sexta-feira, 22 de julho de 2016

Turma da pós-graduação da Escola da AL intensifica ritmo na reta final

Conciliar a rotina de trabalho com a de aluno e os outros afazeres da vida pessoal ganhou um componente extra para os concluintes do curso de especialização lato sensu da Assembleia Legislativa: a elaboração do trabalho de conclusão de curso (TCC), cujo prazo final para entrega será no dia 31 de agosto, três meses após o encerramento das disciplinas.

Pesquisa, produção textual, encontros regulares com o professor orientador, estudos até altas horas, ajustes necessários, correção de rotas. Soma-se a isso, lazer, família e amigos sacrificados, compondo o corrido dia-a-dia daqueles que estão se dedicando para realizar um trabalho de excelência e cumprir com todos os prazos estabelecidos pela Escola.

O prazo está correndo, mas a sensação do dever cumprido e as expectativas já são as melhores possíveis: “Final de curso é sempre complicado porque tem a correria do TCC e a vida da gente que já é muito corrida”, afirma a advogada Larissa Nobre, servidora da Câmara Municipal de Natal, que está se especializando em Gestão Legislativa.

Para ela, a Escola da Assembleia correspondeu às expectativas: “Foi muito bem prestado o serviço e acredito que também foi bem feito da minha parte, me agregou valores e fiquei com a certeza de ser uma especialista em gestão pública. Tudo que agrega deve ser levado em consideração e embora os dias estejam corridos, acredito que consigo entregar o meu trabalho dentro do prazo”, afirma a advogada.

Estatísticas

A Escola da Assembleia encerra o primeiro semestre com 333 atividades acadêmicas realizadas. Desde o início das suas atividades, em 2009, até o momento, mais de 16 mil alunos já passaram pelos cursos, palestras e oficinas. As seis turmas do primeiro semestre incluem uma de graduação e uma de mestrado. As turmas da pós contam com 20 alunos cada e no mestrado, o primeiro no País oferecido por uma Casa Legislativa, são 6 alunos.

Servidora do Tribunal de Contas do RN (TCE), a jornalista Andreia Morais também está se desdobrando para conciliar o final do curso, com a vida profissional e de esposa e mãe. “Temos que conciliar muitos afazeres, mas acho que vai dar para fazer um trabalho legal, condizente com a minha expectativa”, afirma a jornalista. Andreia destaca a atuação do professor orientador: “Meu orientador é muito bom, está acompanhando a gente etapa a etapa, uma pessoa muito atenciosa”, afirma. Sua pesquisa está relacionada às percepções sobre o Planejamento Estratégico realizado no tribunal.

Servidora do Legislativo do RN, onde atua no atendimento do Setor Médico da Casa, a economista Maria de Fátima Rodrigues de Souza afirma que a etapa final vem sendo bastante cansativa a fim de conciliar todos os seus afazeres. Integrante de um grupo vocal da igreja do bairro, Fátima tem se ausentado deste compromisso e dos momentos de lazer ao lado da família, mas ficou bastante satisfeita com o curso. Sua pesquisa é focada na qualidade do atendimento do setor em que trabalha. “Esse final de curso está sendo bem intenso. Penso em fazer outra especialização, mas antes tirarei umas boas férias”, afirmou a economista.

CONVITE DE CANTORIA!!!


Preso em Manaus por planejar ato terrorista do Estado Islâmico trabalhava no Ciops

Convertido ao islamismo recentemente, Ali Oziris Lundi foi desligado há três meses do setor de suporte técnico do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), órgão da SSP-AM

Atualizado em 22/07/2016 às 09:19

acritica.com Manaus (AM)
Informações dão conta de que Ali Oziris Lundi teria entrado em contato com o Estado Islâmico através do Facebook, onde jurou fidelidade ao islã (Foto: Reprodução)

Ali Oziris Lundi é o nome do homem preso hoje em Manaus, pela Polícia Federal, como suspeito de planejar atentados terroristas do Estado Islâmico durante os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Ele e mais nove pessoas foram detidas durante a Operação Hashtag, deflagrada em outros nove estados brasileiros, além do Amazonas.

 
Convertido ao islamismo recentemente, Ali Oziris Lundi trabalhava no setor de suporte técnico do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), órgão da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). O suspeito pediu demissão há três meses, tempo da investigação. Segundo colegas, ele fazia rituais muçulmanos dentro do Ciops.
Informações dão conta de que Ali Oziris Lundi teria entrado em contato com o Estado Islâmico pelo Facebook e jurado fidelidade ao islã. O secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, já tinha conhecimento das ações do homem. O suspeito foi ouvido hoje na sede da Polícia Federal, em Manaus.

Operação da PF

“De simples comentários sobre o Estado Islâmico, eles passaram para atos preparatórios. A partir disso foi feita prontamente a atuação do governo federal”, disse o ministro da Justiça, Alexandre Moraes, em Brasília. Segundo Moraes, o EI teria pedido para que os dez suspeitos treinassem luta e manuseio de armas, que seriam adquiridas no Paraguai.

Para Moares, o grupo de brasileiros ligado ao EI era “amador”. Em todo o País, a Operação Hashtag teve o objetivo de desarticular o grupo envolvido na promoção do Estado Islâmico e na execução de atos preparatórios para a realização de atentados terroristas e outras ações criminosas. É a primeira operação policial após a publicação da Lei 13.260/2016.

Cerca de 130 policiais cumpriram mandados judiciais expedidos pela 14ª Vara Federal de Curitiba, sendo dez prisões temporárias, duas conduções coercitivas e 19 buscas e apreensões, nos estados do Amazonas, Ceará, Paraíba, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

As investigações

As investigações tiveram início em abril com o acompanhamento de redes sociais pela Divisão Antiterrorismo da Polícia Federal (DAT). Os envolvidos participavam de um grupo virtual denominado Defensores da Sharia e planejavam adquirir armamentos para cometer crimes no Brasil e até mesmo no exterior. Uma ONG com atuação na área humanitária e educacional também é investigada por participação no caso.

Os investigados responderão individualmente, na medida de suas participações, pelos crimes de promoção de organização terrorista e realização de atos preparatórios de terrorismo, ambos previstos na Lei 13.260/2016. A pena para o primeiro crime é de cinco a oito anos de prisão, além do pagamento de multa. Para quem executa atos preparatórios, a pena varia de três a 15 anos de prisão.
 
*Fonte: O Câmera.

Convite especial a toda a Comunidade de Caraúbas e Região. VI Feira de Ciências da Escola Estadual Prof. Lourenço Gurgel de Oliveira - 2016.


Associação cultural Estudantil Caraubense-ACEC

AVISO IMPORTANTE
 
Comunicamos aos UNIVERSITARIOS, E CURSISTAS de nossa cidade, que as aulas da UFERSA- Mossoró começa nessa segunda feira dia 18/07/2016.
Sabemos que são poucos alunos, e não teríamos condições financeiras para alugamos um ônibus para o total de alunos previsto, que voltam as aulas nessa segunda (amanhã), FICA CERTO que, amanhã as 17:00 da tarde, sairá uma van dos pontos de nossa cidade, para levar esses alunos até a sua instituição de ensino.
O VALOR A SER DEFINIDO AMANHÃ, QUANDO TODOS ESTIVEREM NA VAN.
Dês de já nosso agradecimento.
OBS:. Vamos a luta, pois SOMOS O FUTURO DE NOSSA CIDADE, ESTADO E PAÍS.

Apodi=Homicida mossoroense foragido da justiça é preso pelo GTO na Baixa do CAIC.

Por volta das 21:30 da noite de ontem dia 21/07, o GTO de Apodi comandado pelo Tenente Júlio Batista, em patrulhamento pela cidade, abordou um casal que estava numa trax de cor azul, em atitude suspeita na Baixa do CAIC.
A policia informou que, no momento em que o casal avistou a viatura, o homem jogou um volume ao chão, os policiais perceberam, e ao ser verificado, foram encontradas 05 pedras de crack.
O indivíduo que se identificou como Paulo Sergio Moisés da Silva, foi conduzido a delegacia de policia civil de Apodi, e ao ser realizado a consultado no sistema, constatou que o mesmo era foragido da penitenciária agrícola Mario Negócio em Mossoró.

Suspeito de assalto 


Um individuo numa Trax azul e com as mesmas características de Paulo Sergio, realizou um assalto onde na ocasião tomou um celular de uma pessoa. A policia pede a quem vier a reconhecer o suspeito, que denuncie na sede da delegacia de policia civil de Apodi, para que seja realizado os procedimentos cabíveis.


*Sentinelas do Apodi.

Ibope: Sudeste é o mais insatisfeito com o governo

Do Xerife: A população da região sudeste é a que mais está insatisfeita com o governo federal, segundo o Ibope, diz Mônica Bergamo na sua coluna da Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

A pesquisa — acrescenta a colunista — feita com 2.002 pessoas em 143 municípios em parceria com a Confederação Nacional da Indústria, mostrou que 49% das pessoas nos quatro Estados da região acreditam que os recursos públicos são muito mal utilizados. O percentual varia entre 31% e 44% nas outras regiões.

COMUNICADO DA JUSTIÇA ELEITORAL!!