terça-feira, 11 de março de 2014

MP abriu inquérito civil para investigar supostos casos de acúmulo ilegal de cargos e cessões irregulares de servidores públicos na Prefeitura de Apodi

O Ministério Público (MP), por meio do promotor de justiça Silvo Brito, abriu inquérito civil para investigar supostos casos de acúmulo ilegal de cargos e cessões irregulares de servidores públicos no âmbito da Prefeitura Municipal de Apodi.

No inquérito o promotor solicitou a cópia dos contra-cheques dos meses de setembro a dezembro de 2013 dos servidores públicos ESIÉLIO BENTO DE LIMA OLIVEIRA, IGNO KELLY ARAÚJO FERREIRA, PEDRO FERREIRA FILHO, FRANCISCO LÁZARO, FRANCISCO OCELINO DE OLIVEIRA MOREIRA, MARIA MARLIZETE MARINHO DUARTE PAIVA, JOSÉ NILSON DE FREITAS, MARIA DAS GRAÇAS SIZENANDO, PEDRO JÚNIOR e FRANCISCO JOSIVAN ALVES, ELENIMAR GURGEL MARINHO, PEDRO NERI BANDEIRA E SOUZA, ALOMA TEREZA CAVALCANTE NOGUEIRA e FRANCISCO SILDO MOREIRA TORRES. Além do comparecimento de NAJILA ANTÔNIA DE FRANÇA, ARISTEA CLAUDINA DE OLIVEIRA, RANIERE TEIXEIRA DE MORAIS e GILDÁCIO RAMOS a promotoria para alguns esclarecimentos.

Outros inquéritos também foram publicados pelo MP. Apurar supostas irregularidades em nomeações de cargos comissionados e irregularidades nas cartas convites nº 013/2013 e 014/2013 realizadas pela Prefeitura Municipal de Apodi para contratação de advogados.

A prefeitura tem até o dia 17 para responder ao inquérito que tem como autor o vereador Nilson Fernandes.

*

Atualizado ás 19:43 desta segunda:
Vereador Nilson nos ligou e informou que as denúncias são da bancada da oposição, contudo não foi apresentado outro nome além deste na fonte de pesquisa. Mesmo assim ele afirma que as denúncias são da bancada de oposição, ou seja, de 7 vereadores.


*Fonte: Jair Gomes.