/* <![CDATA[ */ (function (doc

segunda-feira, 7 de junho de 2021

Produção de milho verde garante renda para a agricultura familiar

Mês de junho remete ao consumo do milho verde, produto cultivado em vários municípios potiguares. Através de técnicas de irrigação, os agricultores conseguem manter o plantio durante todos os meses do ano e garantem renda fixa para suas famílias, sempre com a assistência técnica da Emater-RN. 

Na região do Mato Grande, por exemplo, os municípios de Parazinho, Touros e São Gonçalo do Amarante mantêm uma boa produção do milho verde. Somente neste último município, a produção média aproximada é de 5 milhões de espigas vendidas no período do São João. 

Já em Touros, entre março e final de junho, a perspectiva de plantio e colheita é de 550 hectares. Segundo o técnico local da Emater-RN, José Edmilton dos Anjos, cada hectare produz em média 25.000 espigas, o que representa uma estimativa de colheita de 13.750.000 espigas de milho. 

Em Parazinho, Moacir Paulino de Souza é um dos produtores que consegue se manter o ano todo produzindo milho verde irrigado, como também expandir sua produção. Toda semana ele tem colheita e já reservou uma carreira de milho para vender no Santo Antônio, no São João e no São Pedro. 

Moacir tem 56 anos e sustenta toda a família com a venda de milho. Conseguiu organizar sua produção e adquiriu crédito para comprar um trator, com apoio da Emater. O projeto foi feito pelo técnico local de Parazinho, Dogival Lima de Paula. 

Além de milho verde, o agricultor familiar produz mamão formosa, limão Tahiti e, há um ano, investe no plantio de cajás, que garantirá a renda para a aposentadoria, assegurou. 

Segundo o gestor regional da Emater em João Câmara, José Damasceno Junior, a cultura do milho é de grande importância econômica, social e cultural para a região do Mato Grande. “Esse trabalho que a Emater realiza no Mato Grande é fundamental, pois a produção irrigada de milho, além de outros cultivos, fortalece os aspectos econômicos, sociais e culturais dos agricultores, inclusive dos jovens.”

*Jair Sampaio

APODI-RN: BOLETIM DO NOVO CORONAVÍRUS DIVULGADO ONTEM


PRESO NA PENITENCIÁRIA FEDERAL DE MOSSORÓ, ACUSADO DE CHEFIAR GRUPO DE EXTERMÍNIO INTUBADO EM UTI SERÁ TRANSFERIDO PARA MATO GROSSO DO SUL

O juiz federal Walter Nunes da Silva Júnior, corregedor do Presídio Federal de Mossoró (RN), determinou o retorno de Jamil Name, 82 anos, a Mato Grosso do Sul

No entanto, ele não aceitou pedido da defesa nem determinação da Justiça estadual para suspender a escolta do empresário, acusado de chefiar um grupo de extermínio, mesmo estando intubado desde o dia 02 de junho em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital particular da cidade, em decorrência das complicações da covid-19.

A defesa de Jamil Name tenta autorização no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para transferir o preso da Operação Omertà, para hospital em Brasília. 

Se autorizada a transferência, deve ser levado a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) em unidade hospitalar da rede particular que é referência no tratamento da doença na capital federal.

*O Jacaré/Campo Grande News

BARAÚNA-RN: JOVEM MORRE VÍTIMA DE ACIDENTE DE TRÂNSITO

O acidente de trânsito aconteceu na noite desta domingo 06 de junho de 2021, na cidade de Baraúna, na região Oeste do Rio Grande do Norte. A vítima foi identificada como Erivaldo, de 25 anos de idade que trafegava de moto quando se envolveu no sinistro.
Ele ainda chegou a ser socorrido pelo SAMU para o hospital da cidade e depois foi transferido para o Hospital Regional Tarcísio Maia em Mossoró, mas não resistiu. O corpo dele foi encaminhado na manhã desta segunda feira (07) para o IML do ITEP onde será examinado.
Após os procedimentos de necropsia, o corpo de Erivaldo será liberado para os familiares, providenciarem velório e enterro na cidade de Baraúna. Ainda não há informações sobre as causas do acidente. A Polícia Civil daquela cidade, deverá investigar o caso.

*Fim da Linha

PARELHAS-RN: MULHER É ASSASSINADA PELO COMPNHEIRO

A Polícia Militar de Parelhas registrou um homicídio no início da madrugada desta segunda (7), por volta de 00h30.

O fato foi registrado na rua Daniel Gomes de Oliveira, Bairro Maria Terceira. 

De acordo com relatos da Polícia Militar o acusado pelo ato, dirigiu-se ao Pelotão da Polícia de Parelhas, e confessou que havia assassinado sua esposa a pauladas em sua própria residência. 

Diante do fato o acusado, Vitor José da Silva Reis, de 21 anos, foi preso e conduzido a Delegacia de Polícia Civil em Caicó. 

A vítima foi a jovem Adriele Santos

A Polícia Militar esteve no local da ocorrência e encontrou a jovem caída na sala, já sem vida.
ITEP e Polícia Civil foram acionadas para o fato.
Até o fechamento da matéria não fomos informados sobre a motivação para o crime. 

*Informações do blog Marcis Silva

NÚMEROS ALTOS: Segundo pesquisa Datafolha, 1 em cada 4 mulheres foi vítima de algum tipo de violência na pandemia no Brasil

Uma em cada quatro mulheres acima de 16 anos afirma ter sofrido algum tipo de violência no último ano no Brasil, durante a pandemia de Covid, segundo pesquisa do Instituto Datafolha encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e divulgada nesta segunda-feira (7).

Isso significa que cerca de 17 milhões de mulheres (24,4%) sofreram violência física, psicológica ou sexual no último ano. A porcentagem representa estabilidade em relação à última pesquisa, de 2019, quando 27,4% afirmaram ter sofrido alguma agressão.

No entanto, para Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, esse pequeno recuo deve ser analisado à luz de outros indicadores da pesquisa, como o lugar onde a violência ocorreu e quem foi o autor. Na comparação com os dados da última pesquisa, se percebe que aumentaram o número de agressões dentro de casa – passando de 42% para 48,8% – e diminuíram as na rua – caindo de 29% para 19%.

Ao mesmo tempo, cresceu a participação de companheiros, namorados e ex-parceiros nas agressões.

Em 2021, o “vizinho”, que em 2019 ficou em segundo lugar como autor das agressões (21%), neste ano sumiu das respostas. Em seu lugar apareceram o pai, a mãe, irmão, irmã, padrasto, madrasta, o filho e a filha. “A gente está falando de pessoas da família, que caracterizam esse fenômeno que não é uma violência doméstica como a gente tende a pensar no sentido de ser uma violência só do companheiro. Mas é uma violência intrafamiliar, que está acontecendo ali no seio da família”, disse Samira.

Quando se analisa a violência contra mulheres acima de 50 anos, por exemplo, cresce a participação de filhos e enteados nas agressões. Assim como nas edições anteriores (2017 e 2019) da pesquisa, as mulheres sofreram mais violência dentro da própria casa e os autores de violência são pessoas conhecidas da vítima.

Em sua terceira edição, a pesquisa “Visível e Invisível: a Vitimização de Mulheres no Brasil” ouviu 2.079 mulheres acima de 16 anos entre os dias 10 e 14 de maio deste ano, em 130 municípios do país. As respostas tinham como referência o período dos 12 meses anteriores à pesquisa.

Dentre as formas de violência sofrida, 18,6% responderam que foram ofendidas verbalmente, 6,3% sofreram tapas, chutes ou empurrões, 5,4% passaram por algum tipo de ofensa sexual ou tentativa forçada de relação, 3,1% foram ameaçadas com faca ou arma de fogo e 2,4% foram espancadas.

Segundo a pesquisa Datafolha, 73,5% da população acredita que a violência contra as mulheres aumentou no último ano e 51,5% dos brasileiros relataram ter visto alguma situação de violência contra a mulher nos últimos doze meses.

A pesquisa mostra ainda que as vítimas de violência doméstica estão entre as que mais perderam renda e emprego na pandemia.

Nos dois primeiros meses de pandemia, dados do Fórum Brasileiro de Segurança mostraram um aumento do feminicídio no Brasil. Ao mesmo tempo, houve uma queda nos registros de lesão corporal dolosa em decorrência de violência doméstica. Segundo os especialistas, a queda refletiu a maior dificuldade em se registrar as agressões, já que o agressor passou a ficar mais tempo com a vítima.

Jovens, negras e separadas são maior parte das vítimas

Violência por idade:

  • 16 a 24 anos (35,2%)
  • 25 a 34 anos (28,6%)
  • 35 a 44 anos (24,4%)
  • 45 a 59 anos (18,8%)
  • 60 anos ou mais (14,1%)

Violência por cor:

  • Preta (28,3%)
  • Parda (24,6%)
  • Branca (23,5%)

Violência por estado civil:

  • Separada/Divorciada (35%)
  • Solteira (30,7%)
  • Viúva (17,1%)
  • Casada (16,8%)

Assédio sexual não diminuiu com isolamento

Mesmo com as medidas de restrição impostas para conter a pandemia de Covid-19, 37,9% das brasileiras sofreram algum tipo de assédio sexual. Em 2019, foram 37,1%. Entre as mulheres que sofreram assédio, 31,9% ouviram comentários desrespeitosos quando estavam andando na rua, 12,8% receberam cantadas ou comentários desrespeitosos no ambiente de trabalho, 7,9% foram assediadas fisicamente no transporte público, 5,4% foram agarradas/beijadas sem consentimento, e 5,6% sofreram assédio físico em festa ou balada.

Como denunciar?

O governo federal oferece os seguintes canais de denúncia:

  • Disque 100
  • Ligue 180
  • Mensagem pelo WhatsApp no número (61) 99656-5008
  • Telegram, no canal “Direitoshumanosbrasilbot”
  • Site da Ouvidoria do Ministério
  • Aplicativo “Direitos Humanos Brasil” (para iOS e Android).
*Jair Sampaio

MOSSORÓ-RN: 71ª MORTE VIOLENTA EM 2021 - FORAGIDO DA JUSTIÇA É BALEADO EM UM BINGO NO BAIRRO SANTO ANTÔNIO E MORRE NA UPA

A cidade de Mossoró na região Oeste do Rio Grande do Norte, registra mais um homicídio a bala, o sexto nas últimas 24 horas. Desta vez o crime aconteceu por volta das 18h20min deste domingo 06 de junho de 2021 na Rua Gaspar Brenner no Bairro Santo Antônio. 

A vítima foi identificada como Emerson Franco da Silva, o "Mercinho Bulldog" 27 anos de idade, natural de Mossoró RN. O mesmo foi baleado com cerca de 25 tiros de pistola em um bingo nas proximidades de sua residência. A vitima ainda chegou a ser socorrida por familiares para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do mesmo bairro e segundo informações ele já chegou sem vida na unidade de saúde. 

De acordo com informações da Polícia Militar, Emerson Franco era considerado foragido da justiça e estava com mandado de prisão definitiva em aberto, expedido pela Vara de Execução Penal (VEP), desde abril de 2020, por porte ilegal de arma de fogo (artigo 14) 

De acordo com informações da polícia, o mesmo tinha condenação de 2 anos de prisão em regime domiciliar e era investigado em um homicídio ocorrido no Bairro Santo Antônio. A suspeita por parte da polícia de que a morte dele tenha sido motivada por briga de facções criminosas rivais. 

O corpo do foragido da justiça, foi encaminhado nesta segunda feira (07) para o Instituto Médico Legal do ITEP onde passará por procedimento de necropsia e depois será liberado para os familiares. Este foi o 71º assassinato em Mossoró neste ano de 2021. A Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar o casa.

*Fim da Linha

Semana Estadual do Meio Ambiente tem um alcance de mais de 30 mil participantes

Com o tema “Restaurar para Viver”, a programação da SEMA 2021 aconteceu em formato híbrido e reuniu minicursos sobre licenciamento ambiental, oficinas, material didático, lives, além de atividades culturais e artísticas. A Semana Estadual do Meio Ambiente 2021 chegou ao fim trazendo muitos resultados positivos. 

De acordo com um levantamento feito pela Assessoria de Comunicação do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), mais de 30 mil pessoas acompanharam as atividades produzidas, considerando esse número dividido em lives, webinar, oficinas, minicursos, palestras, postagens específicas nas plataformas do Instagram, Youtube e Twitter, durante cinco dias de evento. A SEMA é uma realização do Governo do RN, por meio da Semarh, Idema, Caern, Igarn e Governo Cidadão. 

Toda a programação foi pensada para debater com a sociedade a difusão de conhecimento e de experiências exitosas na área ambiental. Entre os participantes da SEMA 2021, estiveram representantes dos órgãos estaduais e municipais, gestores ambientais, alunos da Rede Pública de Ensino, graduandos, crianças, professores e sociedade civil. 

No decorrer da Semana do Meio Ambiente foram abordados temas como recursos hídricos, gerenciamento costeiro, licenciamento de indústrias, energias renováveis, educação ambiental, mudanças climáticas, Unidades de Conservação, iniciativas sustentáveis, entre outros assuntos que visaram dialogar com o público acerca dos principais desafios da gestão ambiental no RN, bem como no cenário nacional. 

Este ano inicia-se a Década das Nações Unidas para a Restauração dos Ecossistemas. A ONU alerta, que esse é o momento de enfatizar o repensar das nossas atitudes e a nossa relação com o meio ambiente. E reforça que é preciso refletir e agir para que possamos recuperar, enquanto ainda há tempo, o que ainda nos resta neste planeta Terra que nos abriga e nos presenteia com a vida. 

“É através da educação que vamos alcançar mudanças de atitudes e comprometimento com o meio ambiente”, destacou a subcoordenadora de Planejamento e Educação Ambiental do Idema, Iracy Wanderley Filha ao falar sobre o lançamento da Campanha RN + Limpo e ações promovidas pelo setor. 

Ao todo, foram mais de 50 atividades promovidas durante a Semana. Entre elas, oficinas, trilhas ecológicas, conteúdos informativos, minicursos, oficinas, webinários sobre licenciamento ambiental e conservação da Natureza, além de atividades de cunho artístico e cultural. 

Além das atividades na sede do Idema, através do formato virtual, o Parque das Dunas promoveu uma gama de ações. No Parque, houve visitações à Sala de Exposições com retratos da riqueza e exuberância da fauna e da flora da Unidade de Conservação; trilhas interpretativas; projeto “De Férias no Parque – resgate de brincadeiras antigas”; projeto Ecos do Bosque, oficinas e muito mais. 

“Com uma ampla programação, tivemos um alcance bastante satisfatório que superou nossas expectativas. Acredito que esse momento de pandemia, tão desafiador para o mundo, serve também para aprendermos novas formas de se relacionar, de reaprender a consumir informação e descobrir que, apesar da crise, nós podemos promover muita coisa boa em parceria. Foi uma semana em que estimulamos e desenvolvemos ações para despertar a sensibilização nas pessoas, o engajamento nas causas ambientais, a responsabilidade individual e coletiva, mas ressalto que, o pensamento de restauração e proteção à Natureza, em todas suas formas, deve ser contínuo”, finalizou o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar.  

ENCERRAMENTO DA SEMA CONTOU COM PROJEÇÃO MAPEADA 

Uma projeção mapeada no monumento Mãe Terra, desenvolvida pela equipe do projeto Jornada no Bosque encerrou a Semana Estadual do Meio Ambiente, na noite desse sábado (5), no Parque das Dunas. No Dia Mundial do Meio Ambiente, o produtor da obra “Regeneração”, o artista multicultural Maurício Panella, trouxe a mensagem da reconexão com a Natureza como abordagem principal da iniciativa. 

O momento foi celebrado entre representantes do Idema, Semarh, equipe do Jornada no Bosque, e foi transmitido por meio de live nos perfis do Instagram @idemarn e @jornadanobosque. Em sua fala, Maurício relatou um pouco sobre a concepção da iniciativa, que aborda a mensagem do respeito à Natureza como tema central da obra. 

“A obra mostra cenas da ação destrutiva do homem à Natureza e nos convida para a reconexão com o que está esquecido. Necessitamos da harmonia com todos os seres para termos uma vida possível no futuro. A obra mistura momentos de destruição, processos de degradação, ao mesmo tempo em que apresenta o cenário de recuperação; um convite para nós. Gostaria de agradecer a todos que participaram, de alguma forma, da nossa programação, e também relembrar que a Natureza pede socorro e precisa com urgência que nós paremos de agredi-la”, falou Maurício Panella. 

O diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, ressaltou que o momento não é suficiente cuidar somente das áreas prioritárias, pois é necessário restaurar e repensar tudo o que afeta negativamente o que nos cerca. “Restaurar é uma missão importante para o Estado do Rio Grande e gostaria de reafirmar os compromissos que o Idema possui com o meio ambiente. Estamos coroando esse encerramento da SEMA 2021 com foco na recuperação dos ecossistemas, compreendendo cada vez mais que é preciso restaurar para viver”, finalizou o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar.  

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE  

O Dia Mundial do Meio Ambiente, dia 5 de junho, foi instituído pelas Organizações das Nações Unidas (ONU), em dezembro de 1972, durante a conferência de Estocolmo, Suécia. A data tem como objetivo principal conscientizar as populações ao redor do mundo a respeito da importância de proteger os recursos naturais e para que os povos adquiram uma postura consciente sobre a preservação do planeta. 

*Confira os materiais produzidos ao longo da SEMA em: idema.rn.gov.br

APODI-RN: MAIS UM ACIDENTE É REGISTRADO NA AVENIDA MOÉSIO HOLANDA

Aconteceu mais um acidente no início da noite desta terça feira, 27 de setembro de 2022 na Avenida Moésio Holanda, bairro Bacurau 1, Apodi-R...

TIME: REVELAÇÃO

TIME: REVELAÇÃO

REVELAÇÃO E BACURAU

REVELAÇÃO E BACURAU

COMISSÃO TÉCNICA

COMISSÃO TÉCNICA