domingo, 14 de junho de 2020

CALDEIRÃO DO HUCK: ALUNA É PROFESSOR DA UFERSA EMOCIONAM E GANHAM SEGUNDO MAIOR PRÊMIO DO THE WAL

Direto de Mossoró, no Rio Grande do Norte, a aluna do curso de Ciência e Tecnologia, Ekarinny, e o professor Felipe participaram do The Wall no Caldeirão deste sábado, 13/6, e levaram o segundo maior prêmio de todas as edições do quadro.
A dupla ganhou R$ 278.677 e promete investir parte da grana no registro e na viabilização de um projeto que cria um cateter, feito a partir do reaproveitamento da castanha-de-caju, e deve ajudar pacientes que fazem hemodiálise.
Eles também desejam investir em um fundo de apoio à novas ideias de outros cientistas.


A história de Ekarinny
Anos atrás, a tia da Ekarinny faleceu por conta de uma infecção na corrente sanguínea causada por um cateter usado na hemodiálise. A partir daí ela resolveu investir na ciência para ajudar pessoas que dependessem do procedimento. A ideia foi produzir um cateter bioativo para prevenir infecções na corrente sanguínea. O quintal da casa dela foi transformado em um laboratório. Ela também participou de uma das maiores feiras de ciência do mundo e foi premiada com a sua criação.
"A castanha-de-caju tem essa propriedade que pode prevenir a infeção na corrente sanguínea", explicou a estudante que disse que sua inspiração foi o quadro Jovens Inventores do Caldeirão.
"Foi assistindo à uma temporada que a menina fez uma bandeja biodegradável a partir da cana de açúcar que eu fiz meu primeiro projeto", completou.
Ekarinny ainda disse que a paixão pelos estudos aflorou quando ela começou a participar de feiras de ciência.
"A gente que vem de família humilde acha que não pode ser cientista, mas podemos sim, e a prova está aqui", explicou ela, que estudou a vida inteira em escola pública.
A estudante contou que depois que sua avó e sua mãe também faleceram, ela passou a morar com o tio. "Eu morava antes com a minha vó, ela cuidava do filho dela, que é meu tio e tem autismo. Hoje eu moro com ele, com meu irmão e com minhas primas".
"Quero ser uma boa pessoa, alguém que inspire e levante o outro pra cima", destacou a estudante.


Professor Felipe acertou todas as perguntas do The Wal
Desejando 50 mil para investir no projeto de Ekarinny e 100 mil para investir em novas ideias de outros cientistas, eles entraram confiantes na disputa. Na primeira rodada do desafio, eles estavam com R$ 13.665. O professor foi o escolhido para ir ao isolamento, enquanto a estudante permaneceu no palco.
Na segunda rodada, a dupla acumulou R$ 58.667. Já na última rodada, o professor continuou acertando todas as perguntas, gabaritando todas as respostas, um fato que aconteceu pela primeira vez na história do The Wall. Por sorte, ele também optou por rasgar o contrato, que garantia o valor da primeira rodada, mais 3 mil reais por cada resposta correta, caso ele assinasse, somando R$ 31.655. Com isso, com base no acumulado na última rodada, eles levaram pra casa um dos maiores prêmios do quadro, no valor de R$ 278.677.
"Eu lembrei quando te conheci naquela feira de ciências e olhei pra você e vi que tinha um brilho diferente. Eu vi em você um brilho que não via nas outras pessoas e não é por acaso que a gente está aqui hoje. Felizmente esse seu brilho cresceu e hoje ele consegue iluminar muitos jovens", declarou o professor para a aula.
"A gente está aqui por todos os jovens que precisam desse nosso exemplo e que podem acreditar em ser cientistas. Isso pode mudar a vida deles e mudar o nosso país", completou o educador.


*Do GShow

PROFESSOR LUÍS CARLOS!!!!


UMARIZAL-RN: MULHER FOI ASSASSINADA DENTRO DE CASA NO BAIRRO CARAÍBAS

Ontem (Sábado) por volta das 23:40 horas, aconteceu mais um homicídio na cidade de Umarizal, cidade situada no alto oeste potiguar. Dessa vez a vítima foi a senhora ROSILENE FERREIRA DANTAS PEREIRA, 41 anos de idade, natural da cidade de Bom Sucesso-PB, mas que residia em Umarizal há alguns anos.
Segundo informações colhidas pela Polícia Militar no local, a vítima estava em casa na companhia de sua filha de 18 anos de idade, quando dois elementos quebraram a porta da cozinha e entraram com armas em punho e já procurando por Rosilene. Segundo a filha da vítima, eles colocaram logo um pano na cabeça dela e mandaram se deitar no chão de um dos quartos, enquanto a mãe dela era levada para a cozinha. "Não deu para conhecer os elementos e nem as vozes dos mesmos" informou a filha.
Segundo ainda a filha da vítima, ela conseguiu pular uma janela muito alta, e quando chegou na rua escutou vários estampidos de arma de fogo, dando a entender que os elementos haviam executado sua genitora.
Após o acionamento da Polícia Militar, foi constatado que a vítima havia sido realmente executada na cozinha da casa com tiros na cabeça.
Não há informações de nenhum envolvimento dela com o crime, nem mesmo com criminosos moradores daquele bairro, e a investigação ficará a cargo da Polícia Civil de Umarizal.


*Umarizal News

MOSSORÓ-RN: 90 MORTES VIOLENTAS EM 2020 - Mulher de 34 anos, é morta a tiros dentro de apartamento no Bairro Aeroporto

Paula Munique Carvalho Paiva de 34 anos de idade, foi morta com 12 tiros na madrugada deste domingo 14 de junho de 2020, dentro de um apartamento em um condomínio localizado no cruzamento das Ruas Cícero Aires de Lima com Manoel Aires de Lima por trás da Cantina Azul, no Bairro Aeroporto em Mossoró, na região Oeste Potiguar.
Segundo informações do delegado de plantão DPC Paulo Pereira, que esteve acompanhando a perícia no local do crime, a vítima estava dormindo no apartamento de uma amiga, quando dois homens, armados e encapuzados, arrombaram a porta de entrada , foram até o primeiro andar do prédio, quebraram a porta do apartamento e a executaram.
Ainda de acordo com o delegado, Paula Munique estava sendo ameaçada de morte. Na noite de sexta feira (12) ela estava na casa de uma tia, no Conjunto Abolição, quando homens chegaram em frente a residência e metralharam o imóvel. Por causa disse ele pediu a uma amiga para dormir no sábado em sua casa, e que neste domingo, iria embora de Mossoró com medo de morrer.
A polícia Civil suspeita de que os criminosos, receberam alguma informação sobre o local onde a moça estava, uma vez que que eles quebraram a porta de entrada do condomínio e já foram direto para o apartamento onde Paula estava dormindo e a executaram. A amiga da vítima, que também estava no quarto, não foi atingida pelos disparos.
A Perícia criminal, contabilizou 12 perfurações pelo corpo da vítima, possivelmente de revólver calibre 38. A Polícia ainda não sabe qual teria sido a motivação do crime. O celular de Paula e câmeras de monitoramento de residências existentes no local, poderão ajudar à Polícia Civil a elucidar o crime.

Após os procedimentos de perícia no local do crime, o corpo de Paula Munique Carvalho Paiva foi recolhido e encaminhado para exames de necropsias no IML do ITEP. Mossoró chega aos 90 assassinatos em 2020.


*Fonte: Fim da Linha 

ENVOLVIDO COM IRANIANO PRESO NO PRESÍDIO FEDERAL DE MOSSORÓ ACUSADO DE SER CHEFE DE GRUPO DE EXTERMÍNIO; EX SARGENTO DA PM É ASSASSINADO EM FORTALEZA

O Iraniano era um contrabandista de alto poder financeiro e que tentava dominar o mercado de celulares e acessórios em Fortaleza, ordenando a morte de seus concorrentes.
O iraniano Farhad Marvizi, o "Tony", chefe do grupo de extermínio, está preso no Presídio Federal em Mossoró no Rio Grande do Norte.
O ex-sargento da Polícia Militar do Ceará, Jean Charles da Silva Libório, acusado de envolvimento em vários assassinatos em Fortaleza, praticados por um grupo de extermínio, foi morto, a tiros, na Capital do Ceará.
Libório era condenado a 14 anos de prisão e estava em liberdade provisória com monitoramento da Justiça através de uma tornozeleira eletrônica. Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigam o caso.
O crime ocorreu por volta de 17 horas na tarde da última terça-feira (9), no momento em que o ex-PM se encontrava em um bar localizado na esquina das ruas São Manuel e Padre Arimatéia, na Vila Manuel Sátiro. Neste mesmo local, três militares da Reserva Remunerada da PM foram mortos em agosto de 2018, enquanto almoçavam.
De acordo com as primeiras informações levantadas pela Polícia no local do crime, Libório foi atingido por vários tiros de pistolas disparados à custa distância por desconhecidos que chegaram ao local em um automóvel modelo Argos, branco. Os assassinos seriam da cidade de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
No momento do crime, o ex-PM estaria na companhia de um pistoleiro conhecido como Sílvio “Pé de Pato”, que também é acusado na Justiça de ter sido um dos integrantes do grupo de extermínio desarticulado pela Polícia Federal, em Fortaleza, através da “Operação Canal Vermelho”, desencadeada em duas fases, entre setembro de 2010 e outubro de 2011.

Ex Sargento foi condenado com Iraniano e expulso da corporação
Condenado com o iraniano
Charles Libório, que era sargento destacado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), foi expulso da Corporação após ser condenado a 14 anos de prisão pelo assassinato do empresário Francisco Francélio Holanda Neto. O crime ocorreu na noite de 8 de julho de 2010, no cruzamento das ruas Padre Valdevino e João Cordeiro, na Aldeota.
Francélio entrou na lista das vítimas dos crimes de morte praticados pelo grupo de extermínio que tinha no seu comando o iraniano Farhad Marvini, o “Tony”, um contrabandista de alto poder financeiro e que tentava dominar o mercado de celulares e acessórios em Fortaleza, ordenando a morte de seus concorrentes. Francélio era dono da loja “American Celular”, na Avenida Domingos Olímpio, e um dos concorrentes diretos de Marvizi.
Um ano após o crime, em 2011, o sargento Libório foi expulso da PM. Em 27 de maio de 2017, foi sentenciado a 14 anos de prisão pela Justiça local.
Mais crimes
De acordo com o MPCE, o grupo que agia sob ordens de Marvizi, e que tinha o ex-sargento da PM como um dos principais membros, também é acusado de matar o casal Carlos José Medeiros Magalhães e Maria Elizabeth Almeida Bezerra, em agosto de 2010, por estarem colaborando para investigações alfandegárias da Polícia Federal (PF) contra o estrangeiro. A Receita Federal investigava a ação do iraniano no mercado de Fortaleza. O casal era ex-funcionário do iraniano.
Além disso, os criminosos teriam sido também responsáveis pela morte de um italiano chamado Mário Procópio, novamente por desavenças nos negócios com o iraniano. O crime ocorreu em outubro de 2009. O corpo do italiano foi encontrado enterrado em uma cova rasa, em um sítio localizado na Estrada da Coluna, na Prainha, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A morte foi ordenada por Farhad Marvizi.
O sargento Libório era acusado também de, a mando do iraniano, ter tentado matar o fiscal da Receita Federal no Ceará, José Jesus Ferreira, então chefe da fiscalização aduaneira no Porto do Mucuripe. Jesus investigava o iraniano e aplicou-lhe uma multa milionária, além de determinar o confisco de um contêiner abarrotado de artigos eletrônicos e de celulares contrabandeado da Ásia e apreendido no Porto do Mucuripe.
Farhad Marvizi cumpre pena no presídio federal de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Foi condenado a duas penas, de 20 anos e 11 anos de prisão, pela tentativa de homicídio contra o auditor fiscal e pelo crime de descaminho.
Em liberdade, Libório estaria trabalhando na venda de veículos, segundo apurou a Polícia.

O carro em que o ex-PM transitava não tem placas e foi localizado próximo ao local do crime
*Fernando Ribeiro/Passando na Hora

MOSSORÓ-RN: 153 MORTES VIOLENTAS EM 2020 - JOVEM É MORTO A TIROS NO BELO HORIZONTE

O crime aconteceu por volta das 21h30m de sábado, 24 de outubro, na Rua João Damásio, no bairro Belo Horizonte em Mossoró no Rio Grande do N...