas canções vão brilhar feito estrela no céu ! Amigo esteja onde estiver estará sempre na nossas mentes! História não se faz, historias acontecem e você faz parte da história musical de Caicó, do Seridó e do nosso Brasil!" 
 
Jair Sampaio/Via Blog É Sertão/´Patu em Foco.

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO