segunda-feira, 7 de agosto de 2017

MOSSORÓ-RN: Traficante é preso com mais de 30 quilos de drogas no Santa Helena

A equipe da Denarc de Mossoró prendeu um traficante no bairro Santa Helena com maconha, crack, cocaína e uma bomba de fabricação caseira.

*O Câmera.

MOSSORÓ-RN: "Saiam de trás dos birôs e venham encarar o dia a dia", desabafa funcionário de UBS assaltada

Os funcionários e pacientes do Centro Clínico Evangélico Edgard Bulamarqui, localizado por trás do Museu Municipal, no Centro de Mossoró, vivenciaram, mais uma vez, momentos de pânico e terror na manhã desta segunda-feira (7) durante uma tentativa de assalto que resultou em troca de tiros.
Criminosos armados entraram no prédio e anunciaram o assalto. Um Policial Militar que estava no local reagiu e houve uma intensa troca de tiros. Os assaltantes fugiram para um matagal que fica às margens da Avenida Leste-Oeste.
Durante as buscas, um suspeito foi detido e encaminhado para a Delegacia de Polícia. A arma utilizada por ele não foi encontrada. As marcas do tiroteio ficaram nas paredes e no portão da clínica.
Nas redes sociais o clima ainda era de medo e indignação. Revoltado com os constantes assaltos, o odontólogo Adílio César, que atende na unidade de saúde, postou na sua página no Facebook um desabafo mostrando a realidade em que enfrentam os servidores da área da saúde. Ele convocou a categoria para cobrar das autoridades por mais segurança e uma melhor qualidade de vida no ambiente de trabalho.
A postagem recebeu várias curtidas e foi compartilhadas várias vezes, acompanhada de comentários de outros servidores que apoiaram a atitude do servidor e que também demonstraram indignação com a falta de segurança nas UBSs da cidade.
"Saiam de trás dos birôs e venham encarar o dia-a-dia. Ficar em escritório falando bobagem é muito fácil. Por sorte ninguém ficou ferido, mas houve perdas patrimoniais e os abalos psicológicos ficam para o resto da vida", disse o odontólogo.

*Ismael Sousa.

QUER COMPRAR CARNE? ENTÃO PROCURE O ZÉ DO FRIGORÍFICO!!!!

Lentidão da Justiça ameaça repatriação de dinheiro suspeito

O volume de recursos de brasileiros bloqueados no exterior por ordem judicial já atingiu a casa de US$ 1,2 bilhão. Dados do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) mostram, no entanto, que só a identificação e o congelamento das contas não são suficientes para assegurar a devolução rápida do dinheiro. De toda a cifra fruto dos mais diversos crimes, apenas 18,6 % já retornaram ao Brasil.
(CONFIRA O MAPA DA REPATRIAÇÃO)
O principal entrave é a necessidade de uma sentença transitada em julgado — sem direito a recurso — para autorizar a devolução do dinheiro que estava escondido em contas no exterior. Ou seja, uma investigação aberta com indícios de corrupção vale para congelar uma conta no exterior, mas para trazer o dinheiro de volta é preciso mais do que isso. A culpa do criminoso tem que estar comprovada numa decisão judicial sem direito a contestação. Como no Judiciário brasileiro isso pode levar anos ou até mesmo décadas, há risco de o pedido de bloqueio se perder. E os recursos voltarem para o controle do dono da bolada. Pelos números oficiais do Ministério da Justiça, isso já ocorreu com US$ 98,1 milhões.
Esse valor foi desbloqueado por prescrição do crime que sustentava o pedido de devolução das autoridades brasileiras ou por alguma falha na investigação. A maior parte do que foi perdido, cerca de US$ 79 milhões, estava bloqueada desde 2008 a partir de pedidos da Justiça brasileira na chamada operação Satiagraha. Por irregularidades cometidas nas investigações, o processo foi anulado no Brasil e os recursos liberados, no ano passado, para os donos das contas. Outros US$ 6 milhões também foram desbloqueados este ano. Eram recursos de investigados no caso da Máfia dos Combustíveis de Minas Gerais que estavam bloqueados há 14 anos. O motivo foi que o crime de evasão que teria sido o único confirmado no processo brasileiro não é aceito pela Suíça como fundamento para pedido de repatriação ao país onde o caso ocorreu.
— A efetividade na recuperação dos recursos bloqueados não é maior em razão da demora por falhas no processo penal brasileiro e não na cooperação jurídica entre os países — disse o secretário Nacional de Justiça, Astério Pereira dos Santos, a quem o DRCI está subordinado.
A lentidão da justiça em chegar a um veredito final nas investigações tem feito pedidos de cooperação para devolução de recursos se arrastarem. Até hoje, o governo brasileiro não conseguiu recuperar os US$ 40 milhões depositados na Suíça por envolvidos no escândalo conhecido por Propinoduto, que implodiu esquema de corrupção de fiscais do Rio de Janeiro. No caso de três acusados, os crimes já prescreveram, e o que ainda sustentaria o bloqueio de recursos na Suíça é uma condenação na esfera civil no Rio de Janeiro. Segundo o DRCI, o dinheiro ainda estaria bloqueado a pedido das autoridades brasileiras.
O coordenador da área de cooperação jurídica internacional da Procuradoria Geral da República, Vladimir Aras, diz que o modelo atual acelerou muito o processo de bloqueio de recursos no exterior. Há caso de bloqueio feito em 24 horas, mas não existe garantia de que o dinheiro, de fato, voltará.
— O risco de perda de grande parte dos ativos é concreto. É frustrante para todos os órgãos envolvidos saber que o enriquecimento ilícito pode ser sacramentado pela ineficiência do sistema — disse Aras.
Nos últimos 17 anos, período em que o DRCI registra ações de recuperação de ativos, 2015 é um ponto fora da curva. Tanto no bloqueio como na efetiva repatriação de dinheiro. Com a Lava-Jato mirando grandes empreiteiras, foram bloqueados naquele ano US$ 579,5 milhões, e recuperados US$ 144,7 milhões. Em 2016, o volume de recursos bloqueados voltou a cair para o patamar registrado em 2013 com bloqueio de US$ 18,4 milhões. Este ano, ainda impulsionado pela Lava-Jato, os números voltaram a subir: foram congeladas contas no exterior com saldo de US$ 98,5 milhões.

*O GLOBO/BG

MOSSORÓ-RN: ADOLESCENTE DESAPARECIDA

Kamilly tem 14 anos de idade e saiu de casa no Abolição IV, ontem e não retornou ainda.
Essa moça está desaparecida desde de anteontem, dia 05 de Agosto.
Ela tem 14 anos de idade, se chama “Kamilly” mora próximo ao Mandacaru Lanches” no conjunto Abolição IV em Mossoró.
Segundo informações, ela teve um desentendimento com a mãe e saiu de casa com uma amiga e não fez mais contato com a família, que está desesperada com a falta de informação:
Qualquer informação pode ligar para a tia dela: 99653-8360 ou para a mãe - 98705-5859.
*O Câmera.

Musical “Milton Nascimento – Nada será como antes” chega a Natal neste mês com apresentação gratuita

O musical “Milton Nascimento – Nada será como Antes”, de Charles Möeller & Claudio Botelho, está em nova turnê neste ano com apresentações pelo Nordeste brasileiro e, Natal é uma das capitais contempladas. A apresentação acontece no dia 26 de agosto na Praça Augusto Severo, na Ribeira, às 19h. A entrada é gratuita e o intuito da turnê é utilizar espaços públicos para as apresentações. Em Natal, a organização do evento fica por conta da M.A.P.A Realizações Culturais.
O espetáculo faz uma homenagem aos 50 anos de carreira de Milton Nascimento, um dos maiores ícones da música brasileira, que produziu um imenso repertório de clássicos atemporais. No palco, treze artistas, entre atores e músicos, dão voz a temas fundamentais da música do homenageado, como amor, amizade, criação artística, negritude, brasilidade e solidão. “Não há uma divisão entre orquestra e atores: todos são uma única voz a serviço da brilhante obra musical de Milton”, explica Claudio Botelho.

*O Xerife.

CASA PARA VENDER NO BACURAU I, APODI-RN!!!!

Vende-se ou troca-se casa no bairro bacurau I, próximo a Auto Escola Apodi, toda forrada e na cerâmica. Valor 57 mil reais, qualquer coisa falar com Careca!!