terça-feira, 22 de outubro de 2019

PERITOS QUE ATESTARAM A MORTE DE ZAIRA FALAM PELA 1ª VEZ A JUSTIÇA

Zaira Cruz foi encontrada sem vida dentro de carro no carnaval na cidade de Caicó em março deste ano. Policial militar Pedro Inácio Araújo de Maria é acusado de ter estuprado e matado universitária.
Perito e médico que atestaram morte da universitária Zaira Dantas da Silveira Cruz, 22 anos, no carnaval de Caicó, a 282 quilômetros de Natal, serão ouvidos em mais uma fase de instrução do processo na quarta-feira (23). A audiência está marcada para as 10h na 15ª Vara Criminal no Fórum Miguel Seabra Fagundes, no bairro de Lagoa Nova, Zona Sul da capital.
De acordo com a advogada assistente de acusação, Kalina Medeiros, essa audiência será importante porque os termos existentes nos laudos são técnicos e nesse momento os peritos vão traduzir para a sociedade. “Esses médicos legistas e peritos vão explicar o que foi atestado no laudo. Os peritos ainda não foram ouvidos em juízo, mas a prova material, os laudos emitidos já são considerados provas”, esclareceu a advogada.
Zaira Cruz foi encontrada sem vida dentro de um carro no sábado de carnaval, 2 de março de 2019, em Caicó, Região Seridó do estado. O policial militar Pedro Inácio Araújo de Maria, 36 anos, está preso desde o dia 15 de março no Quartel do Comando da PM, em Natal, acusado de ter estuprado e matado por esganadura a universitária. O PM foi indiciado pela Polícia Civil da cidade e denunciado pelo Ministério Público por homicídio quadruplamente qualificado.
A 2ª Promotoria de Justiça de Caicó requer que o PM seja julgado pela prática do estupro consumado e homicídio quadruplamente qualificado, para submetê-lo a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da comarca de Caicó.
Segundo a assistente de acusação, após essa audiência de quarta-feira (23) mais uma testemunha solicitada pela defesa será ouvida através de carta precatória em Porto Alegra, Rio Grande do Sul. Trata-se de um familiar de Pedro Inácio de Maria. “Depois dessa audiência em Porto Alegre, o acusado deve ser interrogado e em seguida pronunciado pelo juiz se irá a júri popular, que esperamos que vá”, afirmou Kalina Medeiros.

*OP9/Passando na Hora.

Nenhum comentário: