Mostrando postagens com marcador SALVANDO VIDA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador SALVANDO VIDA. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 5 de abril de 2019

MENINA DO RN QUE FEZ TRANSPLANTE DO CORAÇÃO EM RECIFE É SUBMETIDA A NOVA CIRURGIA APÓS SANGRAMENTO

Brunna Silveira Lopes foi transferida para a capital pernambucana, na quarta-feira (3), em um avião da FAB, e passou por transplante na madrugada desta quinta (4). Estado de saúde é grave.
Estado de saúde de Brunna Silveira Lopes é grave — Foto: Reprodução
A garota Brunna Silveira Lopes, de 7 anos, passou por uma nova cirurgia para conter um sangramento, na tarde desta quinta-feira (4). A garota passou por um transplante de coração durante a madrugada, no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (Imip), na área central do Recife.
Vítima de uma cardiopatia grave, ela foi transferida do Rio Grande do Norte, onde mora com a família, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).
Por meio de nota, a direção do Imip informou que o estado de saúde da criança segue grave. O Imip foi acionado pelo Sistema Nacional de Transplantes para receber Brunna e ela entrou na lista de prioridade máxima para doação de coração.
A menina chegou à capital pernambucana na tarde da quarta-feira (3). No mesmo dia, à noite, o hospital recebeu a informação de que havia um coração compatível. (Veja vídeo acima)
Em entrevista, a mãe da menina, Núbia Barbosa, falou sobre a vontade de conhecer a família de quem autorizou a doação do coração para a menina. Evangélica, ela disse ter feito muitas orações. "Foi Deus quem conseguiu esse coração para Brunna", declarou.
Situação delicada
Antes de conseguir o novo órgão, Brunna foi mantida viva por estar ligada a uma máquina de "oxigenação por membrana extracorpórea", conhecida como ECMO. Segundo o médico Madson Vidal, que acompanha a menina no estado natal, ela nasceu com um problema chamado "transposição das grandes artérias" e passou por um cirurgia paliativa ainda quando bebê.

Brunna é paciente do Sistema Único de Saúde (SUS) e, nas últimas duas semanas, precisou passar por um novo procedimento para melhorar a sua oxigenação, porque seu tom de pele estava cada vez mais "roxo". Neste novo procedimento, no entanto, o coração não suportou a circulação, segundo Vidal.

Brunna foi trazida ao Recife na quarta-feira (3), numa aeronave da FAB — Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi
Foi aí que começou a saga por um transplante para Brunna. A Central Nacional de Transplantes e a Justiça haviam negado autorização para o transplante no Hospital Rio Grande, onde ela estava internada.
A situação gerou um desabafo do médico Madson Vidal, que repercutiu redes sociais. Após uma mobilização de vários órgãos, foi viabilizada a transferência de Brunna para o Recife, em uma operação que envolveu 20 profissionais de diferentes áreas.
Na terça-feira (3), ela foi trazida para o Recife, após o Imip ser acionado pelo Sistema Nacional de Transplantes para recebê-la. Ela entrou na lista de prioridade máxima para doação de coração.
Fila de transplante em Pernambuco
Dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), na quarta-feira (3), apontam que mais de mil pessoas estão na fila de espera para transplante de órgãos em Pernambuco. O número, segundo o governo estadual, poderia ser menor, caso mais famílias aceitassem doar os órgãos de entes falecidos.
Nos dois primeiros meses do ano, o índice de recusa foi de 36%. Segundo a Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), um percentual aceitável de negativas deveria ficar em torno de 30%. Entre janeiro e fevereiro de 2019, Pernambuco realizou 93 transplantes de órgãos sólidos, entre coração (8), rim (56) e fígado (27) - um a mais que o mesmo período em 2018.
No Brasil, a doação só pode ser efetuada com a autorização de um parente de até segundo grau. De acordo com a pasta, a dificuldade em diminuir o número de pacientes na fila de espera por transplantes está diretamente ligada à falta de informações e preconceito.

*G1-PE.

quinta-feira, 4 de abril de 2019

MENINA DO RN QUE ESPERAVA TRANSPLANTE GANHA UM NOVO CORAÇÃO NO RECIFE

Brunna Silveira Lopes foi transferida para a capital pernambucana, na quarta-feira (3), em um avião da FAB, e passou por cirurgia na madrugada desta quinta (4), no Imip. 
Brunna Silveira Lopes veio transferida do RN para o Recife em busca de um coração — Foto: Reprodução
A garota Brunna Silveira Lopes, de 7 anos, passou por um transplante de coração, na madrugada desta quinta-feira (4), no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (Imip), na área central do Recife. Na quarta-feira (3), ela foi transferida do Rio Grande do Norte, onde mora com a família, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).
Vítima de uma cardiopatia grave, a garota é mantida viva com a utilização de aparelhos, inclusive um coração artificial. A menina passou por outras três cirurgias, sendo duas nos últimos 15 dias.
Por meio de nota, o Imip informou, na manhã desta quinta, que o coração compatível foi doado na noite de quarta. “No momento, a paciente encontra-se na UTI em estado muito grave”, disse a unidade de saúde.
O Imip informou, ainda, que Brunna foi acolhida pela unidade, depois de o centro de saúde ser acionado pelo Sistema Nacional de Transplantes. Ela entrou na lista de prioridade máxima para doação de coração.
Na quarta-feira, horas antes de o coração compatível ser encontrado, o médico Fernando Augusto Figueira, do Imip, fez um apelo para que as famílias tomem conhecimento sobre a importância da doação de órgãos.
“Para que surjam órgãos compatíveis, é preciso que ocorra a conscientização das famílias de pessoas que morreram e que podem fazer essa doação”, afirmou.
A operação de transferência de Brunna mobilizou 20 profissionais de instituições de saúde, bem como policiais militares e rodoviários federais, e contou com o apoio de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) móvel. 

Aeronave da FAB deixou Base Aérea de Natal no início da tarde de quarta (3), levando Bruna Silveira Lopes, de 7 anos, para o Recife — Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi
Fila
Dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), na quarta-feira (3), apontam que mais de mil pessoas estão na fila de espera para transplante de órgãos em Pernambuco. O número, segundo o governo estadual, poderia ser menor, caso mais famílias aceitassem doar os órgãos de entes falecidos.
Nos dois primeiros meses do ano, o índice de recusa foi de 36%. Segundo a Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), um percentual aceitável de negativas deveria ficar em torno de 30%.
Entre janeiro e fevereiro de 2019, Pernambuco realizou 93 transplantes de órgãos sólidos, entre coração (8), rim (56) e fígado (27) - um a mais que o mesmo período em 2018.
No Brasil, a doação só pode ser efetuada com a autorização de um parente de até segundo grau. Entre janeiro e fevereiro deste ano, foram 47 entrevistas e 17 recusas.
De acordo com a pasta, a dificuldade em diminuir o número de pacientes na fila de espera por transplantes está diretamente ligada à falta de informações e preconceito.
Órgãos
De acordo com a Secretaria de Saúde, a maior espera no estado é por rim (898), seguida de córnea (117), fígado (110), medula óssea (16), coração (13) e rim/pâncreas (10). Quanto à espera de córnea, todos os pacientes do estado conseguem a doação em até 30 dias.
Em relação à medula óssea, o SES frisa que é possível fazer a doação em vida ao se cadastrar no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).
Para doar, é preciso ter entre 18 e 55 anos. Uma vez no banco de dados, o possível doador pode ajudar alguém em qualquer lugar do Brasil e também do mundo.
 

*Informação: Passando na Hora.

quarta-feira, 3 de abril de 2019

CRIANÇA POTIGUAR DE 7 ANOS QUE AGUARDA TRANSPLANTE DE CORAÇÃO É TRANSFERIDA PARA RECIFE

Após apelo do médico Madson Vidal nas redes sociais relatando burocracias que retardaram transplante de coração, criança de sete anos foi enfim encaminhada a centro de referência em Pernambuco
Fotos:Maxwel Nascimento
Depois de mais de 15 dias conectada a uma máquina que a mantém viva e dependendo de um transplante de coração, a menina Brunna Lopes Barbosa, de 7 anos, embarcou no início da tarde desta quarta-feira (3) para o Recife, onde deve enfim ser submetida ao procedimento. O avião da Força Aérea Brasileira levando a garota e uma equipe do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP) — que veio da capital pernambucana exclusivamente para acompanhar o transporte da paciente — decolou por volta das 13h da Base Aérea de Natal, na cidade de Parnamirim, na Região Metropolitana da cidade.
Uma força-tarefa envolvendo o Ministério da Saúde, a Força Aérea Brasileira, a Secretaria Estadual de Saúde e uma equipe de médicos do hospital onde ela estava internada trabalhou junta durante toda a manhã para receber a equipe responsável pela transferência da criança.
O caso de Brunninha ganhou destaque e mobilização depois dos apelos do médico potiguar Madson Vidal postados nas redes sociais no fim de semana passado. “Não se deveria fazer contas ou haver burocracias para tentar salvar uma vida. Estamos com uma menina linda com seu coraçãozinho, que não funciona mais, conectado através de tubos a uma máquina para que ela não morra”, escreveu ele em um texto no perfil social Instagram.

Após o desabafo do médico, a Central de Transplantes do estado informou que conseguiu uma vaga para Brunninha no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), no Recife, referência na realização de transplantes cardíacos no Brasil e classificada como o maior centro especializado em cirurgias do gênero do país. A menina é natural de Serrinha e estava internada em um hospital particular em Natal onde fez uma cirurgia paliativa. De acordo com os médicos, a única forma de salvar a vida de Bruninha é o transplante de coração.

*Passando na Hora.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

MOSSORÓ-RN: POLICIAL MILITAR DO CIOSP AJUDA A SALVAR VIDA DE RECÉM NASCIDO ENGASGADO

No início da noite desta terça (15) o CIOSP Mossoró recebeu ligação de uma mulher residente na Ilha de Santa Luzia que se encontrava em situação de desespero em razão de que seu filho de apenas um mês de vida se encontrava engasgado com leite materno.
Do outro lado da linha o Soldado PM F. Dantas, prestes a completar uma década na corporação. Ele tinha a opção de transferir a ligação para o Corpo de Bombeiros mas, entendendo quão precioso era o tempo naquela situação, passou a orientar a mulher com técnicas que resultaram na desobstrução da traquéia da criança.
O êxito foi comemorado por todos os colegas que se encontravam na central de emergência. Minutos depois o pai da criança, ainda bastante emocionado, ligou para agradecer e registrar elogio na atuação do profissional.
Muito embora receba o nome de centro integrado e disparado o serviço emergencial de maior demanda junto a população, o CIOSP Mossoró necessita de melhor estrutura além de contar apenas com policiais militares em seu corpo de trabalho, não existindo integração real dos órgãos como na capital do estado.


*Passando na Hora.