quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

BAIXA DO CAIC ESTÁ ABANDONADA E MORADORES PEDEM PROVIDÊNCIAS

Os moradores da Baixa do CAIC estão preocupados com a situação de abandono, que estão passando na comunidade.
Agora que começaram a cair as primeiras chuvas na cidade, mas a Baixa do CAIC encontra-se abandonada e os moradores pedem providências. Em conversa com um dos moradores, ele revelou que nas eleições o prefeito esteve lá e garantiu, que se ganhasse, a primeira coisa que iria resolver era o problema da Baixa do CAIC, mas depois que ganhou, não pisou mais lá.

JORGE DE NINÁ PARTICIPOU DO PROGRAMA LUTA AO MEIO DIA!

 
O diretor da Central do Cidadão de Apodi, Jorge de Niná participou hoje do Programa Luta ao Meio Dia, na Luta FM.
Jorge falou dos trabalhos desempenhados na Central do Cidadão no Detran, Procon outros serviços que Central presta a sociedade apodiense.
Jorge, ainda falou sobre a Fundação Darinho Pereira, que presta relevantes serviços na cidade de Apodi, especificamente na comunidade do bairro IPE.
Em 2013, a Fundação conseguiu desempenhar 11 projetos, oferecendo oportunidades às crianças e adolescentes. Ele lamenta as dificuldades enfrentadas, devido a falta de recursos financeiros para realizar maiores projetos que a entidade sonha em desenvolver.

MP recomenda à Prefeitura de Apodi que controle os gastos no carnaval

O Ministério Público do Rio Grande do Norte, através do promotor de justiça Sílvio Ricardo Gonçalves de Andrade Brito, recomendou à Prefeitura Municipal de Apodi que se abstenha de altas despesas com o Carnaval 2014.

A recomendação foi publicada na manhã desta quarta-feira (20/02) no Diário Oficial do Estado.

Segundo a nota oficial, o motivo da indicação é devido á situação de emergência pela seca declarada por 160 municípios, inclusive Apodi, em 2013.


O MP ainda recomenda que a prefeitura “não realize pagamentos antecipados a bandas, artistas ou quaisquer outros contratados” e mantenha os gastos no mesmo patamar do Carnaval de 2013, não ultrapassando o valor de R$ 502.267,00.

Caso não obedeça, o prefeito da cidade poderá sofrer medidas judiciais cabíveis e ser ajuizado por improbidade administrativa.

Para embasar a recomendação, Sílvio Brito também citou a investigação que apura supostas irregularidades na realização do carnaval do ano passado pela Prefeitura de Apodi.
 
*Fonte: SOS Notícias do RN.

CONVITE DO PARTIDO DOS TRABALHADORES!!!!

O Partido dos Trabalhadores de Apodi - PT, vem através deste, convidar filiados (as) Companheiros (as) de outros municípios, simpatizantes, amigos e familiares, para participarem do ato de posse do novo diretório.

RN–233: policia militar prende homem portando escopeta calibre 12, no trecho entre Caraúbas e Campo Grande

Acusado: Eraldo Davi de Oliveira.


No inicio da tarde desta quarta-feira (19/02/2014), policiais militares das cidades de Campo Grande, e Janduís, sob o comando do Cabo Silva, prenderam a pessoa de Eraldo Davi de Oliveira, que estava portando uma espingarda Calibre 12, dentro de uma mochila natural e residente em Caraúbas.

O acusado estava trafegando pela RN-233, no trecho que liga os municípios de Campo Grande a Caraúbas, quando foi abordado por policiais militares que estavam em diligencias, na região, na tentativa de localizar dois elementos acusados de assaltar um estabelecimento comercial, na cidade de Janduís. O acusado estava portando uma mochila, onde dentro da mesma, após uma revista minuciosa, os policiais encontraram a arma de fogo desmontada.

O acusado foi conduzido para a Delegacia de Policia Civil, onde foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

 

*com informações do Site Passando Na Hora.
*Blog F5 Apodi.

MP denuncia Gilson Moura e mais dois por improbidade

Os promotores do Patrimônio Público do RN denunciaram ontem, por crime de improbidade administrativa, o deputado Gilson Moura; o delegado de Polícia Civil, Ronaldo Gomes; e o advogado Rychardson Macedo. Os representantes do Ministério Público (MPE) afirmaram que a ação civil foi embasada em inquérito instaurado no ano de 2010, a partir de relatórios de auditoria ordinária, financeira e contável do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Segundo eles, a investigação trouxe à tona irregularidades cometidas no âmbito do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem/RN), pelo então diretor-geral Rychardson Macedo, apadrinhado de Gilson Moura, em benefício deste último.

Ao mesmo tempo, teria se comprovado a existência de contornos criminais, relatados em inquérito policial transcorrido paralelamente ao civil. É aí onde se insere a figura de Ronaldo Gomes, então delegado-geral da Polícia Civil do RN (PC/RN). O MPE sustentou que o delegado usou da autoridade que detinha à frente da PC/RN para prejudicar a atuação no caso da Delegacia Especializada em Investigação e Combate ao Crime (Deicor). A ação da Deicor visava desbaratar o esquema de gratificações e diárias de funcionários no âmbito do Ipem/RN.

Segundo os promotores, a designação do delegado Matias Laurentino para a condução do inquérito na Deicor desagradou os protagonistas das fraudes no Ipem. E diante de um pedido do deputado Gilson Moura, Ronaldo Gomes teria substituído o Laurentino da Delegacia e, conseqüentemente, da investigação. O MPE assinalou que Laurentino adotou uma linha de ação arrojada, para desbaratar o esquema.

Interceptações
Em uma das conversas interceptadas, após autorização judicial, Rychardson de Macedo Bernardo e Daniel Vale Bezerra (então assessor jurídico do Ipem), teriam transparecido o incômodo com a conduta investigativa adotada pelo delegado Matias Laurentino, especialmente porque este se debruçou sobre os contratos celebrados pelo Ipem, bem como sobre o pagamento indiscriminado de diárias a diversas pessoas. A conversa revelaria o receio de que o esquema criminoso, até então clandestino, viesse à tona. E veio, com a deflagração da Operação Pecado Capital.

Os promotores disseram que “curiosamente, no dia 02 de abril de 2011 (sábado) foi publicada no Diário Oficial do Estado a Portaria 374/2011, do delegado geral da Polícia Civil, dispensando o delegado Matias Laurentino da Deicor”. O envolvimento de Ronaldo Gomes, já patente nas interceptações telefônicas, tomou concretude após depoimento de delação premiada de Richardson Macedo.

Delação
Ao prestar depoimento de delação premiada, Richardson Macedo revelou parte do esquema. Ele disse, por exemplo, que preocupado com os rumos da investigação, telefonou para o deputado Gilson Moura no intuito de informá-lo que o inquérito, inicialmente a cargo do delegado Júlio Rocha, estava sob o comando de Matias Laurentino. E frisou que “este estava voltando seus olhos para o esquema do posto”. Ainda segundo Richardon, o deputado prometeu resolver o problema com o delegado e que isso seria possível procurando o delegado-geral que, na época, era Ronaldo Gomes. Dias depois, revelou ainda Richardson, conversou novamente com Gilson Moura. O parlamentar, então, teria informado que já havia contactado com Ronaldo e que este havia prometido resolver o problema.

O Ministério Público pediu a condenação dos três envolvidos por improbidade administrativa. Se aceito pela Justiça, terão que ressarcir integralmente o dano. E, ainda, a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais por três anos. 


*TN.

2º MEGA FEIRÃO DE RIVANI VARIEDADES