Mostrando postagens com marcador POLÍTICA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador POLÍTICA. Mostrar todas as postagens

sábado, 20 de abril de 2019

MOSSORÓ-RN: Seta/Blog do Barreto - Rosalba lidera e oposição tem três nomes competitivos. Confira os números da pesquisa estimulada

A pesquisa do Instituto Seta feita a pedido do Blog do Barreto mostra que junta a oposição tem a dianteira das intenções de votos para 2020.
São segmentos competitivos na oposição: PT representada por Isolda Dantas, o deputado estadual Allyson Bezerra (SD) e o grupo político empresarial de Tião Couto e Jorge do Rosário. Os três estão empatados tecnicamente dentro do limite da margem de erro de 3,5% para mais ou para menos.
Nos dois cenários apresentados, a oposição se aproxima da metade do eleitorado local, atraindo para si o voto dos insatisfeitos com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP).
Rosalba por sua vez lidera sem folga nem os percentuais astronômicos do passado. Seus percentuais giram em torno de um quarto do eleitorado, aquele historicamente considerado fiel a atual prefeita.
O Instituto Seta ouviu 600 pessoas em 27 localidades das zonas urbana e rural de Mossoró entre os dias 13 e 14 de abril. A margem de erro é de 3,5% para ou mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%.

Confira os números:

Cenário sem Tião e com Jorge do Rosário, Gutemberg Dias e Dr. Daniel

Rosalba Ciarlini (PP) 24,8% (entre 21,3 e 28,3%)

Allyson Bezerra (SD) 17,5% (entre 14 e 21%)

Jorge do Rosário (PR) 12,8% (entre 9,3 e 16,3%)

Isolda Dantas (PT) 10,8% (entre 7,3% e 14,3%)

Gutemberg Dias (PC do B) 4,5% (entre 1 e 8%)

Dr. Daniel (PSL) 3,8% (entre 0,3 e 7,3%)

NS/NR 19%

Ninguém/branco/nulo 7%

Cenário com Tião e sem Jorge do Rosário, Gutemberg Dias e Dr. Daniel

Rosalba Ciarlini (PP) 26% (entre 22,5 e 29,5%)

Allyson Bezerra (SD) 18,3% (entre 14,8 e 21,8%)

Tião Couto (PR) 16,5% (entre 13 e 20%)

Isolda Dantas (PT) 11,3% (entre 7,8% e 14,8%)

NS/NR 15,5%

Ninguém/branco/nulo 12,5%.


*Fonte: JBelmont.

Menina se recusa a cumprimentar Bolsonaro durante cerimônia de Páscoa

Uma menina se recusou a cumprimentar o presidente Jair Bolsonaro durante celebração de Páscoa na última quarta-feira, 17, no Palácio do Planalto. O próprio Bolsonaro divulgou um vídeo em sua conta no Twitter do momento em que cumprimenta crianças da Escola Classe 1 da Estrutural, região da periferia de Brasília, e uma delas se nega a estender a mão para ele.

Na imagem, Bolsonaro aparece ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro. Ele sorri e pega algumas crianças no colo. Quando ele cumprimenta as crianças que estavam na última fila do grupo, a menina cruza os braços e faz sinal de negativo com a cabeça diante da investida do presidente. O momento ocorre aos 28 segundos do vídeo.

Não é a primeira vez que um fotógrafo registra o momento em que um presidente não consegue cumprimentar uma criança. Em 1979, a menina Raquel Coelho Menezes de Souza, de quatro anos, se negou a cumprimentar o então presidente João Baptista Figueiredo durante uma parada cívico-militar no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte. A foto virou símbolo da resistência à ditadura militar.

Ao publicar o vídeo feito no Planalto, Bolsonaro citou um versículo do livro bíblico de Provérbios: “Ensina a criança o caminho que deve andar e mesmo quando for velho, não se desviará dele.” Na postagem, ele ainda escreve “vamos cuidar do futuro do Brasil!”.

*NOTÍCIAS AO MINUTO/BG

domingo, 7 de abril de 2019

SOLIDARIEDADE FAZ BALAIO DE GATO EM MOSSORÓ

UMA NOVA PATUSCADA POLÍTICA 
Imaginou judeu em festa de palestino? É jacaré misturado com cobra d‘água. O Solidariedade se reúne para aclamar o deputado Alysson Bezerra na presidência do partido em Mossoró e tome gogó em torno do “novo na política”.

Menos. Na mesa, capital e trabalho(ou ex-trabalho) que se reúnem cercados de antigas cobras criadas. Por exemplo: o deputado Kelps Lima, o do celular, bate sem dó na governadora Fátima na televisão e redes sociais e divide sorrisos com a deputada Isolda Dantas, a petista que votou a favor(ela e Alysson), do 13o e férias para os deputados estaduais.

Novidade é Lawrence Amorim, de família política dominadora há sete mandatos no Médio Oeste? E que quer abrir tentáculos em Mossoró? Uma novidade estilo Tite convoca Roberto Firmino.

Chamar de novo um momento em que pontifica a dupla Tião Couto e Jorge do Rosário, com derrotas na prateleira embora não lhes falte grana, é concordar que a festa é mesmo um balaio de gato, com direito a figuras hoje no cemitério implacável da decadência política.


*Carlos Skarlack.

quinta-feira, 28 de março de 2019

RODRIGO MAIS DIZ: Bolsonaro está ‘brincando de presidir o Brasil’

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira que o presidente da República, Jair Bolsonaro , precisa parar de “brincar de presidir o Brasil”. Maia deu o recado após ser perguntado sobre uma frase dita nesta quarta-feira por Bolsonaro. Em entrevista à TV Band, Bolsonaro disse que Maia “está um pouco abalado com questões pessoais que vem acontecendo na vida dele” .
Bolsonaro se referia à prisão de Moreira Franco, sogro do presidente da Câmara. Logo depois, Maia reagiu:
— Abalados estão os brasileiros que estão esperando desde primeiro de janeiro que o governo comece a funcionar. São 12 milhões de desempregados, 15 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha de pobreza, capacidade de investimento do Estado brasileiro diminuindo, 60 mil homicídios… E o presidente brincando de presidir o Brasil — disse o presidente da Câmara.

*O Globo.

quinta-feira, 21 de março de 2019

Maia diz que projeto de Moro é ‘copia e cola’ e que ministro ‘confunde as bolas’

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), desqualificou o projeto anticrime apresentado pelo ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), dizendo que o texto é um “copia e cola” de proposta sobre o mesmo tema que foi apresentada no passado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.
Ao chegar à Câmara, Maia mostrou irritação com o ministro ao chamá-lo de “funcionário do presidente Jair Bolsonaro” e dizer que ele “está confundindo as bolas”.
“O funcionário do presidente Bolsonaro? Ele conversa com o presidente Bolsonaro e se o presidente Bolsonaro quiser ele conversa comigo. Eu fiz aquilo que eu acho correto [sobre a proposta de Moro]. O projeto é importante, aliás, ele está copiando o projeto direto do ministro Alexandre de Moraes. É um copia e cola. Não tem nenhuma novidade, poucas novidades no projeto dele”, disse em resposta a um questionamento sobre se Moro estava se intrometendo na Câmara.
Na última quinta-feira (14), Maia determinou a criação de um grupo de trabalho para analisar o chamado projeto de lei anticrime de Moro e duas outras propostas correlatas que já tramitavam na Câmara. Como o grupo de trabalho tem o prazo de 90 dias para debater as matérias, na prática Maia suspendeu momentaneamente a tramitação da maior parte do pacote legislativo do ministro da Justiça.
O deputado disse ainda que o projeto prioritário é o apresentado por Moraes, quando ele era ministro da Justiça, ainda no governo de Michel Temer.
Segundo Maia, a votação do pacote se dará no futuro, após a Casa analisar a reforma da Previdência, considerada crucial para o governo Bolsonaro.
O deputado negou estar irritado com Moro e disse que o ministro “conhece pouco a política”.
“Eu sou presidente da Câmara, ele é ministro funcionário do presidente Bolsonaro. O presidente Bolsonaro é quem tem que dialogar comigo. Ele está confundindo as bolas, ele não é presidente da República, ele não foi eleito para isso. Está ficando uma situação ruim para ele. Ele está passando daquilo que é a responsabilidade dele. Ele nunca me convidou para perguntar se eu achava que a estrutura do ministério estava correta, se os nomes que ele estava indicando estavam corretos”, afirmou.
O presidente da Câmara ironizou Moro, insinuando que o ministro busca destaque na imprensa ao querer aprovar a proposta apresentada.
“O projeto vai andar no momento adequado, ele pode esperar para ter um Jornal Nacional, um Jornal da Band, ou da TV Record, ele pode esperar.

Styvenson nomeia primeiro nome do processo seletivo

O senador Capitão Styvenson Valentim (PODE), após crítica da mídia, nomeou um dos oito nomes selecionados no processo seletivo que ele realizou para assessorá-lo. Trata-se da jornalista Glacia Marilac, sua assessora de imprensa. Os outros sete aguardam para serem chamados.

*O Xerife.

Isolda Dantas ainda está perdida na Assembleia Legislativa

Acostumada a fazer ‘tumulto’ na Câmara Municipal de Mossoró, a deputada estadual Isolda Dantas (PT) ainda não se encontrou na Assembleia Legislativa. Como a Casa mantém um clima ameno e de tranquilidade, ela não achou com quem polarizar as forças e fazer discursos fortes.
A diferença também é que, diferente de quando foi vereadora sempre na oposição, ela agora é governo. Então, é vidraça. Para defender a governadora Fátima Bezerra (PT) ela não poderá atacar muito. As posições dela durante a votação de medidas impopulares também poderão ser questionadas.


*O Xerife.

PEC de Fátima que congela gastos públicos por 20 anos vai gerar polêmica

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) apresentada pela governadora Fátima Bezerra (PT) que congela os gastos públicos do Estado por 20 anos, inclusive em saúde e Educação, vai gerar polêmica na Assembleia Legislativa.
De acordo com uma fonte do legislativo, é de interesse do governo a aprovação o quanto antes do texto inspirado na medida adotada pelo ex-presidente Michel Temer (MDB). No entanto, a tramitação não deve ser rápida. A matéria provoca muitas divergências. Vai ser cômico ver o petismo defendendo esta PEC.


*O Xerife.

quarta-feira, 20 de março de 2019

MP Eleitoral obtém condenação de ex-governador por conduta vedada nas eleições 2018

O Ministério Público Eleitoral obteve no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN) a condenação do ex-governador Robinson Faria por conduta vedada nas eleições de 2018. Ele teve sua candidatura irregularmente beneficiada devido à doação de duas ambulâncias ao Município de Santo Antônio, em pleno período eleitoral.
Além dele, foram condenados o então candidato a vice, Sebastião Couto; o prefeito da cidade, Josimar Custódio; o ex-secretário estadual de Saúde, Pedro de Oliveira Cavalcanti Filho; assim como a Coligação Trabalho e Superação (formada pelo PRB, PTB, PR, PPS, PMB, PTC, PSB, PRP, PSDB, PSD, Avante e Pros). Todos foram sentenciados a pagar multas individuais no valor de 10 mil Ufirs, mas da decisão ainda cabem recursos.
Pedro Cavalcanti Filho esteve em Santo Antônio, em 25 de agosto do ano passado – quando a campanha já havia se iniciado – e formalizou a doação das duas ambulâncias em uma solenidade pública com a presença do prefeito Josimar Custódio e que serviu para promover a candidatura à reeleição de Robinson Faria, derrotado ao fim do pleito.
A representação do MP Eleitoral comprovou que o secretário usou camisa da cor da campanha do então governador, bem como o prefeito de Santo Antônio, constando nos autos foto dele fazendo o número 55, exatamente o de Robinson Faria nas urnas. Nas redes sociais, a solenidade de entrega das ambulâncias foi divulgada com a hashtag #todoscomrobinson55.
Em seu acórdão, o TRE/RN destacou que, em relação à “entrega das mencionadas ambulâncias, indubitavelmente, ficou fartamente comprovado o uso promocional vedado”. Essa mesma irregularidade também é parte de uma ação de investigação judicial eleitoral (Aije) – ainda não julgada – de autoria do MP Eleitoral e que requer a condenação dos envolvidos por abuso de poder político e econômico. Essa Aije pode resultar na inelegibilidade dos réus pelo prazo de oito anos.
 
*Vi no BG.

domingo, 17 de março de 2019

Mil pessoas, 300 comitês, uma vigília e a luta por liberdade e justiça para Lula

Pessoas de todas as cores, formas e cantos do país caminham pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo, no bairro do Tatuapé. Levantam bandeiras, montam barraquinhas, trocam panfletos, idéias, abraços e sorrisos. É um momento de fortalecer a solidariedade, a unidade e uma agenda comum de ações para enfrentar as reformas ultraliberais de Jair Bolsonaro e fortalecer a luta pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Encontro Nacional Lula Livre é fruto de um esforço coletivo profundo e consequência de uma luta que se iniciou no momento em que Lula foi preso injustamente em 7 de abril de 2018. Os presentes são mais de mil, de pelo menos 20 estados do país: movimentos populares pela terra e por teto, sindicatos, partidos políticos, lideranças indígenas, LGBTs, do movimento negro, jornalistas, militantes de base e os mais de 300 Comitês Lula Livre que se espalham por todo o país - além de outros vinte espalhados pelo mundo. Também está o foco inicial do protesto contra a injustiça: a Vigília Lula Livre, que mantém a chama da resistência acesa em frente à carceragem da Polícia Federal há quase um ano.

A pauta Lula Livre, assim como Marielle Vive, se tornou uma síntese de muitas vontades políticas: democracia, igualdade e resistência. Ela estará presente na luta contra o desmonte da Previdência e nos próximos passos da luta da classe trabalhadora”, disse Carla Vitória, secretaria do Comitê Nacional Lula Livre.

Segundo ela, um dos principais objetivos do encontro é promover a organização de Comitês Estaduais no próximo período, assim como tirar uma agenda conjunta de lutas para a Jornada Mundial Lula Livre, que acontece entre 7 e 10 de abril deste ano, marcando o aniversário de um ano da prisão do ex-presidente.

A nossa luta é pela democracia e pela justiça. E só vamos alcançar esses objetivos defendendo os direitos do povo e a soberania nacional, porque foi contra estes valores que deram o golpe e interferiram na eleição. Foi para entregar nossas riquezas e reverter as conquistas sociais. Que os comitês Lula Livre tenham isso bem claro e atuem cada vez mais na sociedade, nas redes, nas escolas e nas ruas", disse o ex-presidente em carta lida durante o encontro.

Para o ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, presidente do Comitê de Solidariedade Internacional e Em Defesa da Democracia, não é só sobre a importante Lula estar livre, estar com seus amigos e familiares: é sobre se o Brasil é um país democrático.

“O que está acontecendo no Brasil hoje é parte de um processo de afirmação da potência hegemônica sobre o nosso país com a conivência das elites. O capital financeiro precisava que o Brasil deixasse caminho de justiça social e democracia, que abandonasse seu papel de integração na América Latina”, analisa Amorim.

A opinião é compartilhada por João Pedro Stedile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). “O capitalismo está numa profunda crise. E o Brasil é um território estratégico para os capitalistas se salvarem da crise. E eles precisavam controlar Lula para conseguir isso. Tinham que prender o Lula, o motivo não interessa. Ele é um perigo para o projeto do capital. Ele é o líder maior desse país e eles não podem deixar ele junto ao povo”.

Para a liderança popular, o momento é de abandonar a auto-congratulação e partir para “mão na massa e o trabalho de base”. “O que importa agora é quantos comitês, quantas jornadas cada militante consegue organizar, cada coletivo consegue levar adiante”, provoca.

Construir Lula Livre

Em Ubatuba, todo dia 13, o Comitê Lula Livre, auto-organizado pelos moradores da cidade litorânea de São Paulo, faz algum tipo de manifestação na cidade: eles vão ao calçadão da praia, conversam com o povo, fazem intervenções políticas e culturais. “Gostaríamos de propor ao povo do Brasil de fazer uma ação como a nossa, pedindo a liberdade de Lula”, diz Rafael de Mattos, 46, um dos organizadores.

“Para gente, se trata de construir uma rede, interagir e fazer essa união de esforços para provar para essa justiça que o povo sabe do que está falando. Não adianta mais fazer essa grande violência no país. Nós queremos que parem de fazer a população de massa de manobra”, protesta Geni Xavier, também de Ubatuba.

A opinião é reforçada por outros militantes presentes ao encontro, apontando a importância de capilarizar a luta para construir a resistência. "Precisamos refletir sobre a estrutura do Estado brasileiro, sobre a importância de se mobilizar nos municípios pequenos e engrossar o coro de Lula Livre e transformar cada casa, cada diretório municipal, cada sindicato em um comitê Lula Livre. Grandes atos são importantes, mas o Lula livre tem que chegar em cada casa", analisa Kátia Maria, Presidente do PT de Goiás.

Como fazer?

A ideia dos Comitês locais é a de que eles possam ser construídos por qualquer pessoa engajada em defesa da democracia: em sua associação, bairro, local de trabalho, sindicato, comunidade, universidade ou coletivo. O objetivo do comitê é elaborar, planejar, organizar e realizar atividades que peçam a libertação do ex-presidente, assim como se somar a iniciativas locais em defesa dos direitos do povo brasileiro.

Não há necessidade de sede ou de hierarquias, mas de periodicidade e divisão de funções e tarefas. Os Comitês são as principais referências para participar da Campanha Lula Livre, que também incentiva a criação de comitês digitais para propagandear as ideias nas redes sociais e demais espaços da internet.


*Brasil de Fato.

sábado, 16 de março de 2019

APODI/MOSSORÓ: A MAIS VELHA, E A MAIS DESENVOLVIDA?

Apodi, 184 anos e Mossoró, 167 anos. Os políticos de Apodi não souberam desenrolar o progresso e a cidade está mais do que atrasada em relação a Mossoró. Potencial existe. E o que está faltando? Força política? Falta visão para o desenvolvimento? Ou isso é mesmo acomodação dos munícipes? Na verdade, Apodi não tem força política se quer, para nomear um filho da terra para a direção do hospital da cidade. É triste! É vergonhoso!
Mossoró, com 167 anos tem muito mais desenvolvimento. Deve ser a força política. 
A cidade é até batizada de terra do melão, do sal, do petróleo... Parabéns Mossoró!!!

APODI-RN: TEM MUITOS PRETENDENDO DISPUTAR O CARGO DE PREFEITO

Apodi, cidade do Oeste Potiguar tem muitos pretendendo disputar o cargo de prefeito do município.
Pelas conversas que se ouve, tem muita gente preocupada com a disputa do próximo ano ao cargo de prefeito. Falta demonstrar a capacidade de administrar. Uns sem experiência, outros sem força política e o povo só assistindo as discussões abobalhadas. 
As ideias são do 'novo', mas quando se olha tudo acaba 'velho'. Pensar em projetos para o povo, é bem pouquinho, pensar em projetos para grupos políticos, são quase todos. 
Alguns apostam no acerto do governo do estado, mas o governo nem olha para isso.
Muito cedo ainda, mas as pretensões já existem e vamos aguardar.

sexta-feira, 15 de março de 2019

Prefeito de Felipe Guerra Haroldo Ferreira mostra força e indica Novo Diretor do Hospital Regional de Apodi.

O prefeito da cidade de Felipe Guerra, Haroldo Ferreira de Morais, vem realizando uma administração de grandes resultados Positivos na cidade de Felipe Guerra, por que não dizer na Parte da Saúde Pública.
Sendo um dos primeiros Prefeito da região na época das eleições estadual declarar seu apoio a candidatura da atual Governadora, Fátima Bezerra. Haroldo mostrou que tem força junto ao Governo do Estado, tanto é que indicou o diretor de um hospital Estadual em outra cidade.
O enfermeiro Alyson Alves de Gois, foi indicado por Haroldo Ferreira e recebeu total apoio do Dep. Estadual, Dr. Bernardo Amorim. O Jovem Alyson para chegar ao cargo contou com seu curriculum de experiência na saúde pública na região.
Alyson já prestou diversos serviços na secretária de Saúde de Caraúbas e também no Hospital da cidade de Almino Afonso e administrou a empresa SAMMYS.
Não para por aí, segundo informações que circula nos bastidores, o Prefeito da cidade de Felipe Guerra, Haroldo Ferreira na companhia do Dep. Estadual Bernardo Amorim, já tem toda liberdade de indica novas direções em órgão do estado na região.

*Santana Notícia

Corte de pessoal gera economia de R$ 200 milhões, afirma presidente

O presidente Jair Bolsonaro defendeu hoje (14) o decreto que extingiu 21 mil cargos em comissão e funções de confiança, além da limitação no pagamento de gratificações a servidores públicos. Em transmissão ao vivo nas redes sociais, ao lado dos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde), ele lembrou que a medida vai gerar uma economia anual de cerca de R$ 200 milhões.

“Isso era um compromisso nosso por ocasião de campanha e acredito até que a gente possa avançar um pouco mais nessa questão, mostrando que dá para fazer economia sim”, afirmou o presidente durante a live no Facebook, que durou 15 minutos.

A prática de se dirigir diretamente ao público pelas redes sociais será mantida toda quinta-feira, por volta das 19h, segundo Bolsonaro, como forma de apresentar um balanço do governo. Ele confirmou que a próxima live (transmissão ao vivo pelas redes sociais) será dia 21, quando terá retornado da viagem ao Estados Unidos quando se reunirá com o presidente norte-americano, Donald Trump.

Leilão
Durante a transmissão ao vivo, o presidente mencionou o leilão amanhã (15) às 10h de 12 aeroportos atualmente administrados pela estatal Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). “Nós estamos anunciando aqui a concessão de 12 aeroportos, buscando realmente tirar do Estado esse peso que, infelizmente, onde o Estado brasileiro está dificilmente as coisas dão certo”, disse.

Localizados nas regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste, os terminais, juntos, recebem 19,6 milhões de passageiros por ano, o que equivale a 9,5% do mercado nacional de aviação. O investimento previsto para os três blocos é de R$ 3,5 bilhões. O presidente defendeu a redução do papel do Estado na economia.

Críticas

O presidente voltou a criticar o que chamou de “velha política de negociação” e destacou que o Parlamento está compreendendo a necessidade de indicações técnicas para o governo e que não tem recebido “pressão” para noemações em ministérios.

*Agência Brasil

sábado, 9 de março de 2019

Governo intensifica campanha de esclarecimento sobre Previdência

O governo federal vai intensificar a campanha de esclarecimento da população sobre a reforma da Previdência. O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, afirmou hoje (8) que a determinação do presidente Jair Bolsonaro é informar a população sobre os principais pontos da proposta do governo, apresentada ao Congresso no mês passado.
“O presidente Jair Bolsonaro determinou a intensificação da estratégia de comunicação da nova previdência por todos os meios disponíveis […]. Os principais pontos a destacar: quem ganha menos paga menos; quem ganha mais paga mais; idade mínima para todos; todos vão contribuir; os direitos estão garantidos e haverá regras de transição”, disse Rêgo Barros.
A ideia é que o slogan da campanha – Nova previdência. É para todos. É melhor para o Brasil – seja mais difundido em televisão, rádio e redes sociais. “Vamos usar, naturalmente, as mídias sociais, que é uma característica do nosso presidente, as mídias sociais do Planalto, integradas à mídia do nosso presidente. Nós vamos usar a disponibilidade de informações por meio da televisão, rádio, jornal”, afirmou o porta-voz.
Bolsonaro será o principal personagem da campanha de esclarecimento à sociedade sobre a reforma da previdência. “O presidente, naquilo que lhe couber, assumirá a liderança dessa comunicação. Ele entende que seu cargo é de extrema responsabilidade e, naturalmente, o seu rosto facilitará o entendimento junto à sociedade”.
O governo pretende mostrar que os mais pobres serão mais beneficiados pela reforma da Previdência. Segundo Rêgo Barros, estudos da equipe econômica apontam que a implantação da “nova previdência” tem potencial para geração de 8 milhões de empregos e um aumento de R$ 5,8 mil no Produto Interno Bruto (PIB) per capita (por membro da família) até 2023. Além disso, a economia gerada pelas novas regras será de R$ 1,2 trilhão em dez anos, segundo projeção do Ministério da Economia.

Agência Brasil/JBelmont.

sexta-feira, 1 de março de 2019

HENRIQUE ALVES VAI ENCARAR WALTER ALVES

O ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves não se aposentou da política. Vai restruturar o MDB depois do carnaval. Visitará município por município do Rio Grande do Norte renovando as novas comissões. Henrique deseja voltar a ocupar uma cadeira de deputado federal. Nem que crie uma briga em família com o primo Valter Alves, que é deputado federal.

*O Xerife.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

GOVERNADORA TERÁ REUNIÃO COM SECRETÁRIOS

A Governadora Fátima Bezerra (PT) se reunirá nesta terça-feira (26) com os secretários Raimundo Alves (GAC), Cipriano Maia (Sesap), Aldemir Freire (Seplan) e Virgínia Ferreira (Searh). A reunião acontecerá em capital, a partir das 15 horas na sala da gestora.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

MORO DIZ QUE NINGUÉM SERÁ POUPADO

Em entrevista à Jovem Pan, falou sobre o caso dos laranjas do PSL e garantiu que ninguém será poupado
“Quando fui convidado por Bolsonaro, o que conversamos: ninguém seria poupado. Se surgissem casos de crime no âmbito do governo, isso seria apurado e não seria poupado ninguém. E isso foi passado para a Polícia Federal. Órgãos de investigação têm independência. O próprio presidente solicitou que esses episódios fossem devidamente apurados. O trabalho que tem que ser feito em relação a esse fato está sendo feito.”

O Antagonista e Jovem Pan.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Governo Bolsonaro oficializa demissão de Bebianno

Depois de quase uma semana de crise, Gustavo Bebianno é exonerado / Mauro Pimentel / AFP
O porta-voz do Palácio do Planalto, general Otávio Rêgo Barros, comunicou, nesta segunda-feira (18), a exoneração de Gustavo Bebianno do cargo de ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência.

Questionado sobre o motivo da demissão, o porta-voz alegou "foro íntimo" do presidente. Bebianno foi um dos principais articuladores da campanha de Jair Bolsonaro.

A saída ocorreu após cinco dias de desgaste público. O agora ex-ministro foi chamado de mentiroso pelo vereador Carlos Bolsonaro, na última quarta-feira.

O filho do presidente disse que Bebianno mentiu ao falar que havia conversado com Bolsonaro no dia anterior. A declaração foi dada com o intuito de negar uma possível crise governo após denúncias de distribuição de dinheiro público para “candidaturas laranjas” do PSL.

Entenda o escândalo

Denúncias de candidaturas laranjas do partido de Jair Bolsonaro, o PSL, feitas pelo jornal Folha de São Paulo, neste mês de fevereiro, revelaram indícios de desvios de verbas públicas em dois estados durante o período eleitoral de 2018. O escândalo coloca em xeque o discurso de ética e combate à corrupção bradado pelo presidente e seus correligionários durante o pleito.

Primeiro Ato

As primeiras denúncias ocorreram em Minas Gerais e envolvem Marcelo Álvaro Antônio, atual ministro do Turismo. Na época, ele era presidente do PSL no estado e tinha o poder de decisão sobre quais candidaturas seriam lançadas.

De acordo com as denúncias do jornal paulistano, Álvaro Antônio está envolvido em um esquema que implica quatro candidaturas laranjas em Minas Gerais.

As candidatas receberam R$ 279 mil da verba pública que deveria ser utilizada na campanha da legenda. Cerca de R$ 85 mil foram destinados a quatro empresas que são de assessores, parentes ou sócios de assessores do hoje Ministro do Turismo.

Ainda segundo o jornal, não há indícios da realização de campanha efetiva das candidatas durante a eleição, que, juntas, alcançaram cerca de dois mil votos, apesar de estarem entre as 20 candidatas que mais receberam dinheiro do partido no país inteiro.

Em depoimento prestado ao Ministério Público, em 18 de dezembro, a candidata a deputada estadual pelo PSL em Minas Gerais, Cleuzenir Barbosa, disse que foi coagida por dois assessores de Marcelo Álvaro Antônio a devolver R$ 50 mil dos R$ 60 mil que havia recebido da legenda.

Frente à denúncia, Álvaro Antônio disse que as as acusações foram feitas “com base em premissas falsas de que houve simulação de campanha com laranjas no partido”.

Segundo Ato

Uma segunda denúncia foi feita pela Folha, no dia 10 de fevereiro. Luciano Bivar, recém-eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, teria criado uma candidata laranja em Pernambuco. De acordo com o jornal, o partido de Bolsonaro repassou R$ 400 mil do fundo partidário no dia 3 de outubro, a apenas quatro dias antes da eleição.

Maria de Lourdes Paixão foi a terceira candidata que mais recebeu dinheiro do partido no país e se candidatou de última hora para preencher a vaga remanescente de cota feminina.

De acordo com a candidata, 95% do dinheiro foi gasto em uma única gráfica, destinado à impressão de 9 milhões de santinhos e 1,7 milhão de adesivos. Cada um dos 4 panfleteiros, que ela diz ter contratado, deveria ter distribuído cerca de 750 mil santinhos por dia.

O também presidente do PSL, Luciano Bivar, nega que a candidata tenha sido laranja. Ele argumenta que a decisão de repassar R$ 400 mil foi da direção nacional do partido, na época presidida por Gustavo Bebianno, hoje secretário-geral da Presidência da República. Seguindo no jogo de “empurra”, Bebianno, por sua vez, alegou que as decisões dos repasses são das direções estaduais.

À época, Bebianno era o presidente nacional do PSL e coordenou a campanha de Jair Bolsonaro. Ele era responsável formal por autorizar repasses dos fundos partidários e eleitoral a candidatos da legenda.

Segundo apuração da Folha, ele liberou R$ 250 mil de verba pública para a campanha de uma ex-assessora, que repassou parte do dinheiro para uma gráfica registrada em endereço de fachada. Bebianno nega ter envolvimento com candidaturas laranjas do PSL.


*Brasil de Fato.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Bolsonaro vai exonerar Bebiano na segunda-feira (18)

O ministro da Secretaria-geral, Gustavo Bebianno, confirmou, no início da tarde deste sábado (16), que o presidente Jair Bolsonaro indicou que vai exonerá-lo na próxima segunda-feira (18). Ao deixar o hotel onde mora, em Brasília, ele afirmou que está com a consciência tranquila e que ainda tem “carinho” pelo presidente.
Apesar da sinalização de que será demitido, Bebianno disse que ainda aguarda a formalização da exoneração na edição do Diário Oficial da União (DOU) de segunda-feira.
Em reunião, ontem, Bolsonaro sinalizou que quer exonerar o ministro e ofereceu a ele um cargo na diretoria de Itaipu Binacional, embora a possibilidade seja vedada pela Lei das Estatais. A oferta foi prontamente recusada por Bebianno.


*O Xerife.