segunda-feira, 11 de novembro de 2013

ATENÇÃO! TRE decide pelo retorno de Cláudia Regina à Prefeitura de Mossoró

 Prefeita estava afastada do cargo desde a última quinta-feira

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu, por três votos a dois, que Cláudia Regina (DEM) deverá voltar à prefeitura de Mossoró. Ela estava afastada desde quinta-feira (7) por decisão do juiz José Herval Sampaio Júnior, da 33ª zona eleitoral, que julgou procedente a denúncia de abuso de poder econômico durante as eleições de 2012.

Na sentença, o juiz Herval Sampaio Júnior apontou que houve “abuso de poder midiático”. O magistrado afirmou que, durante a campanha, a prefeita teria sido promovida ao usar indevidamente alguns veículos de comunicação da cidade de Mossoró.

O juiz observou que houve aumento “considerável” nos gastos de publicidade da Prefeitura de Mossoró, na época gerida por Fafá Rosado (DEM), e do Governo do Estado. Na sentença, Herval Sampaio Júnior analisou que há uma contradição entre o valor declarado na prestação de contas da prefeita e a realidade dos fatos no gasto com veículos de campanha.


Essa tinha sido a segunda vez que a prefeita foi afastada do cargo. Nas duas vezes, quem assumiu a função foi o presidente da Câmara Municipal, vereador Francisco José da Silveira Júnior (PSD), quem assumiu o Executivo. 


*TN.

160ª Morte violenta em Mossoró em 2013

Após 60 dias, morre mais uma pessoa vitima de ferimentos provocados por disparos de arma de fogo em Mossoró. Sobe para 160 o numero de pessoas mortas de forma violenta na cidade.

Maicon Wendel da Silva Nascimento, 25 anos de idade, servente de pedreiro, residente na Rua Bem me Quer, no Parque das Rosas do Santa Delmira, morreu na manhã de domingo 10 de Novembro de 2013, vitima de ferimentos provocados por disparos de arma de fogo. O servente foi atingido na cabeça três vezes na madrugada do dia 10 de Setembro.


Segundo informações da família o rapaz já estava deitado e resolveu sair para comprar cigarros e quando retornava foi surpreendido por dois indivíduos de motocicleta, que efetuaram vários disparos no meio da rua.


Ninguém sabe quem teria efetuado os disparos e nem a motivação. Maicon tinha envolvimento com consumo de entorpecente e já havia sofrido outras três tentativas de homicídio


No dia do atentado, Maicon foi socorrido por profissionais de uma Unidade de Suporte Avançado “Alfa” do Samu para o Hospital Regional Tarcísio Maia, foi cirurgiado e liberado.


Na manhã de ontem o servente teve seu estado de saúde agravado e morreu, antes da chegada do socorro médico.


*Informações e imagens: O Câmera.
http://ocamera.com.br/imagens/galeria/1855/large/201311111302281384185748.jpg
http://ocamera.com.br/imagens/galeria/1855/large/201311111303121384185792.jpg

Polícia divulga foto de ex-namorado suspeito de matar estudante no RN

Francisco Marcílio é apontado como suspeito
de matar a ex-namorada (Foto: Divulgação/PM)

As polícias Civil e Militar do Rio Grande do Norte divulgaram a fotografia do jovem apontado como principal suspeito de ter matado, a tiros, a estudante Júlia Mariana Torres de Oliveira, de 17 anos. O crime aconteceu na noite deste domingo (10) em Apodi, cidade da região Oeste potiguar. Segundo o delegado Renato Oliveira, o crime tem motivação passional, já que o rapaz teria se vingado da garota porque ela não queria reatar um namoro com ele.

Ainda de acordo com o delegado, o suspeito foi identificado como Francisco Marcílio, de 18 anos, que reside na própria cidade de Apodi. O rapaz é considerado foragido pela polícia.

“Já ouvimos várias testemunhas e não resta dúvida de que foi ele quem matou a garota. Inclusive, hoje mesmo vou representar pela prisão preventiva dele”, acrescentou. O delegado também revelou que Francisco Marcílio chegou a ser detido este ano como usuário de drogas.

Ao G1, o delegado contou que a mãe da estudante ainda não foi ouvida. Segundo ele, a mulher ainda está muito abalada com a morte da filha. O corpo de Júlia Mariana adolescente.

 
Júlia Mariana Torres de Oliveira, de 17 anos
(Foto: Divulgação/PM)

O crime

O homicídio aconteceu em frente à casa da adolescente, na rua Joana Ester Soares. De acordo com o capitão Inácio Brilhante, comandante da Polícia Militar na região, o suspeito se aproximou da residência da vítima em uma moto por volta das 20h. "Ela levou quatro tiros", afirmou Brilhante. "Depois, o criminoso fugiu", acrescentou.

À polícia, familiares da garota relataram que Júlia e o ex-namorado teriam terminado o relacionamento há aproximadamente 20 dias. "Com o fim do namoro, a adolescente foi morar em Mossoró. Neste final de semana, ela voltou a Apodi para visitar a família", revelou o capitão. "Os parentes contaram que ela já vinha sofrendo ameaças do rapaz, mas ninguém deu queixa na delegacia", revelou o capitão.


Fonte: G1.com

Ex-namorado é suspeito de matar adolescente de 17 anos a tiros no RN

Uma adolescente de 17 anos foi assassinada a tiros na noite deste domingo (10) em Apodi, no Oeste do Rio Grande do Norte. Segundo o capitão Inácio Brilhante, comandante da Polícia Militar na região, o principal suspeito de ter efetuado os disparos é o ex-namorado dela, cujo nome não foi revelado. Júlia Mariana Torres de Oliveira foi atingida na calçada de casa e chegou a ser socorrida para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Ainda de acordo com o capitão, o suspeito se aproximou da residência da vítima em uma moto por volta das 20h. "Ela levou quatro tiros", afirmou Brilhante. "Depois, o criminoso fugiu", acrescentou.

À polícia, familiares da garota relataram que Júlia e o ex-namorado teriam terminado o relacionamento há aproximadamente 20 dias. "Com o fim do namoro, a adolescente foi morar em Mossoró. Neste final de semana, ela voltou a Apodi para visitar a família", revelou o capitão. "Os parentes contaram que ela já vinha sofrendo ameaças do rapaz, mas ninguém deu queixa na delegacia".

Após o crime, a polícia realizou diligências na tentativa de localizar o suspeito, mas ninguém foi preso até o momento.


Fonte: G1.com

Estiagem faz ressurgir ‘São Rafael’

Olhos desavisados veem apenas ruínas em meio as águas da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves que contrastam com a paisagem seca e castigada. Mas poucos minutos de conversa com ex-moradores e logo todos os espaços da antiga São Rafael são habitados e, milimetricamente, reconstruídos por lembranças. Em 1983, a cidade distante 216 quilômetros de Natal cedeu espaço para a construção do maior reservatório do Estado e a promessa de “progresso”. Cerca de 3,5 mil pessoas foram relocadas para a nova São Rafael, construída 3 quilômetros acima pelo Departamento Nacional de Obras conta as secas (Dnocs).

Trinta anos depois e a pior estiagem nesse período, ruínas da “Atlântida do Sertão”, como ficou conhecida a cidade submersa, vem à tona ao passo em que as águas baixam. Estruturas que permaneciam apenas na memória, como as cruzes e o muro do antigo cemitério, reaparecem e se somam ao que restou da torre da Igreja, que tombou em 2010, e demais escombros da cidade. O progresso, por sua vez, observa o historiador Djalmir Arcanjo “deve ter naufragado nas águas da barragem”.

O reservatório , que abastece 22 municípios do Baixo Açu, está com apenas 38% da capacidade máxima de 2,4 bilhões de metros cúbicos – 916,5 milhões de m3 – o mais baixo desde que foi criado, de acordo com dados da Semarh.

Às margens da barragem, restam os alicerces da Estação de Trem que trafegava entre Assu, Mossoró e cidades vizinhas e do Hotel São Rafael que derivou do alojamento militar. Além de escombros da Prefeitura, Posto de Saúde, duas escolas e Telern, os tanques de água que abasteciam à baldes as caixas d’água dos casarões e prédios públicos - sinal de status à época - também permanecem no local.


O piso da quadra de esportes, a praça e coreto onde aconteciam os festas e eventos sociais, preservam as tintas. “Aqui aconteciam as festas tradicionais, como da padroeira Nossa Senhora da Conceição. A última, em 1981, entrou para a história dos são-rafaelenses com direito a música de despedida”, lembra a Maria da Conceição da Silva Teixeira, de 60 anos, conhecida como “Ceição de Dudu”.

Ela e o pai, o agricultor Antônio da Silva Teixeira, de 93 anos, retornaram a cidade velha após 30 anos. “É a primeira vez que desço até aqui”, disse. Enquanto aponta a localização exata sob as águas, o sertanejo relembra o dia em que deixaram para trás a casa número 33 na esquina da Rua Manoel Tomaz Pinheiro - a uma rua do leito do rio e a duas atrás da Igreja-matriz. 

http://tribunadonorte.com.br/album/embed/4781#16
TN.

REVENDEDOR AUTORIZADO SHINERAY EM APODI

SAIA JÁ DO EMPLACAMENTO E VENHA CONHECER A NOVA E COMPLETÍSSIMA JET 50CC DA SHINERAY! JÁ EM APODI O VENDEDOR AUTORIZADO ISAQUE SOUZA NA RUA MANOEL NOGUEIRA, Nº 900. 
TELEFONE PRA CONTATO (84) 9106-7685 / 9943-4712. 
AGENDE UMA VISITA E CONHEÇA OUTROS MODELOS E A MELHOR FORMA DE PAGAMENTO. 

Empresário morre em acidente na BR 304

Na noite de hoje 10/11 por volta das 21:45hs aconteceu um acidente com vitima fatal na BR-304 na comunidade do Palheiro II zona rural de Assu. As informações colhidas no local são que dois veículos que seguiam no mesmo sentido Assu/Mossoró se envolveram no acidente.

O veiculo tipo Hilux de placas OKA 0166 de Assu era conduzido pela pessoa de nome Carlos Alexandre mas conhecido por Xanxa filho do ex vereador Carlinhos de Everton, infelizmente Xanxa bateu na traseira de um caminhão sendo jogado para fora do carro onde teve morte no local.

Já o motorista do caminhão de placas KHL de São José do Egito/PE evadiu-se do local e não foi identificado. A PRF esteve no local realizando os procedimentos e aguardando os peritos do ITEP para remoção do corpo para sede do órgão.

*FONTE: Focoelho/JBelmont.

CAIO FABRÍCIO-ELETROVARIEDADES!

CAIO FABRÍCIO - ELETROVARIEDADES: CARAÚBAS/RN. ATENDENDO EM APODI E REGIÃO HÁ 7 ANOS NA SUA RESIDÊNCIA.
COM O TRICICLO NA ZONA URBANA E RURAL DE APODI, VOCÊ PODE COMPRAR PULF DO BAÚ, POLTRONAS, CABIDES, CADEIRAS DE BALANCO, ESPELHOS, CHURRASQUEIRA DO PORUINHO E OUTROS ÍTENS!

Destruição de tufão nas Filipinas lembra tsunami de 2004, diz ONU


O tufão Haiyan deixou ao menos 10 mil mortos e 2 mil desaparecidos em sua passagem pelas Filipinas, segundo estimativas divulgadas por autoridades locais neste domingo (10), o que o tornaria o desastre natural mais mortífero já registrado no país.

Casas destruídas, postes elétricos derrubados, carros virados e sobreviventes atordoados percorrendo as ruas: a paisagem deixada pela passagem do Haiyan, acompanhado por ventos de até 315 km/h, lembrava a destruição provocada pelo tsunami de 2004 na Ásia.

"Ocorreram grandes destruições (...) A última vez que vi algo parecido foi durante o tsunami no oceano Índico" que deixou 220 mil mortos em 2004, afirmou Sebastian Rhodes Stampa, chefe da equipe da ONU encarregada da gestão de desastres que se encontrava em Tacloban.

No Vietnã, onde o tufão deverá chegar nesta segunda-feira (11), mais de 600 mil pessoas tiveram de deixar suas casas, embora o Haiyan tenha perdido força em sua passagem pelo mar da China Meridional.

Duas ilhas do centro do arquipélago filipino, Leyte e Samar, que estavam em plena trajetória do Haiyan quando ele atingiu o país, na madrugada da última sexta (8), foram especialmente afetadas.


Em Tacloban, cidade costeira de Leyte, o tufão deixou imagens apocalípticas, com filas de homens, mulheres e crianças andando pelas estradas com o nariz coberto para se proteger do cheiro dos corpos sem vida.

Um homem, Edward Guialbert, perambulava entre os cadáveres para recuperar alimentos em conserva sob os escombros de uma casa. Mais adiante, um açougue que por milagre permaneceu intacto foi saqueado por uma multidão. Um comboio de ajuda da Cruz Vermelha também foi saqueado. As forças de segurança estavam praticamente ausentes.

"Nós nos reunimos com o governador (da província de Leyte) na noite passada e, baseando-nos nas estimativas do governo, há 10 mil vítimas", declarou à imprensa Elmer Soria, funcionário de alto escalão da polícia de Tacloban, a capital da província de Leyte, na ilha de mesmo nome.

Mapa tufão nas Filipinas (Foto: Editoria de Arte/G1)

Em Samar, porta de entrada do tufão no país na sexta-feira, foi confirmada a morte de ao menos 300 pessoas na pequena cidade de Basey, e outras 2 mil estão desaparecidas em toda a ilha, indicou Leo Dacaynos, membro do conselho de gestão de catástrofes, à rádio DZBB.

Também foi confirmada a morte de dezenas de pessoas em outras cidades e províncias devastadas pelo supertufão.

Muitas localidades permaneciam incomunicáveis e as autoridades enfrentavam muitas dificuldades para agir devido à magnitude da catástrofe e ao número de vítimas a serem resgatadas.

Rota do Haiyan

O Haiyan "avança rapidamente em direção ao norte-noroeste a uma velocidade de 35 km/h", indicou a agência de meteorologia vietnamita. Deverá tocar a terra na segunda-feira às 7h locais (22h de Brasília deste domingo), 24 horas depois do previsto inicialmente, depois de mudar repentinamente de trajetória. O fenômeno foi rebaixado à categoria 1 e deverá trazer ventos de até 74 km/h antes os mais de 300 km/h que atingiram as Filipinas.

Por precaução, as autoridades vietnamitas evacuaram "mais de 174 mil lares, o que equivale a mais de 600 mil pessoas", informou um comunicado do ministério vietnamita de Controle de Inundações e Tempestades. O principal alvo da operação foi a província de Nghe An, no norte, a 230 km da capital, Hanoi.

Papa reza


No Angelus deste domingo, o papa Francisco, que já havia enviado uma mensagem de apoio às vítimas pelo Twitter, fez uma oração em silêncio com os mais de 60 mil fiéis reunidos na Praça de São Pedro. "Vamos tentar fazer nossa ajuda concreta chegar a eles", acrescentou.

Vários países ofereceram ajuda às Filipinas. Os Estados Unidos fornecerão helicópteros, aviões, barcos e equipamentos destinados à busca e ao resgate, após um pedido feito por Manila, indicou o secretário americano da Defesa, Chuck Hagel.

Austrália e Nova Zelândia entregaram neste domingo quase meio milhão de dólares (370 mil euros) à Cruz Vermelha das Filipinas e indicaram que podem fornecer ajuda adicional.

A UNICEF preparou 60 toneladas de ajuda sanitária, que deve chegar ao país na terça-feira, e o Programa Mundial de Alimentos da ONU (PAM) está organizando o envio de 40 toneladas de alimentos.

Todos os anos, as Filipinas são atingidas por cerca de vinte tempestades e tufões entre os meses de junho e outubro.

Além dos tufões, o país sofre regularmente com a ira da natureza, em forma de terremotos ou erupções vulcânicas, com um balanço de vítimas fatais cada vez maior.

No entanto, se o balanço de 10 mil mortos se confirmar, o Haiyan será a pior catástrofe natural já registrada na história recente do país.


*Fonte: JBelmont.

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO