segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

EQUIPE DA NOVA GESTÃO DE APODI ENCONTRA ABATEDOURO PÚBLICO EM ESTADO DE ABANDONO

A manhã desta segunda-feira 02, primeiro dia de trabalho da gestão municipal para o quadriênio 2017/2020 foi de muito trabalho com o intuito de realizar um apanhado da real situação dos órgãos públicos municipais, e um dos locais fiscalizados foi o abatedouro público municipal.

No local os novos coordenadores George Madalena e Fábio Sucupira encontraram um abandono total, sujeira, vísceras de animais, portas abertas, entre outras, ou seja, sem nenhuma condição de funcionalidade.

Vai ser proposto uma reunião com os funcionários lotados no local, onde será sugerido um mutirão para limpeza imediata, para que assim possa ser retomado o abate de animais.

Outra proposta é que após a reorganização do local se faça uma fiscalização em todo município, com a finalidade de coibir a prática de abate clandestino, que coloca em risco a saúde da população de Apodi, que diariamente consume carnes sob suspeita.

A funcionalidade do órgão é de competência da Secretaria Municipal de Agricultura que tem a frente Elton Rosemberg (Teton).


*Fonte: Josenias Freitas.

Caraubense de 16 anos morre afogado na Barragem de Santa Cruz, em Apodi

Um adolescente de 16 natural da cidade de Caraúbas morreu afogado neste domingo (01), na Barragem de Santa Cruz, localizado no município de Apodi, na Região Oeste do Estado do Rio Grande do Norte.

Segundo informações, a vítima foi identificada como Genival Vieira, de 16 anos, e foi encontrado já sem vida por um pescador itauense boiando nas águas da Barragem. 


*Fonte: Icém Caraúbas.

Rebelião em presídio chega ao fim com 60 mortes, diz governo do AM

Motim começou na tarde de domingo (1º) e durou mais de 17 horas.
Presos tinham pistolas, espingarda e armas improvisadas.
 

Do G1 AM.

Sessenta presos morreram na rebelião do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, informou o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes. O motim durou mais de 17 horas e foi considerado pelo secretário como "o maior massacre do sistema prisional" do Estado.

Os mortos são integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e presos por estupro, segundo Fontes. Também houve fugas de detentos, mas o número não foi divulgado oficialmente. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) chegou a dizer ao G1 que mais de 130 estão foragidos.

O complexo penitenciário abriga 1.229 presos e fica no km 8 da BR 174, que liga Manaus a Boa Vista. A unidade prisional, que tem capacidade de abrigar 454 presos, está superlotada.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-AM, Epitácio Almeida, está na unidade prisional e afirmou que os presos liberaram nesta manhã os últimos sete reféns. Segundo ele, os detentos entregaram as armas e se renderam às 8h40 (horário de Manaus) desta segunda-feira (2).

De acordo com Pedro Florêncio, da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), os detentos que se rebelaram tiveram ajuda dos presos do semiaberto. "Eles fizeram buraco na muralha e, por lá, entraram armas no presídio", afirmou. "Não houve falha da inteligência para perceber [o motim]."

Foram apreendidas quatro pistolas, uma espingarda calibre 12 e armas improvisadas, segundo informações preliminares. Além de mortes por armas, foram registradas ainda mortes por incêndio. O ex-policial militar Moacir Jorge Pessoa da Costa, mais conhecido com "Moa", morreu carbonizado em uma das celas. Até o momento, ele é o único detento com identidade informada pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Motivos da rebelião
O secretário Sérgio Fontes afirmou que integrantes da facção Família do Norte (FDN) comandaram a rebelião, que "não havia sido planejada previamente". "Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico", disse.

Fontes afirmou ainda que há indícios de que a rebelião teve relação com o motim no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), também ocorrido no domingo. No total, 87 presos fugiram do Ipat. Cerca de 40 detentos das duas unidades prisionais foram recapturados, segundo o secretário.

Epitácio Almeida afirmou que a negociação com os presos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim começou às 20h30 (horário local) do domingo.

"Nós tivemos a noite mais sangrenta da história do Estado nos presídios. Eu e o juiz Valois negociamos. Eles pediram a presença da imprensa na madrugada, mas não havia ninguém. Doze carcereiros foram feitos reféns e pediram coisas que não julgamos absurdas, como garantir a integridade deles, por isso, o juiz assinou com eles", explicou o presidente de comissão da OAB-AM.

Apoio federal
Em nota, o Ministério da Justiça e Cidadania informou que o ministro Alexandre de Moraes manteve contato com o governador do Amazonas, José Melo de Oliveira, e colocou-se à disposição para ajudar.

O governador disse ao ministro, segundo a nota, que vai usar os R$ 44,7 milhões que recebeu de repasse do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) na última quinta-feira (29).

Entenda o caso
O motim começou na tarde do domingo. De acordo com SSP-AM, os corpos de seis pessoas – ainda não identificadas – foram jogados para fora do presídio, sem as cabeças.

Até 20h50 (22h50 no horário de Brasília), a SSP-AM afirmava que 12 agentes carcerários eram mantidos reféns. Outros funcionários que estavam na unidade prisional conseguiram escapar. Presos também foram feitos reféns, mas o número não pôde ser confirmado.

Ao longo da noite, dezenas de pessoas foram para a porta do presídio aguardar informações de parentes presos. Alguns familiares também compareceram à sede do Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte de Manaus. Entretanto, a entrada de parentes e de jornalistas no local foi proibida.

Movimentação na frente do Compaj, na manhã desta segunda-feira (2) (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
Complexo Penitenciário Anísio Jobim registrou tentativas de fugas (Foto: Divulgação/Seap).

RS: Prefeito faz trajeto de carroça após posse em Santa Vitória do Palmar

Wellington Bacelo se deslocou da Câmara até a prefeitura ao lado do vice.
Ato seria homenagem a carroceiros e protesto contra buracos nas ruas.

Do G1-RS.
Prefeito eleito em Santa Vitória do Palmar segue até a prefeitura de carroça (Foto: Édipo Saraiva/Ângulo Perfeito)

Após cerimônia de posse na Câmara Municipal de Santa Vitória do Palmar, no Sul do Rio Grande do Sul, o prefeito eleito Wellington Bacelo (PMDB) seguiu o trajeto até a prefeitura em cima de uma carroça, ao lado do vice Sidney Nunes das Neves, no fim da tarde do último domingo (1º).

Segundo o prefeito, a ideia era fazer uma "reedição" da tradicional posse. "Saí de carroça, chegando lá fiz meu discurso da sacada da prefeitura e voltei a usar a faixa de prefeito, que não era usada há muitos anos", conta Bacelo.

O prefeito justifica o trajeto feito sobre a carroça como forma de homenagem aos carroceiros e também de protesto em relação à pior reclamação dos moradores, segundo ele: as ruas esburacadas.

"O pessoal das carroças foi muito significativo na minha vida, desde quando eu concorri a vereador no município, depois fui acompanhando esse grupo. Também como uma forma de protesto, tendo em vista que as ruas do nosso município estão intransitáveis. Antigamente, nos deslocávamos de carroça por estradas que eram ruins", explica.

A melhora da estrutura das vias, no entanto, não é a prioridade de seu governo, e deve ficar para um segundo momento. "Hoje em dia, preciso recuperar o maquinário, pagar o salário dos funcionários públicos e os fornecedores atrasados", conclui.

Wellington Bacelo foi eleito com 42,50% dos votos nas eleições de outubro de 2016. É o prefeito mais jovem da história do município, com 29 anos. Ele já foi vereador da cidade e vice-presidente da Câmara.

 
Wellington Bacelo fez trajeto ao lado do vice (Foto: Édipo Saraiva/Ângulo Perfeito)

PREVISÃO DE CHUVAS NA PRIMEIRA SEMANA JANEIRO NO RN

Após uma virada sem chuvas na capital potiguar, o cenário chuvoso das últimas semanas, que atingiu 68 municípios potiguares, deve retornar ao Rio Grande do Norte, com previsão de chuvas para as cidades de Natal, Mossoró, Caicó e Acari nos primeiros dias desta semana.

Na capital, a previsão é de pancadas de chuva na terça, quinta e sexta no final da tarde e a noite. Já na quarta-feira, a previsão é de chuva a qualquer hora na cidade, com nuvens durante o dia, com volumes de até 12mm.

APODI-RN: IMAGENS DA POSSE DE ALAN