sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Professora do IFRN Nova Cruz é uma das finalistas da 20ª Edição do Prêmio Educador Nota 10

A docente Patrícia Barreto, Professora de Língua Portuguesa do Campus Nova Cruz é uma das 50 finalistas da 20ª Edição do Prêmio Educador Nota 10, que este ano é apresentado pela Editora Abril e Rede Globo, em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Criado em 1998, o Prêmio Educador Nota 10 é uma iniciativa da Fundação Victor Civita para a valorização do trabalho docente e a disseminação de práticas educativas de sucesso.

O TRABALHO

O Projeto nasceu no IFRN Nova Cruz durante as ocupações feitas pelos estudantes, nos últimos meses do ano letivo de 2016, como grito de protesto às reformas educacionais e trabalhistas. Durante este período, o grêmio escolar organizou várias palestras com o objetivo de ampliar o conhecimento dos estudantes sobre as temáticas que motivaram a ocupação. “Ao vivenciar esta experiência, resolvi, montar uma sequência voltada para o letramento político”, afirmou a professora Patrícia.
Para desenvolver o projeto, foi construída uma sequência didática - QUE PAÍS É ÉSSE? - dirigida à produção escrita do gênero Crônica, com os estudantes do 2º ano de administração. Ao longo do processo, os alunos aprenderam sobre o gênero textual, recursos de coesão referencial, estudo dos verbos e a questão ideológica dos nomes no emprego da sinonímia. Além disso, os alunos leram o livro CONVERSA SOBRE POLÍTICA, de Rubem Alves, e produziram Crônicas sobre a temática da política, revelando, com a verossimilhança literária permitida pelo gênero, o olhar crítico do cidadão que o IF está formando. As produções foram publicadas em um e-book, disponibilizadas no blog literário https://terradasletras.wordpress.com/

DA PREMIAÇÃO 

Até 07 de agosto/2017, os 10 vencedores serão revelados no site www.educadornota10.org.br. Já a divulgação do Educador do Ano ocorrerá, somente, no dia 30 de outubro de 2017, na cidade de São Paulo. O escolhido para o Educador do Ano ganhará:
- 1 (um) ano de assinatura ao site NOVA ESCOLA CLUBE, onde terão acesso a revista NOVA ESCOLA e GESTÃO ESCOLAR digitais, além de diversos outros conteúdos, com vigência de janeiro/2018 a dezembro/2018 e diploma de participação;
- 1 vale-presente no valor de R$ 15.000,00 (quinze mil reais);
- 1 vale-presente no valor R$5.000,00 (cinco mil reais) para a escola em que foi desenvolvido o trabalho.

Luiz Melodia morre aos 66 anos, em decorrência de câncer de medula

O cantor, compositor e músico carioca Luiz Carlos dos Santos, o Luiz Melodia, morreu na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ), aos 66 anos, em decorrência de complicações de um câncer que atacou a medula óssea. Melodia morreu na madrugada de hoje, 4 de agosto, por volta das cinco horas da manhã. A informação foi confirmada ao colunista musical do G1 por Renato Piau, guitarrista que tocou com Melodia, após ligação para a família do artista. Melodia chegou a fazer um transplante de medula óssea e resistiu ao procedimento, mas não vinha respondendo bem à quimioterapia. O câncer voltou e o estado de saúde de Melodia se agravou bastante ontem. O artista estava internado no hospital Quinta D'Or.
Ele cantava que o nome dele era ébano na música que defendeu no festival Abertura, exibido pela TV Globo em 1975. Na certidão de nascimento, o nome era Luiz Carlos dos Santos. Mas o Brasil o conhecia mesmo pelo nome artístico de Luiz Melodia. Nascido em 7 de janeiro de 1951 no morro do Estácio, o bairro da cidade natal que ele cantou poeticamente em um dos sambas mais conhecidos do repertório gravado a partir da década de 1970, Luiz Melodia saiu de cena hoje em decorrência de complicações de um câncer de medula óssea conhecido cientificamente como mieloma múltiplo, mas fica eternamente em lugar de honra na história da música brasileira.
Tinha 66 anos de vida e 46 de carreira, se estabelecido como marco zero da trajetória profissional o lançamento da música Pérola negra em 1971 na voz de Gal Costa. Pérola negra era um dos destaques do show Fa-tal – Gal a todo vapor. No ano seguinte, Maria Bethânia lançou o samba Estácio, Holy, Estácio no álbum Drama (1972), abrindo caminho para que Melodia lançasse em 1973 pela gravadora Philips o primeiro álbum, Pérola negra, um dos clássicos da música brasileira de todos os tempos.
Pérola negra tinha samba, mas não era um disco de samba como o cantor tinha aprendido no morro em vivência musical que começou dentro de casa, quando Luiz ouvia o pai, o compositor Oswaldo Melodia, tocar. O álbum que projetou Melodia estabelecia uma ponte tropicalista que ligava o samba do Estácio ao blues, passando pelo choro e pelo soul.
O romantismo ingênuo do cancioneiro da Jovem Guarda, influência assumida do cantor, ficaria mais evidente em álbuns posteriores com regravações de sucessos da turma comandada por Roberto Carlos em 1965, época em que Melodia ainda frequentava programas de calouros em busca do lugar ao sol que não havia conseguido com a formação de conjunto efêmeros, como Os Filhos do Sol e Os Instantâneos, para animar bailes da juventude pop dos anos 1960.
De lá para cá, a partir especificamente da edição do álbum Pérola negra, Melodia firmou nome na música brasileira como um dos compositores de assinatura pessoal, delineada em posteriores álbuns autorais como Maravilhas contemporâneas (1976), Mico de circo (1979), Felino (1983), Claro (1987), Pintando o sete (1991), 14 quilates (1997), Retrato do artista quando coisa (2001) e o derradeiro Zerima (2014). Grande cantor de voz aveludada, Luiz Melodia foi bamba que foi muito além do samba do Estácio.

*VNT.

CASA PARA VENDER NO BACURAU I, APODI-RN!!!!

Vende-se ou troca-se casa no bairro bacurau I, próximo a Auto Escola Apodi, toda forrada e na cerâmica. Valor 57 mil reais, qualquer coisa falar com Careca!!

MOSSORÓ-RN: Novas viaturas são entregues para reforçar Guarda Civil e trânsito

Dos veículos doados, 11 serão para a Guarda Civil Municipal.
A Prefeita Rosalba Ciarlini entregou na tarde desta quinta-feira (3), 22 viaturas para reforçar a segurança das escolas, unidades básicas de saúde, além de incremento para a frota de trânsito do município e demais dispositivos. O anúncio foi feito na praça Cícero Dias, do Teatro Municipal Dix Huit-Rosado.
"Nós temos que fazer a nossa parte. E é assim, intensificando esse trabalho preventivo, de fiscalização e vigilância que vamos continuar. Vamos avançar ainda mais e aqui deixo o meu reconhecimento ao trabalho fundamental dos agentes de trânsito e guardas civis", discursou Rosalba.
O Secretário de Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito da cidade, Eliéser Girão, comentou sobre a utilização das viaturas e destacou a força-tarefa que vem sendo realizada para fiscalizar o trânsito. “As viaturas já estão sendo utilizadas para disciplinar o trânsito e permitir melhor segurança para os equipamentos da Prefeitura e cidadania como um todo”, comentou, destacando também a atuação na área rural. “Para que o trabalho possa ser mais eficaz, é preciso estar presente em mais lugares, não apenas na área urbana, mais também na área rural”, frisou.
Dos veículos doados, 11 serão para a Guarda Civil Municipal. "Com o apoio da nossa prefeita, estamos remodelando toda a frota da guarda, aumentando a nossa capacidade na área urbana e rural. Isso nos dá maior mobilidade. Estamos mais ágeis para atender as necessidades da sociedade mossoroense", disse Ricardo Godinho, comandante da Guarda Civil Municipal, que enfatizou ainda que os veículos tem como objetivo intensificar o patrulhamento, para dar mais sensação de segurança a população.
Participaram da solenidade secretários municipais e a vereadora Sandra Rosado, representando a Câmara Municipal de Mossoró.
Ramon Nobre.
Fotografia: Carlos Costa.
*O Câmera.