quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Operação investiga contratos do Fundeb de 4 anos atrás

Notícias que chegam ao Blog dão conta que a operação deflagrada hoje pela Polícia Federal, envolvendo aplicação, por empresas terceirizadas, de recursos do Fundeb, remetem a contratos efetuados em 2012.

A Polícia Federal já informou que não vai se pronunciar sobre a busca e apreensão em empresas e residências de empresários.


Por Thaisa Galvão.

Fundeb: PF faz busca e apreensão em empresas e casas de empresários contratados pelo Estado

A Polícia Federal faz operação em empresas terceirizadas sobre mau uso de dinheiro do Fundeb.

Também são alvos de busca e apreensão as residências de empresários envolvidos.

A PF não vai se pronunciar.

Como Fundeb é verba da Educação, entrei em contato com a atual secretária de Educação, Cláudia Santa Rosa, que disse ter tomado conhecimento do assunto pela imprensa.
Abaixo o release enviado pela assessoria da Polícia Federal:


OPERAÇÃO DA PF APURA IRREGULARIDADES NA APLICAÇÃO DE RECURSOS DO FUNDEB NO RN
Natal/RN – A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje, 14/12, em Natal, a Operação Fonte Externa, que tem por objetivo apurar denúncias de irregularidades na contratação de serviços terceirizados envolvendo uma Secretaria de Estado do Rio Grande do Norte que teria se utilizado de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB, do Ministério da Educação.

As irregularidades referem-se ao valor do contrato no qual teria havido sobrepreço, bem como, a dispensa indevida de licitação.

23 policiais federais estão cumprindo cinco mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal nas sedes de empresas e nos endereços residenciais dos empresários envolvidos na contratação supostamente irregular.

O nome da operação é uma alusão ao termo da língua inglesa “outsourcing”, comumente utilizado para se referir à terceirização de serviços.

Não haverá entrevista coletiva.


*Por Thaisa Galvão.

Mãe e filha suspeitas de envolvimento na morte de aposentado em Apodí/RN são presas no Centro de Mossoró

Duas mulheres, mãe e filha suspeitas de envolvimento no assassinato do Aposentado Augusto Fernandes de Freitas, 71 anos, natural de Jucurutu, ocorrido nesta terça feira 13 de dezembro em Apodí no Oeste Potiguar, foram presas na manhã desta quarta feira (14) no centro de Mossoró/RN.

As duas identificadas apenas como Cassandra e Francisca, estavam sendo procuradas pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte e foram localizadas após uma denúncia anônima para a Central de Operações da Polícia Militar (COPOM) em Mossoró.

O Grupo Tático Operacional (GTO) e a Guarda Civil do município foram acionados e conseguiram chegar ao local, antes delas desembarcarem em um veículo Alternativo que seguiria viagem para a região do Alto Oeste Potiguar.

Cassandra, estava com dois filhos menores no momento da abordagem da equipe da Guarda Civil. As duas foram encaminhadas à Divisão de Homicídios e depois serão conduzidas à Delegacia de Policia de Apodí, onde serão interrogadas pelo Dr. Renato Oliveira, delegado daquela cidade.

O aposentado foi assassinado e teve o corpo esquartejado e quiemado pelos criminosos que agiram de forma brutal. Augusto Fernandes estava desaparecido de Apodí desde a sexta feira passada (09) e seu corpo foi encontrado pela Polícia Civil na manhã de terça feira (13) (VER O CASO)

Segundo o delegado Renato Oliveira, com a prisão de de um homem identificado como, Maykon Kelly da Silva, de 30 anos, ocorrida nesta terça feira foi possível elucidar o crime.

Maykon confessou sua participação no ato criminoso e apontou as duas mulheres como envolvidas na ação criminosa. Mãe e filha deverão ser encaminhadas à Penitenciária Mário Negócio em Mossoró, onde vão ficar a disposição da Justiça.

Os filhos menores deverão ser encaminhados ao Conselho Tutelar de Apodí, que adotará medidas cabíveis. 


*Fonte: Fim da Linha.

D. Paulo Evaristo Arns morre em São Paulo aos 95 anos

Arcebispo emérito estava internado com broncopneumonia desde o dia 28 de novembro
Morreu nesta quarta-feira (14) o cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Paulo. Ele estava internado no Hospital Santa Catarina em decorrência de uma broncopneumonia. Arns tinha 95 anos.

D. Paulo foi internado no dia 28 de novembro para tratar de problemas pulmonares. Com o passar do dia o estado de saúde piorou e ele teve de ir para a UTI por causa de dificuldades na função renal.

O velório de D. Paulo será na Catedral da Sé, no Centro de São Paulo, e deve durar 48 horas. Ele deve ser sepultado na cripta da catedral.

O comunicado da morte de Arns foi feito em nota divulgada pela Arquidiocese de São Paulo. O arcebispo metropolitano, Dom Odilo Scherer, afirmou em nota que Arns “entregou sua vida a Deus, depois de tê-la dedicado generosamente aos irmãos neste mundo”.

GALERIA DE FOTOS: Veja a trajetória de D. Paulo Evaristo Arns

Em nota, o arcebispo Dom Odilo Scherer, da Arquidiocede de São Paulo afirmou: “Comunico, com imenso pesar, que no dia 14 de dezembro de 2016 às 11h45, o Cardeal Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito de São Paulo, entregou sua vida a Deus, depois de tê-la dedicado generosamente aos irmãos neste mundo.

Louvemos e agradeçamos ao “Altíssimo, onipotente e bom Senhor” pelos 95 anos de vida de Dom Paulo, seus 76 anos de consagração religiosa, 71 anos de sacerdócio ministerial, 50 de episcopado e 43 anos de cardinalato.

Glorifiquemos a Deus pelos dons concedidos a Dom Paulo, e que ele soube partilhar com os irmãos. Louvemos a Deus pelo testemunho de vida franciscana de Dom Paulo e pelo seu engajamento corajoso na defesa da dignidade humana e dos direitos inalienáveis de cada pessoa.

Agradeçamos a Deus por seu exemplo de Pastor zeloso do povo de Deus e por sua atenção especial aos pequenos, pobres e aflitos. Dom Paulo, agora, se alegre no céu e obtenha o fruto da sua esperança junto de Deus!

Convido todos a elevarem preces de louvor e gratidão a Deus e de sufrágio em favor do falecido Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns. Convido também a participarem do velório e dos ritos fúnebres, que serão realizados na Catedral Metropolitana de São Paulo”.

*Fonte: G1/Carlos Skarlack.