quarta-feira, 15 de outubro de 2014

147ª Morte violenta em Mossoró - Ex presidiário foi morto na comunidade de Barrinha


O Ex-presidiário Jerônimo Alves da Silva foi alvejado e morto com três disparos de arma de fogo, dois nas costas e um na cabeça e morreu no local antes do socorro medico. Ele cumpria pena no Complexo Penal Mario Negocio, acusado de trafico de drogas e estava em liberdade condicional há poucos dias.

O crime aconteceu por volta de 22 horas de hoje, 15 de Outubro de 2014, na comunidade rural de Barrinha localizada as margens da RN 015, cerca 08 km da cidade de Mossoró no Rio Grande do Norte. Jeronimo morava no Belo Horizonte, mas segundo informações, estava trabalhando com produtos caseiros, na Barrinha.

Segundo informações, Jerônimo estava sentada em uma calçada e foi surpreendido e morto por um indivíduo que saiu de um portão por trás dele. Moradores ouviram cinco disparos, mas segundo o Perito Criminal Joaquim Guimarães, ele foi atingido três vezes a curta distancia.

O elemento estava encapuzado e fugiu pelo mesmo portão de onde saiu. A Policia Militar fez o isolamento do local do crime para os procedimentos cabíveis.


Informações e imagens: O Câmera.
 
Veja a galeria de fotos

Ibope, votos válidos: Robinson tem 54% e Henrique, 46%, no RN

Levantamento com 812 pessoas foi realizado entre 12 e 14 de outubro.
Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (15) aponta os seguintes percentuais de votos válidos na corrida para o governo do Rio Grande do Norte:


- Robinson Faria (PSD) - 54%
- Henrique Eduardo Alves (PMDB) - 46%


Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

É o primeiro levantamento divulgado pelo instituto no segundo turno da eleição para governador do RN.

A pesquisa foi encomendada pela Inter TV Cabugi.

Votos totais

 
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:


- Robinson Faria (PSD): 45%
- Henrique Eduardo Alves (PMDB): 38%
- Branco/nulo: 12%
- Não sabe/não respondeu: 5%

O Ibope ouviu 812 eleitores em 39 municípios do estado de 12 e 14 de outubro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Eleitoral Regional (TRE-RN) sob o protocolo RN-00043/2014.

Rejeição

 
O Ibope perguntou em qual candidato o eleitor não votaria de jeito nenhum. Veja os números:
Henrique Eduardo Alves - 47%
Robinson Faria - 35%
Poderia votar em ambos - 15%
Não sabe/não respondeu - 8%

Expectativa de vitória

 
O Ibope também perguntou aos entrevistados quem eles acham que será o próximo governador, independentemente da intenção de voto. Para 43%, Henrique Eduardo Alves sairá vitorioso; 43% acreditam que Robinson Faria ganhará; 14% não sabe ou não respondeu.

1º turno

 
No primeiro turno, Henrique Eduardo Alves teve 47,34% dos votos válidos e Robinson Faria, 42,04% (veja os números completos da apuração).


*Do G1 RN

Datafolha: Aécio tem 51%, e Dilma, 49%

Os candidatos mantiveram o mesmo patamar da 1ª pesquisa, divulgada no dia 9. Ambos estão em empate técnico, com a margem de erro de 2 pontos percentuais.

Publicidade Ibope: Aécio tem 51%, e Dilma, 49%


Os candidatos mantiveram o mesmo patamar da 1ª pesquisa, divulgada no dia 9. Ambos estão em empate técnico, com a margem de erro de 2 pontos percentuais.

Rebelião que durou 48 h no PR foi atípica, diz secretário de Segurança

Motim começou na segunda (13) e terminou nesta quarta-feira (15).
Agentes e detentos foram reféns na Penitenciária Industrial de Guarapuava.
 



O secretário de Segurança Pública (Sesp) do Paraná, Leon Grupenmacher, disse nesta quarta-feira (15) que a rebelião na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG), na região central do estado, foi atípica. “A causa ainda nos é estranha. Não há superlotação. Há ressocialização. Eles têm aula e trabalham”. Durante o motim, que durou 48 horas, 13 agentes penitenciários e diversos detentos foram feitos reféns, de acordo com a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju) do Paraná. Autoridades da área de Segurança Pública concederam uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira sobre o ocorrido. 

Ao todo, 19 presos ficaram feridos, a maioria com ferimentos leves, conforme a Polícia Militar (PM). O Sindicato Dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen) informou que seis agentes foram feridos, sem gravidade.

A rebelião teve início no fim da manhã de segunda-feira (13) e terminou por volta das 11h30 desta quarta, depois que 29 presos foram transferidos para outras unidades do interior do Paraná, que não serão divulgadas. Outros dois foram para uma penitenciária de Santa Catarina. Segundo o diretor do Departamento de Execução Penal do Estado do Paraná (Depen), Cezinando Paredes, a rebelião começou quando alguns detentos estavam indo para um canteiro de trabalho e renderam agentes e outros presos.


De acordo com a Sesp, a fábrica, onde os presos trabalhavam dentro do presídio, o ambulatório e a parte odontológica ficaram destruídos. Já as galerias tiveram poucos estragos.


Episódio exige atenção
 

Para a promotora de Justiça da Vara de Execuções Penais (VEP) Marcia Francine Broietti, a rebelião em Guarapuava exige atenção por parte da administração pública. "Não é o primeiro episódio em Guarapuava. Temos uma estrutura carente de investimentos. Não podemos só pensar nos momentos de crise. É um problema em todo o Paraná, no país. O dinheiro que vamos perder reconstruindo tudo poderia ser investido em melhorias”, disse. 

Além disso, durante a coletiva, a juíza da Vara de Execuções Penais (VEP) de Guarapuava disse que o motim foi uma surpresa, já que os processos e benefícios dos detentos estão em ordem. Esta é a primeira vez que ocorre uma rebelião na PIG, desde que foi inaugurada, há 15 anos. A penitenciária abriga 240 detentos e trabalha com um modelo em que os detentos podem estudar e trabalhar no local.


Para o delegado-chefe da divisão de investigação da Polícia Civil, Luiz Alberto Cartaxo, a rebelião ocorreu por causa de um pequeno grupo. “Nós temos na PIG, um perfil de preso que quer cumprir a pena rápido e quer ficar perto da família. Por um pensamento de uma minoria, tivemos a rebelião", complementou.


'Muito medo'


Um agente penitenciário que foi feito refém e preferiu não se identificar, contou ao G1 como foram os momentos em que ficou com os rebelados. “Senti muito medo. Só pensei na minha família, no meu filho de um mês”, relatou.

Ele disse que, no início da rebelião, tentou se trancar em algum compartimento, mas os presos conseguiram capturá-lo. “Eles amarraram meus braços e minhas pernas, me arrastaram e me jogaram em uma cela. Depois, tacaram cola em mim e em mais dois colegas”, lembrou. 


O rapaz trabalha há 12 anos como agente penitenciário e diz nunca ter passado por uma situação parecida. Ele afirma que não pensou se vai parar com a profissão, mas não descarta a possibilidade. “Até antes da rebelião estava valendo a pena trabalhar como agente, mas agora eu não sei. Preciso pensar”, afirma. Segundo ele, os agentes penitenciários vão receber apoio psicológico para tentar superar o trauma.

A rebelião na PIG
 

O motim começou na manhã de segunda-feira com treze agentes penitenciários como reféns, além de dezenas de presos. Rebelados subiram nos telhados com os reféns e quebraram vidros da penitenciária. Poucas horas depois, um dos agentes foi liberado. No fim da tarde de segunda, cinco detentos também ficaram feridos e saíram da penitenciária.

No segundo dia de rebelião, outros dois agentes penitenciários foram libertados pelos presos. Nesse mesmo dia, os rebelados entregaram uma lista de reivindicações aos negociadores, como melhorias nas condições da PIG, a troca da direção da penitenciária e progressão de regime de alguns presos para o semi-aberto.

Além disso, os presos também geraram um tumulto ao exigir que policiais colocassem as famílias, que aguardavam em frente à penitenciária, na sombra.


Um grupo policiais militares manteve contato direto com os presos durante os dias de rebelião na tentativa de se chegar a um acordo. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Comando de Operações Especiais (COE), o diretor do Depen, uma promotora pública e um defensor público deram apoio durante as negociações.

De acordo com a Seju, dez presos que participaram da rebelião em Cascavel, em agosto, que resultou na morte de cinco detentos, foram transferidos para a Penitenciária Industrial de Guarapuava. A Seju ainda não sabe informar se, entre os rebelados de Guarapuava, estão os transferidos de Cascavel.



21 rebeliões em 10 meses
O ano de 2014 tem sido marcado por diversas rebeliões no Paraná. Em 10 meses, presos se rebelaram 21 vezes em várias cadeias e penitenciárias do estado. O período mais violento foi entre agosto e setembro. Em menos de um mês, cinco motins foram registrados. No fim de agosto, detentos da Penitenciária Estadual de Cascavel, no oeste do estado, fizeram um motim que durou 45 horas e deixou cinco pessoas mortas e muita destruição na unidade. O espaço não estava superlotado antes da rebelião, mas foi preciso transferir mais de 800 presos, devido à destruição das celas e corredores.


No dia 7 de setembro, foi a vez da Cadeia Pública de Guarapuava, quando 14 detentos renderam três agentes penitenciários. Eles exigiam a transferência de alguns dos presos, já que o local estava com superlotação. O pedido foi atendido e o motim se encerrou após nove horas. 


Ainda houve a rebelião na Penitenciária de Cruzeiro do Oeste (Peco), no noroeste paranaense, no dia 10 de setembro. A unidade recebeu 124 detentos da Penitenciária de Cascavel, após o motim do fim de agosto. Mesmo assim, não havia superlotação. Segundo a Seju, o presídio pode receber até 1.108 presos, mas abriga 844.

Nos dias 16 e 17 de setembro, presos da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP II), na Região Metropolitana de Curitiba, realizaram uma rebelião por mais de 24 horas. Os presos renderam os funcionários enquanto eles serviam o café da manhã e dominaram duas galerias do presídio. Dois agentes penitenciários foram feitos reféns. Uma das reivindicações dos presos era de que fosse construído um muro para que os presos faccionados, que pertencem a facções criminosas, ficassem separados dos demais.

A Seju informou que a construção do muro era inviável, mas disse que reforçou a grade que separa os blocos. Os presos também receberam 50 colchões para repor os que tinham sido queimados na última rebelião, no dia 12 de setembro.



*Do G1

Datafolha mostra Aécio e Dilma tecnicamente empatados

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (15) mostra Dilma Rousseff e Aécio Neves tecnicamente empatados. O candidato do PSDB aparece com 51% dos votos válidos, enquanto a atual presidenta tem 49%. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Em votos totais, Aécio aparece com 45%, enquanto Dilma tem 43%. Os entrevistados que afirmaram votar nulo ou em branco somam 6% e os indecisos têm o mesmo índice.

Foram ouvidos 9.081 eleitores em 366 municípios brasileiros.

Pesquisa mostra cenário para 2º turno: Robinson 45%, HE com 38%

O instituto Ibope divulgou os resultados da primeira pesquisa com intenções de votos entre os potiguares no segundo turno da eleição para o Governo do Estado. O vice-governador Robinson Faria, candidato do PSD, tem 45% e com a margem de erro admitida (3 pontos percentuais para mais ou para menos) pode ficar entre 48% e 42%. O deputado federal Henrique Eduardo, candidato do PMDB, tem 38%, podendo chegar a 41% ou 35%. A pesquisa foi encomendada pela InterTV Cabugi.

Os questionários da pesquisa foram aplicados entre os dias 12 e 14 deste mês, ouvindo 812 eleitores em 39 municípios de todas as regiões do Estado. Brancos e nulos somam 12% e não sabem 5%. Calculados os votos válidos, o Ibope mostra que se a eleição fosse hoje Robinson Faria teria 54%, Henrique Eduardo 46%.

O Ibope perguntou aos eleitores sobre quem eles acreditam que será eleito, independente do voto, e para 43% Henrique Eduardo Alves sairá vitorioso. Mesmo resultado obtido por Robinson Faria, enquanto 14% não sabe ou não respondeu.

Presidência

O Ibope aponta os seguintes percentuais de votos válidos na corrida presidencial, entre os eleitores potiguares: a presidenta Dilma Rousseff (PT) 59%, Aécio Neves (PSDB) com 32%. Brancos e nulos somam 6% e não sabe/não respondeu 3%. Somados apenas os votos válidos, Dilma tem 65% e Aecio 35%¨.

A pesquisa também quis saber o índice de rejeição dos eleitores aos candidatos. 47% disseram que não votam em Henrique Eduardo, 35% em Robinson, 15% votariam em qualquer um dos dois e 8% não sabem. Em relação ao governo Rosalba Ciarlini, 82% desaprovam a forma como ela administra o Estado e 13% aprovam. 5% não souberam responder.

Na avaliação do governo estadual, 10% consideram ótimo e bom. 15% regular e 71% como ruim e péssimo. 4% não souberam responder a questão. A pesquisa do Ibope/InterTV está registrada no TRE/RN sob o numero RN-00043/2014.


*Panorama Político.

Pesquisa Ibope para o RN: Robinson Faria 54% dos votos válidos, Henrique Alves 46%

Pesquisa Ibope para o pleito do Rio Grande do Norte mostrou os seguintes números em VOTOS VÁLIDOS:

-Robinson Faria (PSD) – 54%
 

-Henrique Eduardo Alves (PMDB) – 46%

NOS VOTOS GERAIS os números são os seguintes:

-Robinson Faria (PSD): 45%

- Henrique Eduardo Alves (PMDB): 38%

- Branco/nulo: 12%

- Não sabe/não respondeu: 5%

O Ibope ouviu 812 eleitores em 39 municípios do estado de 12 e 14 de outubro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Eleitoral Regional (TRE-RN) sob o protocolo RN-00043/2014.

Em enquetes, Aécio Neves derrotou Dilma no primeiro debate dos presidenciáveis

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, saiu-se melhor do que a atual presidente da República, Dilma Rousseff, candidata à reeleiçao, no primeiro debate entre os dois, realizado ontem, pela TV Bandeirantes. Ao menos, é o que pensam os leitores do Correio Braziliense e do portal UOL, em enquetes realizadas nos dois sites.

Resultado parcial da enquete com leitores do Correio sobre o desempenho no debate da TV Bandeirantes trouxe Aécio Neves (PSDB) à frente de Dilma Rousseff (PT). Para 72,9% dos leitores do Correio, Aécio Neves venceu o debate. O restante (27,03%) acredita que Dilma Rousseff se saiu melhor. Os dados foram colhidos às 12h15 de hoje. Ainda é possível votar na enquete.

O portal UOL também promoveu a mesma enquete em relação ao debate. Às 12h15, o candidato tucano tinha 80,07% da preferência dos votantes contra quase 20% de Dilma. O debate rendeu uma audiência considerável à emissora que o transmitiu. De acordo com levantamento para avaliar o número de espectadores, a emissora chegou a liderar a audiência no país, com 14 pontos, superando uma série nacional da TV Globo.


*O Xerife.

TRAGÉDIA: JOVEM É PARTIDO AO MEIO APÓS ACIDENTE NA BR 226 ENTRE TANGARÁ E SANTA CRUZ

O Blog do Robson Freitas recebeu via mensagem do faceboock algumas imagens do acidente, enviadas por uma leitora do Blog, mas não vou divulgá-las são cenas muito fortes, chocantes.
 
 
Divulguei apenas essa foto, a qual mostra o desespero da mãe por perder filha e marido de forma tão trágica.

As fotos e informações a seguir foram divulgadas em outros Blogs que eu faço referência no final da postagem.

Nosso blog recebeu fotos de leitores de um trágico acidente ocorrido na manhã de ontem terça (14) na BR 226, num trecho que liga Santa Cruz/RN a Tangará/RN em que uma criança morreu e um jovem foi partido ao meio.

Segundo informação do leitor que passou no local, ouve uma colisão entre duas motos e logo depois um caminhão não conseguiu parar e passou por cima de um dos condutores partindo seu corpo ao meio.

Na outra moto estariam 03 pessoas (Pai, mãe e filha), e a criança veio a óbito.Essas informações foram passadas por um leitor do blog da C.I.P.M DE CURRAIS NOVOS que passava na hora do ocorrido.
Fonte: J. Júnior C.I.P.M DE CURRAIS NOVOS/ Blog do Elvis Bezerra.

Via Blog do Robson Freitas.

ASSALTO A PANIFICADROA SÃO FRANCISCO EM ASSU TERMINA EM CORRERIA E ELEMENTO PRESO

Na manhã de hoje 15/10 policiais do GTO, Força Tática, RP e NORE comandados pessoalmente pelo Cap. Bandeira subcomandante do 10ºBPM de Assu conseguiram prender em flagrante um elemento após o assalto na panificadora São Francisco que fica na rua Augusto Severo próximo ao colégio E.N.S.V. centro de Assu.
As informações são que logo ao ficarem ciente do assalto os PMs fizeram uma estratégica que culminou com a prisão do suspeito no telhado de uma residência na rua Manoel Corsino já no bairro Dom Elizeu.
Os PMs cercaram várias ruas e diante de informações e técnicas chegaram fácil até o suspeito que foi preso em flagrante.
Agora os procedimentos serão feito pelo delegado Dr. Carlos Brandão que vem fazendo um excelente trabalho em nossa cidade.

O Cap.Bandeira na correria com os policiais
Rua Manoel Corsino tomada de policiais
Momento em que o PM prende o elemento que estava em cima do telhado
Na foto o elemento já na viatura da polícia militar
*Fonte: focoelho.com

Garibaldi confirma ao colunista Cláudio Humberto o que declarou a este blog: pode romper com Dilma

Senador diz pensa entregar ministério diante da posição de Lula

No último sábado, em Mossoró, o ministro Garibaldi Filho (PMDB) anunciou que o PMDB do Rio Grande do Norte poderá romper com a presidente Dilma Rosseff.

Nesta quarta-feira, 15, a notícia é ratificada pelo colunista Cláudio Humberto, com Garibaldi deixando claro que poderá entregar o Ministério da Previdência.

Se isso ocorrer será ampliada a crise na campanha de Dilma que já está em desvantagem para Aécio Neves.

Confira o que escreveu Cláudio Humberto:



*Skarlack.

146ª Morte violenta em Mossoró: Desconhecido foi baleado no Redenção e morreu a caminho do hospital

A Polícia Militar e o Samu foram acionados na madrugada de hoje, 15 de Outubro, para uma ocorrência de disparos de arma de fogo com uma pessoa ferida, próximo a Igreja Católica do Conjunto Redenção em Mossoró no Rio Grande do Norte.

Um homem, possivelmente chamado “Marcos” residente na cidade de Grossos foi encontrado pela Polícia Militar, baleado e agonizando na Rua Manoel Lucas Mota. Ele foi socorrido as presas pela equipe do Samu, mas morreu antes de chegar no Tarcísio Maia.

A polícia não confirma a informação de populares que “Marcos” foi perseguido e morto por dois indivíduos que estavam de motocicleta. Ele não portava documento de identificação ou foi levado pelos acusados.

O corpo continua na pedra do Hospital aguardando a solicitação para ser removido para o necrotério do Instituto Técnico e Científico de Polícia e só será liberado depois da identificação feita por familiares.

 
Imagens do Destaque: Fim da Linha/Passando na Hora
  Veja a galeria de fotos 

*Fonte: O Câmera.

Pesquisa mostra que Aécio tem 57% e Dilma 43% das intenções de voto em Minas

O levantamento foi feito pelo Instituto Veritá entre os dias 06 e 08 de outubro.
Pesquisa de intenção de votos para à Presidência mostra que o tucano Aécio Neves está na frente na corrida em Minas Gerais. De acordo com o Instituto Veritá, o tucano superou a petista e reverteu o quadro do primeiro turno, quando ficou na segunda posição. Segundo o levantamento divulgado nesta terça-feira, Aécio tem 57% e Dilma 43% dos votos válidos.

No levantamento nacional o tucano tem 54,8% dos votos válidos, contra 45,2 da petista. A margem de erro é de 1,4 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Se inseridos os que manifestaram intenção de votar em branco ou nulo, que somam 7%, e os que não souberam ou não responderam, que totalizam 5,8%, Aécio fica com 47,8% e Dilma com 39,4%.

De acordo com o Instituto Veritá, foram ouvidos 5.165 eleitores, entre os dias 06 e 08 de outubro. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-01067/2014.

Fonte: www.em.com.br/Skarlack.

Voto mineiro e corrupção no centro do primeiro debate

No confronto que abriu a série de 4 embates diretos entre os candidatos no 2º turno, Dilma e Aécio repetiram, na Bandeirantes, a linha das campanhas na TV

No primeiro dos quatro confrontos diretos que travarão na TV até o próximo dia 26, os candidatos à Presidência da República Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) repetiram a linha das campanhas no horário eleitoral e trocaram ataques esperados no debate da TV Bandeirantes, na noite desta terça-feira. Não por acaso, as inserções eleitorais exibidas nos intervalos comerciais da emissora deixaram a impressão de que o debate não havia sido interrompido a cada bloco.

Em desvantagem na primeira rodada de pesquisas, Dilma Rousseff escolheu dois temas prioritários para sua artilharia: atacar o economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central no governo Fernando Henrique Cardoso e previamente anunciado por Aécio como futuro ministro da Fazenda se eleito, e criticar a gestão do tucano quando governador de Minas Gerais. Aécio devolveu citando a corrupção na administração do PT, pontuando escândalos recentes revelados na Petrobras, e apontando o terrorismo eleitoral propagandeado pelo PT sobre o fim do Bolsa Família se Dilma não for reeleita.

O momento mais quente foi justamente quando a corrupção esteve em tela. O tucano questionou a petista sobre a corrupção na Petrobras. Dilma rebateu citando denúncias e investigações na administração FHC. “Ninguém foi punido”, disse ela. Aécio reagiu: “Não queira nos igualar. O que acontece na Petrobras jamais foi visto”. A petista devolveu citando a denúncia de que Aécio construiu um aeroporto para beneficiar um familiar em Minas Gerais. “O senhor sabe o que é improbidade administrativa?”. E depois de uma intensa troca de perguntas e respostas girando sobre o mesmo tema – com duas reclamações de cada lado sobre “leviandade” nas respostas –, o tucano disparou a frase mais dura: “O seu governo é um mar de lama”.

Minas Gerais – O primeiro debate também foi claro sobre o peso do eleitorado de Minas Gerais nas eleições deste ano. Segundo colégio eleitoral do país (15,2 milhões de votos, ou 10,6% do eleitorado), Minas é berço do tucano, que administrou e deixou o governo com 92% de aprovação, mas acabou derrotado neste ano pela petista no primeiro turno – além disso, Fernando Pimentel (PT) venceu Pimenta da Veiga (PSDB) na disputa local. A exemplo da propaganda na TV, Dilma apostou na tentativa de desconstruir os dois mandatos de Aécio à frente do governo mineiro. Disse que o estado desviou 7,6 milhões de reais da saúde, que Minas tem o terceiro pior desempenho no serviço do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e cutucou: “O senhor perdeu as eleições em Minas Gerais no primeiro turno”.

Aécio usou seu tempo para reagir ao discurso do medo empregado na propaganda petista – e em alguns momentos pela própria candidata no debate. No quarto bloco, ela afirmou que a eleição do adversário representaria o aumento do desemprego. O tucano cortou: “Novamente o discurso do medo. Mas o medo hoje da sociedade é de o PT governar mais quatro anos”. Mais cedo, ele havia aproveitado o discurso do medo para citar nominalmente a candidata derrotada Marina Silva (PSB), que o apoia na etapa final, e o ex-governador Eduardo Campos, morto em tragédia aérea: “Sua campanha é feita de ataques e ofensas, foi assim com Eduardo, com Marina e agora comigo. A senhora não se arrepende de ter feito uma campanha com ataques tão cruéis aos adversários?”.

Nunca antes num debate presidencial se falou tanto de um estado: Minas Gerais. Dilma tentou justificar a insistência: “Estamos discutindo muito Minas Gerais porque o senhor governou Minas. E eu não saí de Minas a passeio, sai porque fui perseguida pela ditadura”. Aécio respondeu dizendo que a presidente está mais preocupada com Minas nestas eleições do que nas últimas décadas – Dilma é mineira, mas sua trajetória política foi construída no Rio Grande do Sul, inicialmente no PDT brizolista, depois no PT. Com seus redutos devidamente administrados nas urnas no primeiro turno, os 15,2 milhões de votos dos mineiros parecem decisivos para os candidatos nos onze dias até a eleição.

Fonte: www.veja.com.br/Skarlack.

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO