sábado, 27 de junho de 2015

Luan Santana registra público recorde no Mossoró Cidade Junina

Uma multidão de fãs lotou a Estação das Artes nesta sexta-feira, 26, para acompanhar o show de Luan Santana. O público, estimado em cerca de 120 mil pessoas, cantou junto com o artista os grandes sucessos que embalam sua carreira.

Para garantir um lugar perto do palco e conseguir ver o ídolo de perto, a fã Maria Thainá de Tabuleiro do Norte, no Ceará, chegou cedo. “Hoje é meu aniversário e o maior presente é poder ver o Luan. Estou muito feliz, cheguei às 6h da manhã para ficar perto do palco”, disse.
Os integrantes do Fã-Clube Império Santana também se adiantaram para garantir um bom lugar na Estação das Artes. “Estamos aqui desde às 6h da manhã para ficar junto da grade e ver o Luan de perto. Todo o fã-clube, que conta com pessoas de diversos estados do Nordeste, foi mobilizado para o show. Não temos como expressar a alegria de ver nosso ídolo de perto”, disse Vitória Luiza, a presidente do grupo.

O ídolo da música sertaneja universitária trouxe seu novo show acústico e, conforme a expectativa da organização do evento, o Mossoró Cidade Junina registrou o maior público de sua história. Além de Luan Santana, se apresentaram Lagosta Bronzeada, Aline Reis e os artistas locais com o projeto São João da Terra.
“Um grande sucesso. Estação das Artes lotada por crianças, adolescentes e famílias que aproveitaram a festa com tranquilidade e alegria. Estamos na reta final do Mossoró Cidade Junina e muito felizes com a grandiosidade do evento”, afirmou o prefeito Francisco José Júnior.

Os shows no palco principal do MCJ continuam neste sábado, 27, com as apresentações de Dorgival Dantas, Waldonys, Pé de Ouro e artistas locais. No domingo, 28, as atividades na Estação das Artes serão encerradas com show da Irmã Kelly Patrícia.


*JBelmont.

ACIDENTE NA BR 405 E ESTRADA QUE LIGA A RIACHO DE SANTANA

No dia de hoje 27/06, um acidente há poucos minutos na estrada que liga a cidade de Riacho de Santana/RN a BR 405, na imediações do sítio Catolezinho. O motociclista perdeu o controle da moto e colidiu em uma placa de sinalização. Ele foi socorrido para o hospital regional de Pau dos Ferros.



 

*Fonte: Nossa Pau dos Ferros RN.

LAVA JATO: Coordenador do cartel diz ter dado verba a 18 personagens, entre eles Lula e Dilma

A revista Veja veiculou em seu site notícia que traz a relação de 18 personagens a quem o delator Ricardo Pessoa, dono da Construtora UTC, diz ter repassado dinheiro. Coordenador do cartel de empreiteiras que desviou pelo menos R$ 6 bilhões dos cofres da Petrobras, Pessoa detalhou em cinco dias de depoimentos, em Brasília, como borrifou verbas nas caixas registradoras de campanhas políticas e como distribuiu propinas.

Segundo a notícia de Veja, que teve acesso aos termpos da delação homologada pelo ministro Teori Zavascki, do STF, Pessoa disse ter usado dinheiro desviado da Petrobras para fazer doações às campanhas presidenciais de Lula (2006) e de Dilma Rousseff (2014). O delator citou o então tesoureiro do comitê de Dilma, Edinho Silva (PT), hoje ministro da Comunicação Social da Presidência.

A relação de supostos beneficiários dos repasses do delator inclui também o ministro Aloizio Mercandate (Casa Civil) o ex-ministro José Dirceu e políticos de oposição: Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Julio Delgado (PSB-MG). Vai reproduzida abaixo a lista divulgada por Veja:

-Campanha de Dilma em 2014: R$ 7,5 milhões (o delator citou o então tesoureiro da campanha, Edinho Silva, hoje ministro)

– Campanha de Lula em 2006: R$ 2,4 milhões

– Ministro Aloizio Mercadante (PT): R$ 250 mil

– Senador Fernando Collor (PTB): R$ 20 milhões

– Senador Edison Lobão (PMDB): R$ 1 milhão

– Ex-Senador Gim Argello (PTB) R$ 5 milhões

– Senador Ciro Nogueira (PP): R$ 2 milhões

– Senador Aloysio Nunes (PSDB): R$ 200 mil

– Senador Benedito de Lira (PP): R$ 400 mil

– Deputado José de Fillipi (PT): R$ 750 mil

– Deputado Arthur Lira (PP): R$ 1 milhão

– Deputado Júlio Delgado (PSB): R$ 150 mil

– Deputado Dudu da Fonte (PP): R$ 300 mil

– Prefeito Fernando Haddad (PT): R$ 2,6 milhões

– Ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto: R$ 15 milhões

– Ex-ministro José Dirceu: R$ 3,2 milhões

– Ex-presidente da Transpetro Sergio Machado: R$ 1 milhão.


*JBelmont.

2,6 mil toneladas de peixes morrem em 15 dias no açude Castanhão

Apenas ontem, no assentamento Curupati-Peixe, foram encontradas 700 toneladas. Causas para a mortandade ainda não foram definidas. Para tentar reduzir os danos, os locais das gaiolas de criação serão redistribuídos

700 toneladas de peixes mortos foram encontradas ontem no assentamento Curupati-Peixe

Em 15 dias, pelo menos 2,6 mil toneladas de peixes morreram no açude Castanhão. As espécies eram criadas em gaiolas, concentradas na margem esquerda da barragem. O prejuízo dos produtores pode atingir os R$ 8 milhões, estima o prefeito de Jaguaribara, Francini Guedes. Somente na manhã de ontem, foram encontradas 700 toneladas de pescado morto no assentamento Curupati-Peixe, onde 41 famílias sobrevivem através da produção.

Ontem, no Palácio da Abolição, representantes da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), da Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura do Estado (Seapa) e piscicultores da região atingida se reuniram para traçar soluções. Ficou definido que os tanques-rede serão redistribuídos em 26 pequenas unidades, com no máximo sete hectares e distância de mil metros entre cada uma - informou Pedro Eymar Campos, coordenador de Pesca e Aquicultura do Dnocs. Atualmente, ele explica, as áreas de criação são concentradas.

Causas

Ainda não foram definidas as razões para as mortes. Segundo Francini, na história do açude não foi registrada uma situação de mortandade tão elevada. Produtores acreditam que, quando a Cogerh fechou a válvula responsável por liberar água para o rio Jaguaribe, aconteceu um movimento brusco e a água do fundo - mais densa - atingiu a superfície. Em nota, a companhia refutou a tese.

Quatro pontos, segundo a Cogerh, levam ao descarte da hipótese: diferentemente da velocidade da água em rios e riachos, a velocidade da água no interior de reservatórios é ínfima, próxima de zero, o que significa que a velocidade da água após a alteração da vazão liberada ainda continuará sendo insignificante; o evento de mortandade de peixes aconteceu dias após a operação da válvula; em outras ocasiões, já foi operado com a vazão atual sem causar mortandade; em 2013, nesta mesma época, aconteceram registros de morte no açude.

Pedro Eymar, do Dnocs, informou que as motivações reais para o caso estão sendo investigadas. Amostras da água e peixes mortos foram recolhidos para análise. “Vamos montar um grupo gestor para o parque aquícola”, pontua. Segunda-feira, 29, está agendada uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Jaguaribara para discutir o caso e os criadores planejam realizar uma passeata em protesto.

Saiba mais

O açude Castanhão, na Bacia Hidrográfica do Médio Jaguaribe, tem 19,61% do volume total - cerca de 1,34 bilhão de m³. “O reservatório pereniza o Vale do Jaguaribe pela válvula dispersora com vazões que variam de acordo com as necessidades da operação, respeitando as médias estabelecidas pela alocação negociada, procurando o atendimento eficiente dos usos múltiplos”, informou, em nota, a Cogerh.

Segundo Francini Guedes, a mortandade atingiu Jaguaribara, Jaguaretama, Alto Santo e Jaguaribe. Na reunião de ontem foi discutida a possibilidade de retardar pagamentos de financiamentos feitos em instituições bancárias - diz Pedro Eymar. Parte dos trabalhadores contraiu dívidas para poder investir na produção de pescado.

*O Povo/Alto Santo é Notícia.

HOJE TEM FESTA DO PESCADOR EM APODI!!!!


Projeto de Viticultura na Chapada do Apodi

Do IRN - Está em fase de implementação no Ifrn Campus Apodi, o projeto de viticultura na região da Chapada do Apodi. Esse projeto é uma parceria do Instituto, juntamente com o SEBRAE e a UFERSA. O IFRN é responsável pela produção das mudas, o SEBRAE presta assessoria técnica, e a UFERSA realiza pesquisas acerca desse tipo de cultivo.

O projeto está envolvendo até o presente momento 14 agricultores familiares e assentados da região da chapada do Apodi. Está sendo produzida uva roxa da variedade Isabel precoce, que pode tanto ser consumida in natura, como ser utilizada para produzir sucos e vinhos, que é a chamada "produção para mesa". De acordo com os responsáveis pelo projeto, já foram produzidas aproximadamente 5000 mudas, desde o início do projeto.

Os parceiros também irão executar um projeto de pesquisa com oito variedades de uvas sem semente, para analisar quais se adaptam melhor ao clima e solo da região.