terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

APODI-RN: DIONÍZIO SE DESLIGA DA PREFEITURA MUNICIPAL, MAS NÃO DA CULTURA

O artista apodiense, Dionízio Cosme de Apodi anunciou em sua página do facebook o desligamento da Prefeitura Municipal. Com a capacidade e dedicação que ele teve e tem, o povo lamenta o ocorrido. Veja o que disse, Dionízio:

DESLIGAMENTO DA PREFEITURA DE APODI MAS NÃO DA CULTURA DE APODI

Sou muito discreto nas coisas que faço, nas minhas decisões, mas pelo enorme carinho que tenho recebido do povo de Apodi, em um ano e meio de trabalho organizando os projetos culturais do município, um calendário sociocultural, através da Prefeitura Municipal, não tenho como deixar de dar uma satisfação às pessoas que me perguntam pelos projetos, que apoiam, que incentivam e torcem. Resolvi me desvincular da gestão atual. Não saio brigado com ninguém, pois não tenho esse perfil. Saio sem ter do que me envergonhar pois trabalhei muito, da forma que acredito, zelando pelos recursos públicos, tendo consciência de onde eles têm de ser investidos, pois não é em produto artístico comercial, que já tem mercado, mas onde não existe mercado, que são nas nossas memórias, no fortalecimento da cultura realmente apodiense, e assim fizemos.
Não acredito em trabalho esporádico. Acredito em trabalho de médio e longo prazos, como a gente vinha fazendo, e para isso precisamos ter uma continuidade nos projetos, que por sinal, todos os projetos que fizemos foram muito baratos em relação ao preço de uma banda contratada para tocar num trio elétrico no carnaval. Ouvi o próprio prefeito dizer que gostava dos meus projetos porque eu fazia uma programação de um mês, e o valor de tudo, no final, saía muito barato. Eu fui criado gastando pouco, fazendo render, multiplicar, abrindo mão do pessoal até, pra ver as coisas acontecerem. Então, diante de uma programação cultural para o Carnaval 2019 que fizemos, no sentido de fortalecer a identidade cultural do povo de Apodi, de domingo de carnaval até quarta-feira de cinzas, com bloco de bonecos gigantes, Lavadeiras de Apodi, roda de samba, orquestra de frevo, banda em cima de pau-de-arara fazendo arrastão, exposição fotográfica e histórica sobre o carnaval de Apodi, recebi a simples e direta informação de que era INVIÁVEL, pelo valor de quarenta mil e cem reais.
Não saio com raiva, juro. Mas saio porque não tenho como sustentar meu discurso, minha palavra de ser pela cultura de Apodi, depois de cancelar nosso Carnaval Sociocultural por esse valor, e ao mesmo tempo eu tomar conhecimento dos valores pagos a algumas bandas que tocarão no carnaval oficial. Não sou contra elas. Acho que a iniciativa privada deveria arcar com Grafite, Tuca Fernandes e adjacentes. Não concebo ver a orquestra de frevo de Apodi, composta por 25 músicos, não poder receber 15 mil reais por três tocadas em nosso Carnaval Sociocultural, sendo 5 mil por apresentação pra 25 músicos nossos. Não concebo a gente não poder pagar 4 mil reais a um grupo de samba composto pelas Liras de Mossoró e por dois de nossos maiores valores apodienses: os irmãos Celso e Toinho de Nozim. Para mim, eles valem muito mais que isso, pois sei do talento indiscutível desses irmãos que devem ser motivo de muito orgulho para uma cidade que os tenha. A minha saída é por critérios que acho importantes, para que eu possa seguir dizendo que meu partido é a cultura.
Eu agradeço muito a oportunidade que me foi dada, pois saio com a ideia fortalecida de que é possível fazer muito pela nossa cultura que é muito rica, mas precisa ser muito VALORIZADA. O prefeito Alan Silveira é um rapaz decente e correto mas acho que às vezes esquece a sua juventude, que o elegeu para ser uma novidade para Apodi, e escuta muita coisa velha da política apodiense. Mas mantenho o respeito indiscutível por ele, que permitiu, até aqui, que fizéssemos via Prefeitura de Apodi. Agradeço a Isiany Medeiros, uma amiga que ganhei nesse período; a Itamara, que resolve qualquer problema que aparece, presidente Marcílio Reginaldo pela confiança nos projetos, ao amigo Potência (um prazer encontrá-lo sempre), ao vereador Evangelista que foi a pessoa que me levou para o primeiro encontro com o prefeito, para apresentarmos nosso projeto, e a todo mundo que incentivou e torceu nesse período que estivemos juntos pelos corredores da Prefeitura. A Prefeitura de Apodi tem muita gente decente trabalhando nela, saio dessa rica experiência com essa certeza. Como não me encaixo em cor e nem em bicho, e minha visão política transcende esse lado A e lado B que Apodi briga tanto, me orgulho de em nenhum momento ter deixado de abrir espaços para as pessoas, de quaisquer tendências políticas. Quem não se chegou foi porque não quis, e a gente respeitou.
A partir de agora darei uma atenção maior ao meu trabalho de ator mas continuarei fazendo para a minha terra. Afinal de contas eu sempre falava que precisávamos fazer para Apodi, independente de gestão. Como os bonecos do carnaval são meus porque eu os paguei, dentro desse pouco tempo que resta para o carnaval veremos o que poderemos fazer de forma independente, para não pararmos o que foi feito ano passado. Dar continuidade às coisas é a melhor forma de fortalecê-las. Até o final da semana a gente vê se tem pernas para realizar algumas coisas neste carnaval. Caso sim, queremos encontrar todo mundo, sem mágoas, com alegria; caso não, a gente vai conversar com as pessoas a forma de continuar forte, mais adiante.
Saio dessa experiência consciente de que na gestão pública nem sempre podemos fazer o que queremos, mas também com um pouco de sensibilidade é possível fazer muito.

Abraços,

Dionízio do Apodi.

Nenhum comentário: