quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Funcionárias da Central do Cidadão em Apodi acusam direção de serem vítimas de “perseguição política”, gerente refuta afirmação

Quatro funcionárias da Central do Cidadão de Apodi, estiveram na manhã desta quinta-feira 06, presentes a sessão ordinária da Câmara Municipal de Apodi, acusando a direção de órgão de “perseguição política”, segundo elas por não terem votado no prefeito, candidato a reeleição nas eleições de domingo passado.

Elas são funcionárias efetivas do estado, e prestavam serviço no órgão com função gratificada, tinham uma remuneração extra, eram cedidas pelos seus órgãos de origem.

O gerente da Central do Cidadão Luis Rego explicou que o fato ocorrido é normal, e que independe dele enquanto administrador do órgão, pois os nomes foram solicitados diretamente de Natal, e a ele enquanto hierarquia coube cumprir apenas ordens.

Fizemos apenas o que está dentro de nossa responsabilidade, cumprimos ordem, isso é normal dentro de repartições públicas, cargos comissionados estão sujeitos a essa questão”, afirmou.


*Informação: Josenias Freitas.

SEGUNDO BAILE BENEFICENTE EM APODI!!!!

Será dia 11 de outubro, o II Baile Beneficente, com Radiola Club em Apodi! Você não pode perder, música, recordação e muita diversão!
Lembrar, que toda renda será revertida ao GASPEC! Abrace essa causa! Junte-se a nós!!!

APODI: PORTA DA CENTRAL DO CIDADÃO FOI QUEBRADA

Uma ação danosa, na noite de ontem acabou destruindo a porta principal da Central do Cidadão em Apodi, causando um dano irreparável ao patrimônio público, pois a o órgão é considerado um dos mais importantes do município.

Segundo o gerente da Central do Cidadão em Apodi, Luis Rego o fato ocorreu por volta das 22:30h de ontem, destruindo a porta de acesso ao órgão.

O gerente ainda explicou que os moradores que residem próximo, informaram que uma “bomba” de uso caseiro teria causado a destruição, no entanto só percebeu os estilhaços do artifício pela manhã, como também o cheiro forte de pólvora.

Não sei sinceramente o que motivou tal ação, pois a Central do Cidadão em Apodi só faz o bem as pessoas, pois prestamos aqui um bom trabalho” afirmou o gerente.


*Informação: Josenias Freitas.

Felipe Guerra=Assalto em Mulungu deixa uma pessoa ferida a coronhada e ambulância é levada por assaltantes

Foi registrado agora a pouco um assalto na comunidade de Mulungu na zona rural de Felipe Guerra Região oeste do Estado, o Assalto aconteceu na residência do senhor Capitão como é, mas conhecido naquela comunidade.

De acordo com informações que chegou a nossa redação, elementos chegaram à residência de seu Capitão lá no Mulungu perguntando por um Veículo da Família, segundo informações os mesmo ainda chegou agredir o proprietário da Residência com coronhadas da arma de fogo.

Como na residência não tinha o veículo que estavam atrás, os elementos acabaram fugindo levando uma Ambulância que estava na residência de Capitão, o Veículo Ambulância é Pertencente ao Centro Social Comunitário Joel Canela.

O Grupo Tático de Operações Especiais (GTO) realiza diligências na região na tentativa de encontra os Assaltantes, além de levarem a Ambulância, os elementos também levaram diversos pertences das vítimas como Celular e outros Objetos.

O Senhor Capitão ainda teve que recebe atendimento médico no Hospital de Felipe Guerra, mais nada grave com o mesmo. Caso alguém ver por aí uma Ambulância Branca em Atitude suspeita entra em contato com a Polícia.

Fones: Ciosp 190/Felipe Guerra: Polícia (84) 9-9652-7855

*Santana Notícia/Sentinelas do Apodi.

FESTA DO BOI COMEÇA A PARTIR DESTA SEXTA COM AVIÕES DO FORRÓ

Nesta sexta-feira, dia 07 de outubro, começa a maratona de shows da Festa do Boi 2016. Em sua 54ª edição, o evento consagrado em Parnamirim e um dos mais tradicionais do estado, promete muita animação com três dias de programação e grandes atrações. A banda Aviões do Forró, a dupla Simone & Simaria, os cantores Avine Vinny e Luan Estilizado e o Forró Pegado são as atrações da abertura.

A festa, que será realizada mais uma vez no Parque Aristófanes Fernandes, terá ainda shows de Luan Santana, o projeto ‘Cabaré’ com Leonardo e Eduardo Costa, Dorgival, Solteirões, Os Gonzagas, Jonas Esticado, Raça Negra, Cavaleiros e Pedro & Benício. Os ingressos estão à venda nas lojas Online do Norte Shopping, Hiper Prudente, Via Direta, Parnamirim e Macaiba. Na internet, o público pode adquirir através do site www.ingressando.com.br.

Nos três dias de festa, a expectativa é de atrair público de mais de 500 mil pessoas. Informações: (84) 3620-5262 Telepesquisa.

Programação:

07/10Avioes
Simone e Simaria
Pegado
Luan Estilizado
Avine Vinny

11/10Cabaré (Leonardo e Eduardo Costa)
Solteiroes
Dorgival
Os Gonzagas

15/10Luan Santana
Raça Negra
Jonas
Cavaleiros
Pedro & Benício

BANCÁRIOS FARÃO ASSEMBLEIA HOJE E GREVE PODE TERMINAR!

A Federação Nacional do Bancos (Fenaban) informou nesta quinta-feira (6) que ofereceu aos bancários em greve há um mês reajuste de 8% em 2016 e abono de R$ 3.500. A proposta também inclui aumento de 10% no vale refeição e no auxílio-creche-babá e de 15%, no vale alimentação.

Os bancos também se comprometeram a garantir aumento real de 1% em todos os salários e demais verbas.

A reunião entre os bancos e os trabalhadores ocorreu na véspera. De acordo com a federação, os bancários farão assembleia nesta quinta-feira, às 17h, para decidir se aprovam a proposta e encerram a greve. A Fenaban também garantiu que não haverá compensação dos 30 dias parados durante a paralisação.

Os bancários pedem a reposição da inflação do período mais 5% de aumento real (totalizando 14,78% de reajuste), valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) e PLR de três salários mais R$ 8.317,90.

Antes do início da greve, no dia 29 de agosto, os bancos propuseram reajuste de 6,5%. Duas novas propostas foram apresentadas depois do início da paralisação, nos dias 9 e 28 de setembro, de reajuste de 7%. Todas foram rejeitadas pelos bancários, que decidiram manter a greve por tempo indeterminado.

*Informações: G1.

STF mantém decisão que permite prisão após condenação em 2ª instância

Voto da presidente Cármen Lúcia desempata a questão
O STF decidiu, por 6 votos a 5, que condenados em segunda instância podem, sim, ir para a cadeia, sem a necessidade de aguardar o esgotamento dos recursos.

Está mantido, assim, o entendimento da Suprema Corte de fevereiro deste ano, quando o placar foi de 7 a 4 — hoje, Dias Toffoli migrou para o lado derrotado.

Cármen Lúcia deu o voto de minerva.

Vitória, apertada, da Lava Jato. Derrota de Lula. Derrota da ORCRIM.

*Carlos Skarlack.

PF indicia Lula por propina de R$ 20 milhões da Odebrecht a sobrinho

Ex-presidente foi indiciado por corrupção. Investigação descobriu mensagens de celular, em que Taiguara citava carta branca do “tio” a negócios com a Odebrecht em Angola

POR ÉPOCA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Aloisio Mauricio / Fotoarena)

A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo crime de corrupção em razão de evidências de propina de R$ 20 milhões mascarada em contratos da empreiteira Odebrecht em Angola firmados com a empresa Exergia, cujo sócio era Taiguara Rodrigues, seu sobrinho.

Lula foi indiciado por corrupção passiva, porque a PF concluiu que os contratos de Taiguara só aconteceram em razão do parentesco e das relações da empreiteira com Lula, além dos documentos que citam o próprio ex-presidente no negócio. Seu sobrinho e sete executivos da empreiteira, incluindo Marcelo Odebrecht, foram indiciados por corrupção e lavagem.

Leia também:
>> As operações suspeitas da Odebrecht em Angola

>> Palocci, o Italiano, a Odebrecht e o PT

O indiciamento ocorreu após cinco meses de investigação da operação Janus, que devassou contratos da empreiteira com a empresa Exergia. Em maio, a PF, com autorização da Justiça, cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços de Taiguara em Santos. Era uma mina de ouro para a investigação. A PF descobriu que Lula recebia três alcunhas nas conversas: tio, presidente e “chefe maior”.

Uma das provas apreendidas pela PF era uma espécie de diário no computador de sobrinho de Lula, com diversos relatos da empresa e do petista. Eram textos em formato .doc, com Taiguara falando de si mesmo em terceira pessoa. Um dos primeiros — e mais relevantes — registros desse diário é de 2009, quando Taiguara descreve uma reunião. Ele diz que esteve em Brasília para conversar com o tio. Registrou até a duração do encontro: 50 minutos. Taiguara resumiu a resposta de Lula, dizendo que ele deu “carta branca” para os negócios em Angola.

Após esse encontro, com o aval de Lula, Taiguara preparou sua empresa para arrancar um naco dos contratos bilionários da Odebrecht em Angola, financiados com dinheiro do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Como ÉPOCA revelou no ano passado, Lula fazia lobby para a empreiteira sob o pretexto de palestras, usando o status de ex-presidente para viabilizar obras fora do país bancadas pelo banco estatal.
 

Pagamento da Odebrecht para a empresa do sobrinho de Lula (Foto: Reprodução)
 

Contrato da Odebrecht com a empresa do sobrinho de Lula (Foto: Reprodução)

O tio resolve

Além do diário, a PF conseguiu recuperar mensagens de Whatsapp enviadas por Taiguara. Um dos destinatários favoritos era um segurança do ex-presidente Lula, de nome Valmir Morais. Funcionário da presidência da República, ele acompanhava Lula após o mandato. Como ÉPOCA revelou no início deste ano, Valmir era um dos seguranças que foram 111 vezes a Atibaia, no sítio que Lula diz não ser dele. A PF descobriu que o segurança era, também, um homem de recados do ex-presidente, que não usava celular. Numa das mensagens, Taiguara disse que havia chegado de Angola e precisava, com urgência, de uma reunião com o tio.

Outro lote de mensagens era com um parceiro de Taiguara em sua empresa, a Exergisa. O conteúdo das conversas era explícito. Numa delas, Taiguara fala que um projeto com a Odebrecht era uma ficção — o contrato depois foi firmado. Em outra, já em 2015, eles reclamavam das dificuldades em fechar negócios. Na ocasião, a Lava Jato já tinha atingido a empreiteira. Taiguara, de novo, ia direto ao ponto: ia falar com o tio para resolver os impasses com a Odebrecht.

No total, foram 16 contratos da Odebrecht com a empresa de Taiguara, uma parceria próspera, longa e diversificada. A conclusão da PF é contundente: a empresa foi criada apenas para receber dinheiro da empreiteira, sem prestar serviços. Não havia outros clientes ou indícios de qualquer serviço executado. Sobram, contudo, documentos que mostram uma gastança de Taiguara, incluindo outros familiares de Lula, que tinham até o plano de saúde pago com o dinheiro da Exergisa. Havia, claro, itens de luxo, como roupas e carros.

Conforme os documentos eram analisados, a investigação avançava. Uma perícia concluiu pela “incapacidade técnica e operacional” da Exergisa. Soma-se a um documento interno da Odebrecht, que qualificava o serviço contratado de “imprestável”. A conclusão da PF foi uma só: era impossível a nanica empresa de Santos executar as obras milionárias em Angola.

As mensagens de Taiguara citando Lula não eram mera bravata de um familiar se aproveitando do status de um parente famoso. A investigação descobriu ainda diversas reuniões de Taiguara no Instituto Lula. Houve, também, um encontro num hotel cinco estrelas em Angola. O primeiro indício surgiu de uma mensagem do próprio Taiguara a um segurança de Lula. Ele pedia um encontro, informava que estava no mesmo hotel do tio e citava o quarto. Lula esteve lá duas vezes, sob o pretexto de dar palestras. As duas foram pagas pela Odebrecht.

O empresário Taiguara Rodrigues dos Santos, filho do irmão da primeira mulher de Lula, em depoimento à CPI do BNDES em outubro de 2015 (Foto: Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados)

Procurada, a defesa de Lula ainda não se manifestou. ÉPOCA ainda não localizou os advogados de Taiguara, mas tão logo obtenha um posicionamento atualizará esta reportagem para contemplar adequadamente a versão dos citados. Na CPI do BNDES, ele disse que não houve influência de Lula no negócio.

No papel, Taiguara nem sequer é sobrinho de Lula. Ele é filho de Jacinto Ribeiro dos Santos, o Lambari, amigo de Lula e irmão da primeira mulher do ex-presidente, já falecida. Mas o parentesco aí se deu por afinidade. E a Odebrecht cimentou essa relação.

  
*Carlos Skarlack

Audiência discute rumos da Caern e diretor nega possibilidade de privatização

Crédito da Foto: João Gilberto
A possibilidade de privatização da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) foi rechaçada durante a audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira (5), na Assembleia Legislativa. Convidados pelo deputado Fernando Mineiro (PT), representantes do Executivo disseram que a possibilidade de venda da companhia sequer é cogitada pelo Governo do Estado e que, no momento, o objetivo é melhorar os serviços prestados à população potiguar.

Proposta pelo deputado Fernando Mineiro, a audiência pública teve como objetivo discutir o saneamento básico de Natal e possível Programa de Parceria de Investimentos (PPI) para a companhia, que supostamente seguiria um entendimento nacional de abertura das estatais para capital privado como contrapartida a investimentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"São questões que precisamos discutir. Os sindicalistas não são contra a privatização somente para conservar seus trabalhos, mas não é o caso. A água é um direito sagrado de todos e é um risco ir para a iniciativa privada", disse Mineiro, sugerindo ainda que o sindicato que representa os profissionais que atuam na área produzissem uma carta aberta relatando os riscos à sociedade.

Por outro lado, o diretor-presidente da Caern, Marcelo Toscano, garantiu que a privatização não é cogitada pelo Governo do Estado. Segundo o gestor, o maior objetivo da administração é fazer com que a Caern se torne ainda mais eficiente, cumpra com os planos para o saneamento básico e, dessa forma, ofereça serviços melhores à população.

"O que queremos é uma empresa eficiente. E uma empresa pública eficiente não precisa ser privatizada", resumiu o diretor.

Sobre a atuação da Caern nos municípios, os participantes da audiência alertaram para a necessidade de que as prefeituras busquem a regularização de seus contratos ou convênios com a Caern. Segundo Toscano, nenhum município está em situação regular com a companhia, que detém a concessão dos serviços relacionados ao abastecimento de água e saneamento no estado.

Marcelo Toscano ofereceu um encontro para discutir a questão junto ao governador e Fernando Mineiro disse que é importante que os participantes da audiência tenham o interesse em participar, para que os municípios e a própria companhia estejam segurados com relação à continuidade dos serviços ofertados.

"Se houvesse uma disputa pela concessão, é óbvio que empresas privadas só teriam o interesse em tomar conta do 'filé mignon', que seriam as grandes cidades, como Natal. Até porque cidades pequenas tendem a ser deficitárias para a Caern. Por isso, é importante que os 167 prefeitos e prefeitas eleitos tenham esse assunto em suas agendas já para o início da gestão", disse Mineiro.

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO

DETRAN: CALENDÁRIO DE LICENCIAMENTO