sábado, 29 de novembro de 2014

HOMEM COM PROBLEMAS PSICOLÓGICO MATA AGRICULTOR A GOLPES DE ROÇADEIRA NA ZONA RURAL DE SÃO MIGUEL/RN.

O agricultor Cícero Rufino Sobrinho de 66 anos de idade, conhecido por Cícero Alves, foi assassinado no início da manhã deste sábado (29) com vários golpes de roçadeira desferidos pelo também agricultor Rosimar Benvindo da Silva de 42 anos de idade. O fato ocorreu em uma estrada carroçável no Sítio Riacho Fundo na Zona Rural de São Miguel.

Segundo informações por volta das 06hrs, o senhor Cícero Alves como fazia todas as manhãs foi buscar uma carga de capim em sua propriedade, momento em que foi advertido por um vizinho que informou que a pessoa de Rosimar andava pela estrada de posse de uma roçadeira e que estava com problemas psicológicos.

Sem medo, o agricultor seguiu o caminho de volta para sua casa quando no percurso foi abordado pelo acusado que desferiu três golpes com a roçadeira, atingindo-lhe no braço, pescoço e cabeça, provocando o óbito ainda no local. Após o ato o acusado seguiu pela estrada com a arma usada no crime assustando e ameaçando os moradores da localidade que de imediato acionaram a Polícia Militar de São Miguel.

Transtornado, o acusado caminhou por cerca de 500 metros de distância do local do crime, até que um morador conseguiu convencer o mesmo a soltar a arma e ao se aproximar da porteira de entrada da residência o morador conseguiu lhe segurar e juntamente com outras pessoas o imobilizaram até a chegada da Polícia que realizou a prisão do mesmo e o conduziu até o presídio regional na cidade de Pau dos Ferros, onde permanecerá a disposição da justiça.

Uma equipe do Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (ITEP) compareceu ao local e removeu o corpo da vítima conduzindo-o até a sua sede na cidade de Mossoró para a realização dos exames necropsiais.

De acordo com informações de familiares do acusado, o mesmo está com problemas psicológicos desde a sua separação ocorrida recentemente, inclusive o mesmo teria passado toda a sexta-feira (28) internado no Hospital Municipal de São Miguel, sendo liberado no final da tarde de ontem.


*Informações: São Miguel News

*Fotos: Nazaré News.

Alunos brasileiros perdem em média um dia de aula por semana por conta de desperdício de tempo em sala de aula

Alunos brasileiros perdem em média um dia de aula por semana por conta de desperdício de tempo em sala de aula, gasto com atrasos, excesso de tarefas burocráticas (fazer chamada, limpar a lousa e distribuir trabalhos) e em aulas mal preparadas pelo professor - tempo este que deixa de ser gasto com o ensino de conteúdo.

Essa foi uma das principais conclusões de um estudo recém-lançado pelo Banco Mundial que analisou o trabalho de professores na América Latina e seu impacto sobre a qualidade do aprendizado, a formação dos alunos e o desempenho desses países em rankings internacionais de educação.
 

*Após licença médica, 14 mil professores não voltam às salas de aula de SP
*1 em cada 4 professores de escolas públicas brasileiras é temporário, diz Ipea
 *Ensino médio piora em SP, MG e mais 14 Estados, diz índice de qualidade do MEC

A pesquisadora Barbara Bruns, uma das autoras do estudo, lembra que o tempo de interação entre aluno e professor é o momento para qual se destinam, em última instância, todos os investimentos em educação. "Nada desse investimento terá impacto na melhoria do aprendizado, a não ser que impacte sobre o que ocorre na sala de aula", diz ela.

O Banco Mundial avaliou 15,6 mil salas de aula, mais da metade delas no Brasil (classes dos ensinos fundamental e médio em MG, PE e RJ), e calcula que, em média, apenas 64% do tempo da classe seja usado para transmissão de conteúdo, 20 pontos percentuais abaixo de padrões internacionais. Confira a entrevista que Bruns, estudiosa da educação brasileira há 20 anos, concedeu por telefone à BBC Brasil:

BBC Brasil - O fato de um tempo tão significativo de aula ser perdido ajuda a explicar o desempenho abaixo da média dos países latino-americanos em avaliações internacionais?

Barbara Bruns - Sim, definitivamente é um fator. Em escolas no leste da Ásia, Japão, Cingapura, Finlândia e Alemanha, você não vê professores chegarem à sala de aula sem um material pronto, sem essa percepção de que o tempo precisa ser usado para ensinar e manter os alunos engajados, algo crucial para o aprendizado. E com frequência nas salas de aula da América Latina parece haver uma falta de organização por parte do professor.

Não parece haver a percepção da limitação do tempo e do que economistas chamam de custo de oportunidade de não usar esse tempo para o ensino. E o tempo entre alunos e professores na sala de aula é o ponto em que culminam todos os investimentos em educação: gastos com salários dos professores, com a formulação do currículo escolar, infraestrutura, material, gerenciamento. Nada desse investimento terá impacto na melhoria do aprendizado, a não ser que impacte no que ocorre na sala de aula. Vemos que na América Latina muitos países gastam uma proporção alta de seu PIB na educação, e não estão obtendo resultados porque esses investimentos não estão sendo usados (para aprimorar) o momento que os professores têm com os alunos.

Se professores estão perdendo 20% do tempo de instrução com os estudantes, é como dizer que estão sendo perdidos 20% dos investimentos em educação, porque não estão sendo usados para o ensino.

BBC Brasil - Como resolver isso?

Bruns - Primeiro, mudar a forma como o professor é preparado antes de entrar ao sistema de ensino. Na América Latina, há muito pouca ênfase (nos cursos preparatórios) sobre como gerenciar uma sala de aula, como ser um professor eficiente. Ouço com frequência de ministros e autoridades: as faculdades de pedagogia falam muito de filosofia, história da educação, das disciplinas (do currículo), mas muito pouco sobre a prática do ensino. Fazendo uma analogia com a medicina, ninguém ia querer um médico que fosse treinado apenas em história da medicina e em questões teóricas. Médicos passam vários anos aprendendo como lidar com pacientes reais. Os professores precisam dessa mesma oportunidade de praticar.

E o que vemos em sistemas educacionais de alta performance, desde Cuba – que tem boa tradição de treinamento de professores – ao leste da Ásia e ao norte da Europa, é que professores em treinamento passam muito tempo observando outros professores e sendo orientados. Isso quase não ocorre na América Latina.

Outra coisa que precisa mudar é o apoio a professores que já estão em sala de aula. Eles precisam receber "feedback" sobre sua performance, ver bons exemplos e ser estimulados a compartilhar conhecimento. O Rio está fazendo isso no Ginásio Experimental Carioca (projeto que traz mudanças em gestão e currículo escolar nos anos finais do ensino fundamental da cidade), mudando o calendário escolar para criar momentos em que os professores se reúnem para trabalhar juntos; ou colocando professores novos para observar os melhores e mais experientes. Uma das descobertas mais importantes e surpreendentes de nossa pesquisa é que, dentro de uma mesma escola, há grande variação na forma como os professores ensinam – desde o professor excelente até o que é muito pouco eficiente. Por isso, é preciso encontrar formas de estimular os professores a trabalhar juntos na escola, como fazem no Japão e na Finlândia.

O Banco Mundial tem um projeto com a Secretaria de Educação do Ceará para criar uma comunidade de aprendizado dentro de cada escola. Daqui a um ano saberemos que tipo de impacto isso terá (no ensino) de 350 escolas.

BBC Brasil - A preparação de professores é um dos maiores desafios educacionais da América Latina?

Bruns - Uma das estratégias mais importantes de curto prazo na região deve ser o treinamento de professores para que eles usem o tempo de aula de forma mais eficiente e, além disso, mantenham os estudantes engajados. Ao observar as salas de aula, descobrimos que, mesmo enquanto os professores estão ensinando, metade do tempo eles não conseguem manter os alunos focados no conteúdo. Víamos os estudantes dormindo, digitando no celular, conversando entre si, olhando pela janela.

E isso jamais seria permitido pelos professores do leste asiático, por exemplo – eles estariam dando um jeito de fazer com que todos estivessem engajados. Sabemos que, para aprender, os estudantes têm de estar engajados. No longo prazo, porém, o desafio é atrair um novo tipo de profissional à carreira de professor: fazer com que ela seja uma carreira atraente para os formandos de melhor performance (acadêmica), como acontece na Finlândia e Cingapura. Daí ficará muito mais fácil obter professores excelentes. Já na América Latina e nos EUA, a profissão ficou tão degradada que os professores acabam sendo recrutados entre estudantes de pior performance. Ou seja, é necessário criar incentivos para que pessoas com bom desempenho escolham a carreira.

E também acho que, quanto aos aumentos salariais – e há muitas evidências de que os salários dos professores precisam aumentar para atrair pessoas competentes -, eles devem ocorrer de forma diferenciada (de acordo com o desempenho). Não pode ser que professores bons e professores ruins ganhem a mesma coisa. É preciso criar incentivos para que as pessoas trabalhem melhor e para que os mais inteligentes entrem na profissão. Na América Latina, a maioria das promoções de carreira é com base em tempo de casa, em vez de desempenho. Então em alguns casos, dois professores ganham o mesmo salário, mas um faz um trabalho excelente e outro não faz nada.

A cidade de Washington fez uma grande reforma educacional, estabelecendo claros parâmetros para a excelência de professores e avaliando professores segundo esses parâmetros. Os que não os cumprissem eram demitidos ou tinham um ano para melhorar seu desempenho. Já os excelentes tiveram seus salários dobrados.

Passados quatro anos, mesmo em meio a polêmicas, os professores gostaram (do projeto), e o desempenho dos alunos de Washington passou a estar entre os melhores do país. Mas é bom acrescentar que o Brasil vive um momento empolgante: muitos secretários de educação e prefeitos querem fazer mudanças. Vemos diversas experimentações e inovações promissoras pelo país. Se conseguirmos medir esses experimentos, teremos (armas) poderosas. Nos 20 anos que estudo o Brasil, pude ver muitos avanços. Mas obviamente há muito a melhorar.


*IG.

INACREDITÁVEL!! FUNCIONÁRIO PÚBLICO DE APODI TEVE TRÊS MUDANÇAS DE LOCAL DE TRABALHO TRÊS VEZES NUM ÚNICO DIA

O funcionário público e também radialista, registrou em sua página na rede social a mudança de local de serviço durante três vezes em um único dia.

Veja:
"Hoje quinta feira fui transferido do local de trabalho na prefeitura de Apodi mais uma vez, era lotado na praça são Francisco, depois fui secretaria de ação social, depois para secretaria de saúde, depois para o caps, depois para o ginásio todas as situações durante a noite, aí resolveram mudar de novo, fui para secretaria de urbanismo durante o dia, depois fui para o cemitério público, só entra com autorização por escrito.......
De novo, mudaram mais uma vez, agora na volta do almoço a orientação que eu fosse para o SAMU, estou por aqui nessa quinta feira nublada....

Bis, ás 14:00hs em mais uma contra ordem voltei para o ginásio de onde eu era, só que ainda durante o dia, e assim eu vou vivendo..........hoje tem 100 litros de leite e as folhas da jaramataia a partir das 17:00hsno programa Noticias de hoje."
Em contato com a equipe do blog o radialista disse que está pronto para trabalhar aonde for necessário, mas que estava triste neste dia, não pelo fato das mudanças, mas pela morte de uma das três gêmeas do Sítio Carrilho, zona rural de Apodi e que ele ajuda mensalmente no seu programa de rádio.

*Fonte: http://jairgomesapodi.blogspot.com.br/

CONVITE DE CANTORIA!!!


A NOVELA DO TRANSPORTE UNIVERSITÁRIO DE APODI CONTINUA

Da AENTS: Estamos tendo a OPORTUNIDADE de fugirmos do sentimento político partidário, e abraçar os interesses coletivos dos universitários e técnicos de APODI. Expressamos o sentimento de quem apareceu no momento reivindicatório nas ruas. Vamos construir com a sociedade e o Poder Público Municipal, um projeto que congregue todos a partir da autonomia total da AENTS.

Do DCE (Diretório Central dos Estudantes) da UERN:
Estudante Universitária Karoline Paiva: Acredito que se o executivo da nossa cidade passou um ano sem nos ouvir, sem pedir nossa opinião, não será agora que irá começar, a questão dos cadastro é a seguinte queremos primeiramente discutir e decidir que alterações serão feitas na lei e Se Essas alterações virão em favor de todos para poder fornecer os dados a prefeitura... Creio q não seja pedir demais q cheguemos a um consenso para poder fornecer os dados e a escolha é livre faz quem quer porém já deixo claro aqui que se a lei for alterada da maneira que a PMA deseja a maioria dos universitários sairá perdendo. Mais a opinião é de cada um.

COMUNICADO:

Convocamos todos os estudantes (técnicos e universitários) a se fazerem presentes na Praça Getúlio Vargas neste sábado, 29/11, às 08:00 horas. Objetivo: tratar de assuntos do interesse de todos. Atenciosamente, comissão da AENTS!

173ª Morte violenta em Mossoró: Travesti foi morto a golpes de faca peixeira em Mossoró

 
Uma confusão na saída de um Motel terminou com um travesti morto e outro esfaqueado em Mossoró no Rio Grande do Norte. O crime foi registrado na manhã de sábado 29 de Novembro 2014, às margens da Br 304 próximo ao viaduto de acesso ao Shopping e a Universidade Potiguar.

Segundo informações, um travesti identificado como “Natália” natural do estado do Ceará, saiu de um motel discutindo com um cliente e já no meio da rua a discussão terminou em pancadaria. O cliente foi embora e voltou armado com uma faca peixeira e continuou a briga com “Natália”, que foi esfaqueada pelo suposto cliente.

Outro travesti, Antônio Silvestre conhecido como "Patrícia" de aproximadamente 35 anos de idade, natural do estado do Maranhão, saiu em defesa e foi morto pelo cliente do amigo. Ele sofreu 4 perfurações e morreu no local. Natália foi socorrida para o Tarcísio Maia.

Ainda segundo informações o acusado estava de motocicleta e fugiu logo após a prática do crime. O Delegado de Plantão, Bacharel Teixeira Junior, começou as investigações ouvindo no local, os amigos das vítimas e disse que vai solicitar as imagens do sistema de câmeras de segurança do Motel para tentar identificar e prender o acusado. 


*Informações e imagens: O Câmera.
"Natália" supostamente causador da confusão sofreu três cutiladas e foi socorrido para o Tarcísio Maia.

  Veja a galeria de fotos

Ministro é citado em depoimentos de investigação sobre fraude de terras

O nome do ministro da Agricultura, Neri Geller, foi citado por diversas vezes em depoimentos de testemunhas de processo da Justiça Federal de Mato Grosso sobre invasão e negociação de terras públicas da União destinadas à reforma agrária no estado. Na quinta-feira (27), a Polícia Federal deflagrou a Operação Terra Prometida, que investigou pelo menos 13 fazendeiros e empresários suspeitos de explorar terras destinadas à reforma agrária na região de Itanhangá (cidade a 447 km de Cuiabá) para monoculturas, como de soja e de milho. A acusação é do Ministério Público Federal (MPF), que solicitou à Justiça a expedição de 52 mandados de prisão.

O suposto envolvimento do ministro da Agricultura, Neri Geller, é decorrência de depoimentos de testemunhas que relataram que Geller seria proprietário de pelo menos dois lotes de um assentamento em Itanhangá destinado à reforma agrária, mas que teria sido ocupado por políticos por fazendeiros e políticos da região norte do Mato Grosso.

A Polícia Federal divulgou nota nesta sexta-feira (leia a íntegra ao final desta reportagem) informando que o ministro não foi investigado na operação. Devido às citações de Neri Geller nos depoimentos, o juiz federal Fabio Henrique Rodrigues de Moraes Fiorenza, da Subseção Judiciária de Diamantino (MT), remeteu no final de agosto o processo para o Supremo Tribunal Federal (STF), única instância da Justiça autorizada a investigar ministros de estado.

Segundo a nota da Polícia Federal, “o Ministério Público Federal no Mato Grosso submeteu a aludida apuração ao Supremo Tribunal Federal que, após análise, devolveu os autos à primeira instância para prosseguimento da operação”.


*O Xerife.

Garibaldi Filho libera Izabel Montenegro e Alex Moacir

Vereadores do PMDB de Mossoró são autorizados a apoiarem governo Francisco José Júnior
A vereadora Izabel Montenegro (PMDB) se reuniu com o ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho (PMDB).

O encontro aconteceu em Natal, nesta sexta-feira, 28.


Em pauta um possível apoio de Izabel e do também vereador do PMDB, Alex Moacir ao governo do prefeito Francisco José Júnior (PSD).

– Na conversa com Garibaldi Filho tratamos do nosso futuro político quando destacamos o bom relacionamento que sempre tivemos com o prefeito Francisco José Júnior -, informa Izabel.

Ela explica que Garibaldi considerou natural que tanto ela quanto Alex ofereçam apoio ao prefeito Francisco José Júnior, que também já externou publicamente a boa convivência com os vereadores do PMDB.

Izabel Montenegro destaca que no encontro reafirmou sua posição de liderada de Garibaldi e do presidente estadual do PMDB, Henrique Eduardo Alves.


*Carlos Skarlack.

ABERTURA DA FESTA DA PADROEIRA DE APODI ACONTECE COM MOTOROMARIA

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO